Reunião entre representantes do Comitê Central e os líderes da Guarda Vermelha de Pequim

Nota do blog: Retirado do site da Revista Leste Vermelho. Introdução segue no próprio texto.


Reunião com os “cinco grandes líderes” da Guarda Vermelha de Pequim
 

Transcrição de reunião publicada no volume Vida Longa ao Pensamento de Mao Zedong [1]

 

Encontro com os cinco grandes líderes das Guardas Vermelhas, ocorrido em 28 de julho de 1968, às 3 horas da madrugada, no Salão Hunan do Grande Sala do Povo. Neste dia, o Presidente Mao fez uma reunião com os representantes das Guardas Vermelhas de Pequim, os “cinco grandes líderes”, a seguir: Kuai Dafu, da Universidade de Qinghua, Nie Yuanzi da Universidade de Pequim, Han Aijing do Instituto de Aeronáutica de Pequim, Tan Houlan da Universidade de Magistério [Shifan], Wang Dabing do Instituto de Geologia de Pequim. A reunião durou mais de cinco horas. Na reunião estavam presentes outros líderes do Comitê Central: o Vice-Presidente do Comitê Central do Partido Comunista e Ministro da Defesa, Marechal Lin Biao; o Primeiro Ministro Zhou Enlai; o Presidente do Grupo Central da Revolução Cultural (GCRC), Chen Boda; o Conselheiro do  GCRC, Kang Sheng; a Vice Presidente do GCRC e esposa do Presidente Mao, Jiang Qing; o membro do GCRC, Yao Wenyuan; a esposa de Lin Biao, Ye Qun; o líder do Escritório Central do Regimento das Guardas Vermelhas, Wang Dongxing; o Vice Primeiro Ministro, Chefe da Segurança Pública, responsável do Comitê Revolucionário de Pequim, Comissário Político Regional de Pequim, Xie Fuzhi; Chefe do Estado Maior do Exército Popular da Liberação, Huang Yongsheng; Comandante da Força Aérea, Wu Faxian; Comandante da Guarnição de Pequim, Vice Chefe do Estado Maior, Wen Yucheng; Comissário Político da Guarnição de Pequim, Huang Zuozhen; Vice Responsável do Comitê Revolucionário de Pequim, Ren Wude.[3]

Presidente Mao (Nie Yuanzi, Tan Houlan, Han Aijing e Wang Dabing entraram na sala de reunião, Mao Zedong se levantou e veio na direção deles para cumprimenta-los e dar-lhes a mão): Todos tão jovens!

O Presidente (dando a mão a Huang Zuozhen): Você é Huang Zuozhen? Eu nunca tinha te visto antes; você não foi morto?

Jiang Qing: Quanto tempo não nos vemos! Ultimamente vocês não têm colado cartazes.

Presidente Mao: Nós nos encontramos só em Tiananmen, mas não conversamos mais. Isso não está certo! Vocês são do tipo que só vão ao Palácio Triratna quando é assunto de vida ou morte; mas eu li todos os seus jornais e panfletos e entendo toda a situação. Kuai Dafu não veio. Ele não pôde ou não quis vir?

Xie Fuzhi: Temo que ele não quis vir.

Han Aijing: Impossível, ele com certeza viria para uma reunião com a liderança central. Se ele não pudesse vir ver o Presidente Mao ele choraria! Com certeza não conseguiu vir.

Presidente Mao: Kuai Dafu quer encontrar a Mão Oculta, esta que fez todos esses trabalhadores virem à universidade “reprimir” a Guarda Vermelha. Até agora ele não conseguiu encontrar o responsável. A Mão Oculta sou eu mesmo! Se ele não vier, e depois tentar me encontrar, deixem ele me encontrar! Fui eu quem enviei a Guarda Nacional do Comitê Central e os trabalhadores da Editora Xinhua e da Fábrica de Tecelagem. Me perguntava como resolver o problema do conflito armado dentro das universidades, e então pedi a eles para irem até lá e examinarem eles mesmos a questão. E de fato trinta mil pessoas foram. Na verdade, eles detestaram a Universidade de Pequim, mas não a Qinghua. (Para Nie Yuanzi) Como a gente deve lidar com a relação entre trabalhadores e estudantes? Dezenas de milhares de estudantes e operários estavam marchando. Ouvi dizer que vocês até que receberam bem os operários. Foram vocês ou foi a Beida (Jinggangshan)?

Nie Yuanzi: Nós ficamos na porta dando água para eles.

Wen Yucheng e Huang Zuozhen: Não foram eles. A Universidade de Pequim entrou em conflito com os trabalhadores daquela Unidade de Produção.

Nie Yuanzi: Foi a Faculdade de Ciências Agrárias, e nós estávamos na porta distribuindo água. Eles nos chamaram de conservadores de jogo duplo.

Presidente Mao: Vocês entraram em conflito com eles?

Nie Yuanzi: Todos começaram a brigar.

Presidente Mao: A Universidade de Pequim quis pegar a Mão Oculta. Mas essa Mão Oculta não sou eu, essa é Xie Fuzhi. Eu não tinha tramoias assim. Eu falei para vocês irem em algumas poucas pessoas conversar com ele e tentar resolver os conflitos, mas Kuai Dafu disse que foram cem mil pessoas.

Xie Fuzhi: Não chegava nem a trinta mil.

