Presidente Gonzalo: discurso do cárcere

Discurso do cárcere, Presidente Gonzalo.

Nota do blog: Presidente Gonzalo, chefatura do Partido Comunista do Peru, foi capturado pelo velho Estado peruano numa ofensiva reacionária em 1992. Como tentativa de ridicularizar os revolucionários peruanos, o velho Estado montou uma espécie de jaula em local aberto, aprisionaram o Presidente Gonzalo e chamou-se toda a imprensa. A tentativa de ridicularizar falhou, não somente, como serviu de plataforma de propaganda para que o Presidente Gonzalo proferisse um discurso que elevara a moral e a autoestima do PCP, conhecido mundialmente como “O discurso do cárcere”, no dia 24 de setembro do mesmo ano. Segue o texto, retirado do Centro de Documentação Maoísta:



Camaradas do Partido Comunista do Peru!
Combatentes do Exército Guerrilheiro Popular!

Povo peruano!        

Vivemos momentos históricos, cada um sabe que é assim, não nos enganemos. Devemos nestes momentos tencionar todas as forças para enfrentar as dificuldades e seguir cumprindo com nossas tarefas. E conquistar as metas! Os êxitos! A vitória! Isso é que se deve fazer.
Nós estamos aqui como filhos do povo e estamos combatendo nestas trincheiras, que são também trincheiras de combate e o fazemos porque somos comunistas! Porque nós defendemos aqui os interesses do povo, os princípios do Partido, a Guerra Popular. Isso é o que fazemos, estamos fazendo e continuaremos fazendo!

Nós estamos aqui nestas circunstâncias; uns pensam que é uma grande derrota. Sonham! Dizemos que continuem sonhando. É simplesmente um revés, nada mais! Um revés no caminho! O caminho é longo e com este chegaremos, e, triunfaremos! Vocês verão! Vocês verão!
Nós devemos prosseguir as tarefas estabelecidas pelo III Pleno do Comitê Central. Um glorioso pleno! Saibam que já estão em marcha estes acordos e isso vai prosseguir; seguiremos aplicando o IV Plano de Desenvolvimento Estratégico da Guerra Popular para Conquistar o Poder, seguiremos desenvolvendo o VI Plano Militar para Construir a Conquista do Poder, e isso há de prosseguir. Isso é tarefa! Faremos isso, pelo que somos! E pela obrigação que temos com o proletariado e o povo!

Nós dizemos claramente que o caminho democrático hoje em dia começou a se desenvolver como um caminho de libertação, como um caminho popular de libertação! Essa é a circunstância que estamos desenvolvendo; devemos pensar com muito sentido histórico, deixemos de seguir fechando os olhos. Vejamos a realidade, vejamos a história do Peru. Vejamos os três últimos séculos do Peru. Isso devemos pensar, vejam o século XVIII, vejam o século XIX, vejam o século XX; e entendam! Os que não entendem estão cegos e os cegos não servem ao país, não servem ao Peru! Pensemos no século XVIII, foi uma lição bem clara. Pense nisto, havia um dominador, era a Espanha e essa dominação que sugava o sangue, aonde nos levou? Para uma profundíssima crise, como consequência disso, o Peru, foi dividido. Daí vem começo da atual Bolívia. Não é questão nossa senão fatos. Pois bem, século passado, dominação inglesa, aonde levou sua contenda com a França? A outra grande crise: década de setenta do século passado; consequência: guerra com o Chile, não esquecemos! E o que aconteceu? Perdemos território.

Século XX como estamos? Neste século XX há um imperialismo que nos domina, principalmente o norte-americano, isto é real, todos sabem. E aonde nos trouxe? Já sem recordar aqueles anos vinte, aqui e agora, na pior crise de toda a história do povo peruano. Tomando a lição de séculos anteriores, que coisa se pode pensar? Outra vez a nação está em risco, outra vez a república está em risco, outra vez o território está em risco, pode ser perdido facilmente, e por interesses. Essa é a situação, nos levaram a isso, porém, temos um fato, uma revolução peruana, uma guerra popular, e segue e seguirá avançando. Aonde temos chegado com isso? A um Equilíbrio Estratégico. E isso se deve entender bem. É Equilíbrio Estratégico! Que se concretiza em uma situação essencial; doze anos serviram para quê? Para mostrar anatomicamente perante o mundo e principalmente perante o povo peruano que o Estado peruano, é um tigre de papel, que está completamente podre, e isso foi demonstrado!

Assim, as coisas, pensemos no perigo, de que a nação, o país pode ser dividido, que a nação, o país pode ser dividido, que nação está em risco, querem despedaçá-la, querem dividi-la. Quem quer fazer isso? Como sempre, o imperialismo, os que exploram, os que mandam. E o que devemos fazer agora? O que corresponde agora? Pois bem, corresponde que potenciemos o Movimento Popular de Libertação, e desenvolveremos isso manejando na guerra popular porque o povo, sempre o povo foi quem defendeu a pátria, quem defendeu a nação.
Corresponde formar a Frente Popular de Libertação, corresponde formar e desenvolver a partir do Exército Guerrilheiro Popular, um Exército Popular de Libertação, é isso o que corresponde! E nós faremos isso! E estamos fazendo isso e vamos fazer isso! Vocês serão testemunhas senhores. Finalmente agora escutemos isto, como vemos no mundo, o maoísmo marcha incontrolavelmente a comandar a nova onda da revolução proletária mundial. Entendam bem e compreendam! Os que possuem ouvidos usem-nos, os que têm entendimento e todos nós temos, usem-nos. Basta de idiotices, basta de obscuridades! Entendamos isto! O que se desenvolve no mundo? O que necesitamos? Necessitamos que o maoísmo seja encarnado e está sendo feito e passe gerar Partido Comunistas, a manejar, dirigir, essa nova grande onda da revolução proletária mundial que está vindo.

Tudo o que disseram, o palavreado vazio e estúpido da famosa “nova etapa de paz” em que acabou? Cadê a Iugoslávia? Cadê os outros lugares? Tudo se politizou; isso é mentira. Hoje em dia a realidade é uma, os mesmos competidores da I e II Guerra Mundiais, estão gerando, estão preparando a III nova guerra mundial. Isso devemos saber e nós como filhos de um país oprimido somos parte do butim. Não podemos consentir! Basta de exploração imperialista! Devemos acabar com eles! Somos do terceiro mundo e o terceiro mundo é a base da revolução proletária mundial, com uma condição, que os Partidos Comunistas desenvolvam e dirijam. Isso é o que se deve fazer!
Nós pensamos o seguinte; no próximo ano se cumprem 100 anos do nascimento do Presidente Mao. Deve-se celebrar os 100 anos! E o estamos organizando com os Partidos Comunistas. Queremos uma maneira nova, uma celebração que seja a compreensão consciente da importância do Presidente Mao na revolução mundial, e começaremos este ano a celebração e a arremataremos em breve; será um grandioso processo de celebração, quero aqui aproveitar, para saudar ao proletariado internacional, as nações oprimidas da terra, ao Movimento Revolucionário Internacionalista.

VIVA O PARTIDO COMUNISTA DO PERU!
A GUERRA POPULAR VENCERÁ INEVITAVELMENTE!
SAUDAMOS DESDE AQUI AO FUTURO NASCIMENTO DA REPÚBLICA POPULAR DO PERU!
Dizemos: GLÓRIA AO MARXISMO-LENINISMO-MAOÍSMO!
E dizemos finalmente, HONRA E GLÓRIA AO POVO PERUANO!

24 de setembro de 1992

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s