Presidente Mao: O que a gente faz com esse problema da violência nas universidades? Uma solução seria retirar-nos completamente, não coordenar os estudantes, e então quem quiser brigar que brigue. Até agora os comitês revolucionários estavam fazendo assim, não controlavam, não entraram em confronto com vocês nem tentaram suprimir. Essa forma também poderia ser considerada correta. Outro jeito é ajudar e intervir um pouco – essa estratégia recebeu a aprovação dos operários, dos camponeses e foi bem-vinda até pela maioria dos estudantes. Há mais de cinquenta escolas de ensino superior em Pequim, entre elas tem cinco ou seis que estão em conflito mais violento. É um teste para as suas habilidades políticas. Também teria uma outra forma de resolver: uma parte de vocês poderia ir morar no Sul, a outra parte poderia ir morar no Norte. As duas se chamam “Nova Beida” e têm até parênteses no nome: “Nova Beida (Jinggangshan)” e “Nova Beida (Comuna)”. Parece o Partido Comunista Soviético dividido entre “bolcheviques” e “mencheviques”. Se vocês não conseguirem resolver esses problemas, o jeito é acionar o exército, recorrer à liderança do camarada Lin Biao ou então de Huang Yongsheng, ambos capazes de resolver o problema. Vocês já estão participando da Revolução Cultural há dois anos, conhecem a estratégia debater-criticar-transformar; mas agora não fazem nem debates, nem críticas e nem transformam nada. Debater é lutar com palavras, mas vocês estão lutando com armas. O povo fica irritado, os operários, os camponeses, os moradores vizinhos… ninguém está contente com as atitudes de vocês. Em várias escolas os estudantes não estão contentes, nem sua própria escola e nem na sua própria facção! É assim que se faz a Unificação? (Para Nie Yuanzi) Ora, vocês da Nova Beida (Comuna) são a maioria, não é “velho buda”? Você é uma filósofa, não me diga que na Nova Beida (Comuna) não tem ninguém contra você? Eu não acreditaria! Eles não dizem nada na sua frente, mas falam de você pelas costas. Wang Dabing, como está a sua situação?

Wang Dabing: Tinha alguns contra o Vice Premiê Xie Fuzhi, mas eles fugiram.

Xie Fuzhi: O vice de Wang quis tomar o poder, dizem que ele agora é de direita.

Presidente Mao: Mas parece que ele era de esquerda, um marxista.

Wang Dabin: Isso é uma tentativa deles de semear a discórdia entre nós, Nie Shuren é um bom camarada, de boa origem e ainda sofreu muita experiência na vida, tem ódio de classe, é uma pessoa muito honesta, de caráter revolucionário forte. Um pouco impaciente. Ele não sabe bem trabalhar com unificação e seus métodos de trabalho são um tanto rígidos.

Presidente Mao: Você conseguiria se unir a ele? Um de esquerda, um de direita, me parece uma boa parceria. Você sentou muito longe, venha mais para cá.

Lin Biao: Venha.

Xie Fuzhi: Vá, anda! (Wang Dabing sentou-se ao lado do Presidente Mao)

Presidente Mao: Senta, senta. Neste ponto, devemos fazer alguns comentários. Afinal de contas, são todos estudantes, não são gangues criminosas. Embora recentemente, em algumas escolas, quase se formaram gangues. O ponto é que as duas fações que se engajaram no conflito armado estão totalmente dedicadas ao conflito armado. Esse modo de fazer o debater-criticar-transformar não funciona. Agora não se debate, critica ou transforma: só brigam. Os estudantes não estão se envolvendo bem na política. Se o problema é este, talvez seja melhor fazer a estratégia de debater-criticar-dispersar, vocês já pensaram nisso? Tem muitos estudantes nas facções que estão desengajados. Agora muita gente fala que Nie Yuanzi e Kuai Dafu dizem um monte de besteiras. Nie Yuanzi já quase não tem apoio, Kuai Dafu também. Às vezes vocês têm 300 ou, menos, 150 pessoas com vocês. Como querem se comparar a Lin Biao ou à Huang Yongsheng? Eu, por exemplo, só desta vez, em uma ação, tive o apoio de 30 mil pessoas.

Lin Biao: Nem se compara a Huang Yongsheng!

Presidente Mao: As coisas do mundo são importantes. Aquilo que está separado por muito tempo deve se unir, da mesma forma que aquilo que está unido por muito tempo deve se separar. Os conflitos armados devem terminar imediatamente, e todas as armas frias ou quentes devem ser recolhidas e armazenadas pela Guarda Nacional. Nie Yuanzi, eles estão chamando você de “velho buda” e seu quartel-general de “ninho do velho buda”.

Lin Biao: E ainda há sua colega, Tan Houlan, tão nova, ela ainda tem duas tranças no cabelo!

Presidente Mao: Você tinha concordado em deixar o movimento descentralizar e ir à escola ler alguns livros e estudar. Todos concordaram com a ideia da descentralização, mas eu temo que você não consiga deixar o movimento, ou ainda, se você deixar a liderança, quem te substituirá?

Tan Houlan: Eles já se organizaram.

Presidente Mao: Nós todos estamos protegendo vocês, “cinco pequenos generais”, e protegemos até Kuai Dafu que quer capturar a Mão Oculta. Nós também temos um lado. Vejam: a Nova Beida (Jinggangshan), a 14 de Abril e a Soldados Unidos têm alguns comentários sobre mim. Eu não temo ser destituído. A 14 de Abril da Universidade de Qinghua tem a teoria da “vitória certa” – eu não concordo com essa ideia. Eles dizem que quem toma a montanha não pode governar a montanha. Ora, isso significaria que se o proletariado toma o poder no mundo não poderia governar o mundo. A 14 de Abril tem um teórico chamado Zhou Quanying. Mas por que prenderíamos um teórico? São eles uma facção de teóricos? Eles escrevem artigos e vocês prendem eles por quê? Vocês devem soltá-lo imediatamente. As pessoas têm opiniões, deixem que escrevam! Se não vão falar que não existe mais liberdade! Você, “velho buda”, deve ser um pouco mais generosa. A Beida (Jinggangshan) tem muitas pessoas, se eles fossem soltos toda a força deles lavaria o seu “templo do Rei Dragão”. Você ainda conseguiria se manter? Se você continuar sendo assim um “velho buda” vamos ter que acionar o exército. Tem ainda um terceiro jeito, tentar agir de acordo com a dialética: vocês podem morar em cidades diferentes, “o um se divide em dois”, ou seu grupo ou a Jinggangshan vai morar no Sul e o outro grupo no Norte, assim não se encontram mais, não vão mais poder brigar. Cada grupo realiza seus próprios projetos e assim o mundo ficará unido. Se não você sempre vai ter medo, se eles atacarem o “ninho do Velho Buda” você não conseguirá dormir. Você está com medo e eles também estão. Vocês precisam retroceder um pouco, por que ficar assim tão nervosos? Se vocês ficam o tempo todo com medo que os outros ataquem, não conseguem lutar nem deixar a luta. Vocês exaltam tanto… o quê? Ouvi dizer que alguém te ameaçou de morte… Se você sabe quem é não necessariamente deve pegá-lo. Esqueça! Mesmo sabendo quem foi não fale nada. Mas depois fique atenta, não ande sozinha por aí.

Jiang Qing: Ela tem gente que a protege.

Nie Yuanzi: Não tenho.

Presidente Mao: Seu irmão e irmã mais velhos não são boas pessoas. Mesmo um irmão problemático é sempre um irmão e uma irmã difícil ainda é uma irmã. Por que você precisa implicar com a irmã mais nova?

(Entra uma pessoa e avisa que ainda não encontraram Kuai Dafu)

Presidente Mao: Kuai Dafu não quer vir ou não pode vir?

Xie Fuzhi: Já foi anunciado nos autofalantes, mencionamos o seu nome e pedimos para vir à reunião com o Comitê Central. Ele não ousa vir.

Jiang Qing: Mas será que ele não tem coragem de vir ou não consegue sair de onde está?

Xie Fuzhi: Acho que tem alguém segurando ele.

Yao Wenyuan: Pode ser.

Presidente Mao: Acho que Kuai Dafu é boa pessoa, ele se destaca e se arrisca pessoalmente. Tem pessoas ruins que tentam manipular ele, mas ainda assim ele e os seus companheiros são boas pessoas. É bom se arriscar e se envolver tanto pessoalmente, essa experiência é muito proveitosa. Wang Dabing, você entrou em vários conflitos, não é?

Wang Dabing: Não. Em 23 de setembro de 1966 brigamos com a facção conservadora, e a facção do Camarada Chen Boda ajudou a gente. Aquela luta nós vencemos.

Presidente Mao: Então tudo bem. Daqui para frente você e Han Aijing não devem mais se envolver em brigas e lutas. Han Aijing, você é verdadeiramente um descendente de Han Xin, sabe propor ideias, é um bom estrategista.

Han Aijing: Na nossa escola tem muitos camaradas operários e camponeses, as pessoas estão mais integradas. Tem diferenças de ponto de vista, mas não nos dividimos em fações.

Yao Wenyuan: E eu não confio nisso. Vocês lá não têm diferenças de ponto e vista, estão todos do mesmo lado!

Kan Sheng: Han Aijing você falou que é desse jeito, não?

Presidente Mao: Vocês não podem julgar Han Aijing desse jeito. Colocar ele contra a parede. Fica difícil conversar assim.

Han Aijing: A facção de Kuai Dafu é grande e complexo, tem vários aliados. Na hora de propor debates e escrever cartazes são poucos, mas na hora do conflito e da luta o número aumenta. Eles pedem apoio, mas Kuai Dafu não consegue controlar todos.

Presidente Mao: Tan Houlan, a Revolução Cultural já dura dois anos, aquela facção contrária à sua, a Soldados Unidos de cem ou duzentas pessoas, tem feito muita desordem. Você ainda não pode deixar o movimento, porque você é uma “imperatriz”. Hoje, dos quatro líderes que vieram a esta reunião, duas de vocês são mulheres, é impressionante mesmo! Eu acho que você ainda não pode ir embora, deve conviver com eles, ajudá-los. Aquelas pessoas também já são bastante problemáticas. A Tropa dos Rebeldes da Universidade de Pequim é formada por todo tipo de membro, parece a Comitê Revolucionário Unificado de Hunan, isso porque ela tomou o poder! Ainda tem membros de várias outras escolas que vieram se unir, e você (para Han Aijing) e Kuai Dafu são parte dessa situação.

Han Aiping: Eu também me uni a eles.

Jiang Qing: Então Han Aijing quer derrubar Tan Houlan.

Presidente Mao: Você tem parte nisso, e nosso “comandante” Kuai Dafu também tem parte. Pessoas jovens querem fazer coisas boas, mas também podem fazer coisas ruins. Vocês dizem que o Comitê Central não deu orientações, mas os camaradas Lin Biao e Zhou Enlai em 24 e 27 de março vieram para uma conferência, fizeram uma assembleia com dez mil pessoas. Naquele dia os camaradas Huang Zuozhen e Wen Yucheng falaram, mas logo em seguida vocês brigaram de novo. Parece até que estão contra nós. Nós temos este princípio fundamental: lutar com palavras e não com armas. Ora, se vocês querem brigar, podem brigar, quanto mais melhor!… mas os dois lados não têm nem artilharia, então que tipo de luta estão fazendo? Os seus métodos de luta não têm planejamento! Usam armas caseiras… é como em Sichuan, que usaram artilharia antiaérea para combater o próprio céu.

Jiang Qing: São uns desregrados.

Presidente Mao: Você “velho buda”, se acha tão sobrenatural, mas conseguiu convocar só duzentas ou trezentas pessoas, e agora seus soldados correram para onde? Você teve que se apoiar em trabalhadores e soldados desmobilizados como a força principal do seu regimento, e sem eles não consegue fazer nada. Já o camarada Lin Biao tem guardas de sobra! Ele poderia dar alguns milhares ou dezenas de milhares para você, e aí você conseguiria exterminar a Nova Beida (Jinggangshan) completamente! Mas não vamos responder a esta questão aqui. Podemos fazer mais reuniões para discutir o problema. Antes de tudo vocês devem se unir.

Lin Biao: É verdade, antes de tudo vocês devem se unir. Os quatro programas do Presidente Mao são: primeiro, coordenação militar; segundo, o “um se divide em dois”; terceiro, debater-criticar-dispersar; quarto, se for lutar, lutar as grandes lutas.

Presidente Mao: Falo de dividir um em dois justamente para acabar com os conflitos, os dois lados estão muito tensos, ninguém consegue nem dormir. Mas mudar de casa também é um problema, porque onde forem procurar casas as pessoas estarão desconfiadas e nervosas. Vejo que tem bastante espaço neste salão, o complexo Zhongnanhai é bem grande, acolhe uns quarenta ou cinquenta mil da Guarda Vermelha, dá até para abrir uma escola, por que não? Poderia vir você, Nie Yuanzi, ou vir Hou Hanqing. Vocês não costumam dizer “matar o boi, abater o macaco e ensopar o carneiro”? O boi seria Niu Huilin, o macaco, Hou Hanting, e a cabra, o companheiro Yang Keming (líderes de facções às quais se opunha Nie Yuanzi). Yang Keming eu conheço, ele também é muito jovem! Na época da 11ª Sessão Plenária, Yang Keming ajudou a fazer um cartaz (refere-se ao cartaz “Afinal o que Song Shuo, Lu Ping e Peng Peiyun fizerm na Revolução Cultural?”), mas vocês disseram que o cartaz demonstrava a desunião deles. Ora, a sociedade não muda só pela vontade das pessoas. Quem poderia esperar esse conflito? A princípio se planejava parar as aulas por seis meses, e foi publicado assim; depois, não deu certo e o prazo se estendeu para um ano. Se não desse certo a paralização se estenderia por um, dois ou três anos. Não importa se a pessoa é um representante ou não, se você, por exemplo, estivesse no primeiro ano, e se passassem dois anos de paralização, você então seria considerado no terceiro ano. Ou mesmo se passassem dois anos, quatro anos ou oito anos: onde quer que seja, quem vive um dia, cresce um dia. Debater-criticar-dispersar também é um método. Tan Houlan, por exemplo, não está querendo deixar o movimento? Deixe ela ir embora. Ainda devemos manter universidades? As universidades devem matricular novos estudantes? Se não tiverem novos estudantes não tem sentido. Mas acho que não fui totalmente claro naquela conferência (refere-se à “Diretiva de 21 de Julho” ou “7.21”): ainda precisamos ter faculdades, eu mencionei principalmente Ciência e Tecnologia, o que não quer dizer que não se deve estudar ciências humanas. Mas este velho sistema de ensino e estes velhos métodos não são bons. Devemos encurtar o período de escolarização e revolucionar a educação. Diminuir a quantidade de disciplinas. Eu vejo que os conhecimentos básicos do segundo grau e da escola básica são os mesmos que os da universidade. Então se deve frequentar a escola por seis anos, dez anos no máximo. Agora, os cursos na escola básica repetem os últimos anos do primário, o ensino médio repete alguns conteúdos da escola básica, e a universidade repete cursos do ensino médio. Os cursos básicos são cheios de repetições. As pessoas e os professores nos cursos de especialização não entendem sobre a própria especialidade. Filósofos não sabem sobre Filosofia. Nesse contexto, para que serve estudar? Você, Nie Yuanyi, é filósofa, não?

Nie Yuanzi: Não, não sou filósofa.

Jiang Qing: Ela é um “velho buda”.

Presidente Mao: E que escola da Filosofia é essa? A faculdade é o suficiente para ensinar Filosofia? Se a pessoa nunca foi um operário ou camponês e vai para a escola estudar Filosofia, então que tipo de Filosofia é essa?

Lin Biao: Ali quanto mais alguém estuda, mais estreito fica. É uma “estreitosofia”.

Presidente Mao: E quando uma pessoa estuda Literatura, não deveria estudar história da Literatura, mas deveria aprender a escrever ficção, e toda semana escreveria um texto; se não conseguisse escrever, iria para a fábrica trabalhar como aprendiz. Tornando-se aprendiz a pessoa poderia escrever sobre seu processo de aprendizagem. Atualmente ninguém escreve romances ou poesia na faculdade de Literatura. A princípio, Hu Wanchun de Shanghai escrevia muitas coisas, depois não tinha mais nada para ser visto!

Zhou Enlai: Como no caso de Gao Yubao, que entrou na faculdade e sua mente petrificou.

Presidente Mao: Eu já contei para vocês o caso de Marx, de Engels, de Lenin e de Stalin. Exceto Marx e Lenin, os outros não fizeram faculdade. Lenin estudou Direito por um ano, Engels saiu da escola depois de seis meses no segundo grau, seu pai o tinha chamado para trabalhar na contabilidade da fábrica, que depois se mudou para a Inglaterra; ali ele teve contato com os trabalhadores. E onde vocês acham que Engels aprendeu sobre ciências naturais? Foi estudando na biblioteca de Londres, frequentando a biblioteca por oito anos – ele não entrou na faculdade. Stalin não fez faculdade, completou o segundo grau em uma escola de igreja. Gorky fez apenas dois anos da escola básica, menos até que a Jiang Qing, que terminou o primeiro grau. Ela ainda estudou por seis anos e Gorky só estudou por dois.

Ye Qun: Jiang Qing se esforçou muito em seu estudo autodidata.

Presidente Mao (para Ye Qun): Não seja bajulador. O conhecimento não depende somente de ir estudar na escola. Eu, por exemplo, antigamente não me comportava bem na escola, só fazia o suficiente para não ser expulso. Nas avaliações, eu tirava entre sessenta e oitenta pontos, setenta mais ou menos… não fazia muitas matérias, às vezes repetia e ainda assim não ia bem, algumas provas eu entreguei em branco; em um teste de geometria, uma vez, desenhei um ovo – mas isso também é uma forma geométrica! Era um só traço, por isso fui o primeiro a entregar a tarefa.

Lin Biao: Eu estudei até a escola básica, estudei por quatro anos e sai sem terminar. Larguei a escola porque eu quis. Mas mesmo sem o diploma do primário eu trabalhei como professor infantil. Eu gosto de estudar assim, sozinho.

Presidente Mao: Hoje em dia fazer uma escola militar por muito tempo só pode prejudicar as pessoas. Sabem por quanto tempo estudam na escola miliar de Huang Pu? Três ou seis meses!

Lin Biao: O primeiro, segundo e terceiro períodos só têm três meses; o quarto é um pouco mais longo.

Presidente Mao: É um pouco de treino, uma pequena mudança de perspectiva. Estudar alguns temas, não muitos, na verdade praticar um pouco algumas técnicas militares.

Lin Biao: Sim. Porque tem uma questão: estudo a gente esquece. O que se estuda em várias semanas na escola, em poucos dias no exército se aprende. Cem palavras não chegam aos pés de uma experiência.

Presidente Mao: Eu não fiz nenhuma escola militar, nem li nada sobre estratégia militar. Dizem que eu lutei como descreve o Romance dos Três Reinos. De fato, não li A Arte da Guerra de Sunzi, mas li o Romance dos Três Reinos.

Lin Biao: Naquele tempo você tinha me pedido para encontrar esse livro. E eu não encontrei.

Presidente Mao: Na Conferência de Zunyi [1935], eu debati com quem?

Zhou Enlai: Com He Kequan.

Presidente Mao: Ele me perguntou se eu tinha lido “A arte da Guerra” de Sunzi. Eu perguntei a ele: “Camarada, ‘A arte da guerra’, no total, tem quantos capítulos?”, ele não sabia. Eu perguntei qual é o nome do primeiro capítulo, e ele também não sabia. Só depois, quando eu escrevi alguns textos sobre estratégia militar, eu li por cima o “A arte da guerra”. O que quer dizer “a arte da guerra”? Quem estuda inglês sabe, Art Mill é “A arte da guerra”, então ainda é melhor estudar bem inglês. Eu sai de casa cedo, não estudei idioma estrangeiro. Para estudar um idioma estrangeiro é melhor rápido, quando ainda se é jovem. Tan Houlan, você estuda o quê?

Tan Houlan: Eu estudo russo.

Presidente Mao repetiu a pergunta a Han Aijing e Wang Dabing.

Han Aijing: Estudei oito anos de russo, e estudei um pouco de inglês.

Wang Dabing: Estudo russo.

Presidente Mao: Um idioma estrangeiro é muito importante para a qualidade do ensino, estudar inglês ainda é melhor! Estudar um segundo idioma é melhor desde criança.

Han Aijing: Presidente, depois do fim da Revolução Cultural, eu posso me juntar ao exército?

Presidente Mao: Ser soldado por meio ano é suficiente. Se uma pessoa trabalha como soldado por muito tempo vai combater o quê? Ficar no exército por seis meses é o limite, Depois você pode ser camponês por um ano, operário por dois anos, esse é o verdadeiro estudo! A verdadeira universidade é a fábrica, o campo. Você diz que o camarada Lin Biao é um intelectual porque ainda frequentou o segundo grau. E Huang Yongsheng, Wen Yucheng são que tipo de intelectuais? Também não são soldados!

Presidente Mao (para Huang Yongsheng): Você estudou por quantos anos?

Huang Yongsheng: Um ano e meio.

Presidente Mao: Qual a identidade da sua família?

Huang Yongsheng: Pequeno-médio camponês.

Presidente Mao (para Wen Yucheng): “E você, estudou quantos anos?”

Wen Yucheng: Três anos.

Presidente Mao: E sua família tem qual identidade?

Wen Yucheng: Camponês pobre.

Presidente Mao: São todos rústicos, caipiras, estudaram muito pouco. Huang Yongsheng estudou assim tão pouco, e ele se tornou Chefe do Estado Maior, acreditem ou não. Eu a princípio também não o conhecia, mas já veio a Beijing conversar duas vezes e nos conhecemos.

Lin Biao: Na academia militar de Whampoa, Chiang Kai-Shek deu a ele um relógio de ouro, e depois não pôde lutar em Nanjing.

Ye Qun: Ele se opôs ao Presidente.

Presidente Mao: Entre as pessoas no mundo, tem que ter oposição. Se querem se opor, deixem que se oponham. Eu disse que interpretação dele da Arte da Guerra de Sunzi tinha falhas, mesmo assim ele não mudou. Zhou Yuehan, Wang Ming e Wang Dehou foram para a União Soviética estudar.

Ye Qun: Em Yan’an, eles serviram como secretários de Zhu De.

Lin Biao: Na Academia Militar de Nanjing o XXX, em diversas matérias só conseguiu tirar 5, então não pode lutar.

Presidente Mao: Então, combater-criticar-dispersar ainda é um bom método. Indo pelo caminho de Tan Houlan, ele quer deixar o combate, não é? Eu também não disse que devemos cancelar o estudo de Ciências Humanas, mas temos que mudar os métodos. Os que estudam Literatura deverão escrever romances, poesia, os que estudam Filosofia devem escrever dissertações, discutir o processo revolucionário atual da China. No entanto, é possível que seja melhor não ter um curso separado de Direito. Ouvi dizer que a Facção do Céu se opôs a Xie Fuzhi, não intervimos, e por fim eles não se opuseram mais. Desmantelar a Segurança Pública e destituir Xie Fuzhi. De fato, a primeira coisa que Xie Fuzhi fez no seu mandato foi desmantelar a Segurança Pública, das trinta mil pessoas do Escritório de Segurança Pública de Beijing, ele tirou novecentas que eram de direita, corruptas ou antirrevolucionárias. Então, começaram a falar em desmantelar a Segurança Pública, porque de dezenas de milhares sobraram só algumas centenas, e o restante foi fazer estudo em salas de aula. Vocês também promoveram um slogan dizendo que Xie Fuzhi deve ser destituído porque é membro do Comitê Central. Atacavam e aprisionavam aqui e acolá, mas os três quartéis-generais da Universidade Popular de Pequim não deram as caras, só mandaram uma pequena esquadra ir colar cartazes atacando Xie Fuzhi. E quando foram averiguar os responsáveis, respondiam: “nosso quartel-general não derrubou Xie Fuzhi, só temos uma pequena esquadra”. Eles falaram em derrubar Zhao Guilin porque ele era contrarrevolucionário. Eu não conheci Zhao Guilin, mas como ele pode ser contrarrevolucionário? Eu vi todo o material que vocês fizeram. Nie Yuanzi, você ainda disse que Hou Hanqing é contrarrevolucionário, não foi?

Nie Yuanzi: Hou Hanqing se engajou em um grupo reacionário na comunidade, fez ataques perversos ao Presidente e ao Vice-Presidente Lin.

Presidente Mao disse: Não nos importa que essas pessoas nos tenham difamado um pouco. O programa político de Niu Huilin não foi muito bem feito, mas também não é um grande problema político… não foi nada contra a lei. Na Faculdade de Ciência Política fizeram uma comuna e um exército próprios, eles não ficaram contentes com essa notícia. O melhor seria diminuir o tempo [nas universidades] e escolher estudantes entre filhos de operários e camponeses. Um caso de investigação e julgamento na Metalúrgica Anshan, as massas participaram e estavam bem informadas, mesmo assim por muitos anos a investigação não produziu resultados.  No caso do Escritório de Segurança Pública, antes mesmo das audiências preliminares, não usaram outro método, apenas atacavam as pessoas. Agora o julgamento vem das massas, não usa mais a violência. Não é certo produzir evidências e materiais. O Comitê de Controle Militar não é uma tropa de soltados. Wen Yucheng, Huang Yongsheng, ambos não conheciam tantas pessoas assim, então poderiam se basear só em algumas poucas investigações? Nós dissemos: estudar com o povo, eles… eu disse que, em primeiro lugar, não se deve matar; segundo, não sentencie de forma muito pesada, é melhor sentenciar só por dois ou três anos. Antigamente existia confinamento em solitária, isso ainda existe? Vocês ainda prendem “desertores”?

Wen Yucheng: Não existe mais solitária.

Presidente Mao: Se alguém quiser desertar, para que serve prender a pessoa? Debater-criticar-desertar, se alguém quiser ir embora, deixe-o ir. Qual a razão por que alguém quereria desertar? Isso não é um motivo para lutar contra essa pessoa, criticar ou combate-lo não é bom. Pode ser porque tem problemas em casa para resolver, ou porque o trabalho no exército é muito difícil, a pessoa não aguenta. Não prendam desertores, não confinem ninguém na solitária, hoje as deserções diminuíram muito em relação ao passado. Nós somos o Exército de Libertação Popular, hoje em dia quando as escolas capturam e fazem alguém prisioneiro, exigem confissões, usam da violência para obter confissões, ou batem só para ferir, são os intelectuais menos civilizados que há. Você diz que um intelectual é civilizado, eu acho que os intelectuais são os menos civilizados. Acho que um caipira é muito mais civilizado. Huang Yongsheng e Wen Yucheng não capturam desertores, também não prendem ninguém na solitária. Vocês inventaram o “castigo do jato”. O principal culpado pela invenção desse castigo sou eu. No “Relatório sobre o movimento camponês de Hunan” eu mencionei o castigo de colocar um chapéu alto e caminhar assim pela cidade, mas eu não falei nada sobre esse castigo do jato. Mesmo assim eu sou o principal culpado, e é difícil escapar à culpa! E agora o que devemos fazer? Devemos prender vocês na solitária? Essa prática da Jianggangshan não é boa. A Jianggangshan do “comandante Kuai” matou quatro pessoas, feriu cinquenta da Fábrica de Tecelagem, isso sem considerar o efeito que teve na sociedade. E não estou falando de um indivíduo, a perda seria mínima, muito pequena.

Lin Biao: Vale a pena, a perda é mínima.

Zhou Enlai: O Vice-Presidente Lin está certo, a perda seria bastante pequena, mas os resultados muito grandes.

Presidente Mao: Se depois outros operários forem até vocês, vocês precisam recebe-los muito bem! Não podem usar esses métodos do Kuai Dafu.

Zhou Enlai: Na segunda metade de 1966, vocês foram às fábricas para fazer Troca de Experiências, e os operários receberam vocês muito bem, ninguém bateu em vocês.

Presidente Mao: Deixe-os fazer propaganda! Não é para ataca-los, são proletários, foram enviados pelo Partido! Não são os proletários a classe na liderança? Esta não é uma Ditadura do Proletariado? Então! É uma ditadura que exerce o poder sobre os pequenos grupos corruptos em suas universidades. Vocês não podem exercer uma ditadura sobre o proletariado. Vocês todos são figuras principais. São figuras públicas, incluindo o “comandante Kuai”. Agora ainda deverão fazer uma série de reuniões, faremos na Qinghua, no Instituto de Aeronáutica, na Heping. Com várias pessoas que são de outras províncias e vieram aqui. Por exemplo com a 22 de Abril de Guangxi, a facção de Hunan Comuna 7 de Fevereiro, a Oposição Até o Fim de Sichuan, com uma parte da 8-9-1 de Liaoning, a Facção Marginal de Jinzhou, a Bombardear de Heilongjiang, a Bandeira de Guangdong.

Han Aijing: Eu não sabia que esses grupos tinham participado.

Yao Wenyuan: Não foi Hou Yushan do grupo de vocês que fez o relatório?

Lin Biao: Nós não abrimos o Nono Congresso, eles é que fizeram.

Zhou Enlai: Também não começamos a 12º Plenária Nacional. Ouvi dizer que Instituto de Aviação vai fazer algum tipo de conferência de defesa nacional.

Han Aijing: Eu cheguei a ouvir sobre essa ideia, mas até assustei, não ousaria fazer isso.

Zhou Enlai: Assim está certo, não é para fazer uma conferência assim. Você sabe, são segredos de Estado.

Presidente Mao: Por que é que eu não procurei a facção oposta à de vocês? Chamei vocês para conversar sobre essas coisas para que vocês se organizem. Eu nunca gravo as reuniões, hoje estamos gravando tudo. Assim, depois vocês poderão aproveitar o que acharem necessário. Eu deixo a gravação, e antes de tudo vocês vão debater, conversar. Esta gravação vai permitir que as pessoas nos escutem muitas vezes sem mudar o conteúdo da reunião, e assim possam fazer quantas reuniões precisarem. Fizemos uma reunião tão longa! A fala de Huang Zuozhen no começo não precisa considerar, os momentos em que estamos procurando Kuai Dafu também não contam; mas com certeza devem ser preservadas inteiras todas as declarações do Comitê Central. Sobre a situação de vocês, eu me envolvi no começo da mobilização, cuidei um pouco, mas depois as situações eram tantas que não conseguimos mais coordenar vocês. Em Pequim tem Xie Fuzhi que coordena vocês. Na reunião passada que vocês fizeram em Pequim nem eu nem Lin Biao pudemos ir, fomos burocratas. Desta vez temo que vocês me expulsem do Partido. Porque o burocratismo deve ser eliminado. Mas eu há muito tempo não quero ser burocrata, então agora eu sou a Mão Oculta que suprime a Guarda Vermelha.

Lin Biao: Ontem eu estava dirigindo, fui dar uma olhada em alguns cartazes. Perguntei: “como não tem nenhum das universidades de Pequim e de Qinghua?”, e as pessoas me disseram: “eles estão lutando com armas”. Viu? Vocês se separaram do povo, então o povo gritou pedindo para acabar com os conflitos.

Presidente Mao: O povo não quer uma guerra civil.

Lin Biao: Vocês mesmos se isolaram do povo – dos operários, camponeses e soldados.

Presidente Mao: Tem pessoas que dizem que as circulares oficiais publicadas em Guangxi valem só para Guangxi, e aquelas publicadas em Shanxi valem só para Shanxi… Mas esta declaração é para o país inteiro: se alguém continuar violar a lei, atacar o Exército Popular da Liberação, roubar os equipamentos do Exército, danificar o sistema de transporte, matar pessoas ou incendiar qualquer coisa, será visto como um criminoso. Se uma minoria desobedecer a esta diretiva, insistir em não se corrigir, será vista como grupo de bandidos, como agentes do Partido Nacionalista – essas pessoas serão isoladas ou presas, e caso lutem contra e continuem resistindo teimosamente, usaremos a pena de morte.

Lin Biao: Atualmente tem aqueles que são rebeldes de verdade[4], e outros que são bandidos e nacionalistas usando nossa bandeira para se oporem. Em Guangxi, mil casas foram incendiadas.

Presidente Mao: Este aviso deve ser escrito de forma clara e direta para que os estudantes a estudem bem. Se insistirem em não se corrigir, serão presos. Nos casos leves serão presos, nos mais graves sofrerão repressão militar.

Lin Biao: Em Guangxi incendiaram mais de mil casas, e não deixaram as pessoas apagar o fogo.

Presidente Mao: Os Nacionalistas faziam a mesma coisa. Esse é o tipo de ataque que faz uma classe inimiga quando já está para ser derrotada. Queimar casas é erro gravíssimo.

Lin Biao: Quando nós passamos por Guangxi durante a Longa Marcha, quando lutamos contra Bai Chongxi, ele também tinha esta prática: botava fogo nas casas fingindo ser do Partido Comunista. Isso que vocês fizeram foi repetir de um velho método.

Presidente Mao: Han Aijing, você é amigo do Kuai Dafu, você deve ajudá-lo, ser um bom camarada.

Han Aijing: Kuai Dafu está montado no tigre e não quer descer. É difícil lidar com ele.

Kang Sheng: Não é bem como você está dizendo.

Presidente Mao: Se ele não conseguir descer das costas do tigre, então vamos ter que matar o tigre.

Zhou Enlai: Tem algumas pessoas de Guangxi na Faculdade de Aeronáutica de Pequim, não? Como vocês ousaram convocar pessoas para aquela suposta conferência (de Tecnologia de Defesa Nacional)? Vocês esconderam os integrantes da 4.22, não é? Eles estão na Faculdade de Aeronáutica.

Kang Sheng: Eles querem controlar as mobilizações no país inteiro.

Han Aijing: Não fui eu que convocou aquela conferência. O Comitê Central pode investigar, naquele período eu estava doente e tinha ficado na Faculdade de Educação Física para me tratar, então me ligaram da escola e me disseram que tinham vindo dois integrantes do Comitê Revolucionário de Guangdong. Um era o operário Qiu Xueke, o outro era Wu Zhuanbin da Universidade de Zhongshan. Eles procuraram Huang Yongsheng para uma reunião, falaram que Huang Yongsheng os apoiava. Avisei que eu não tinha saúde para receber os estudantes. Mas algumas pessoas me disseram que eu estava muito cheio de mim, que eu estava me comportando como se fosse “Deus no céu e o Instituto de Aeronáutica na terra”. Eu não tinha recebido os representantes discentes da 4 de Maio, nem os de outras organizações rebeldes. Então todo mundo falou que eu estava agindo só para me mostrar, sendo orgulhoso. Me acusaram ainda de latifundiário, antirrevolucionário. Então eu decidi receber aqueles grupos. Quando estava dando boas vindas, eles me disseram que queriam fazer um congresso nacional sobre a Trocas de Experiências, eu disse que se fizéssemos a reunião em Pequim seria comprar briga, porque tem a divisão entre a Facção Céu e a Facção Terra, a situação era complicada. Eu concordei em chamar alguns líderes confiáveis de facções rebeldes e integrantes de comitês revolucionários e conversar, só para entender melhor a situação, mas não para decidir nada. Eu e Kuai Dafu fomos para essas reuniões. Mas depois eu fui internado. No dia que a reunião ia começar, um estudante da faculdade me telefonou e disse que todos estavam achando que a coisa não era correta: os representantes da Faculdade de Geologia só participaram das reuniões preparatórias e depois não foram mais. Kuai Dafu assistiu a alguns minutos, e logo saiu correndo, assustado com o conteúdo, e os Jianggangshan fizeram o mesmo. Eu falei então para escreverem um relatório, um relato desses acontecimentos para o Comitê Central, mas antes que o relatório estivesse pronto, recebemos a crítica do Comitê Central, dizendo que aquela era uma reunião clandestina.

Presidente Mao: Vocês criticam demais Han Aiqing, ele só tem 23 anos!

Jiang Qing: No período daquela mobilização a Faculdade de Aeronáutica se saiu bem, a Universidade de Pequim também. Vieram pessoas de fora visitar e propor ideias, vocês receberam eles, e desenvolveram vários trabalhos; na verdade, naquele período nós delegamos a vocês com confiança, mas agora as coisas mudaram, precisamos reconhecer que continuar assim não dá. Porque eles se opõem a todos os comitês revolucionários e tropas do Exército da Liberação em todas as províncias. Tan Houlan, em sete de setembro quem foi até vocês para estabilizar a situação?

Tan Houlan: Mao Zedong, o Grupo Central da Revolução Cultural.

Xie Fuzhi: Aquela vez foi a camarada Jiang Qing quem ficou sabendo e ajudou vocês a estabilizar a situação.

Jiang Qing: Eu também nem sempre concordo com tropas da Universidade Normal. Mas como vocês puderam fazer isso? Aquele dia tão quente, com pouca água, pouca energia elétrica, pouco alimento. Dias de calor do cão, três meses sem ver o Sol! Quando eu soube até chorei. Aquelas centenas ou dezenas de pessoas também são povo! Não é que eu tenha um sentimento de amizade com eles, diz-se que eles estão contra nós. Não estamos falando em nome deles. Mas mesmo assim os liberem! Proletários devem reformar o humanismo proletário. Essas dúzias de contrarrevolucionários são, no fundo, jovens! Han Aijing errou já no princípio quando transtornou pessoas comuns.

Han Aijing: Eu errei.

Presidente Mao: Tem um pouco de anarquismo. No mundo, o anarquismo é o correlato oposto do governo. Basta que exista o governo, o anarquismo não desaparecerá. É o mesmo caso dos dispositivos de servilismo e docilidade usados nas sociedades escravistas do passado, hoje eles tornam em seu contrário. É a punição ao oportunismo de direita, esta é a punição ao oportunismo de direita do Comitê Central.

Jiang Qing: Diz-se que aquela tropa é contra nós; mas por que falaríamos por eles? O melhor é vocês liberarem eles. Tem alguns contrarrevolucionários que disseram que querem me enforcar. E que me importa se me fritarem, me enforcarem…. eu não tenho medo do óleo quente dos outros. Ouvi dizer que o Jianggangshan da Universidade de Pequim quer me fritar.

Nie Yuanzi: Algumas pessoas no Jianggangshan querem pegar a camarada Jiang Qing.

Yao Wenyuan: “Fritar” é só uma expressão. Na verdade, é só estar numa sala e debater.

Presidente Mao: E que coisa é essa de falarem que querem enforcar Kuai Dafu?

Xie Fuzhi: Niu Huilin não está agindo bem.

Jiang Qing: Pode ser que Niu Huilin tenha alguns problemas, ou pode ser um problema da educação. Nie Yuanzi, eu tenho ainda direito à palavra, sim? Eu me esquivei das dificuldades de vocês. Neste momento vocês estão lutando contra o próprio povo, enquanto aqueles que são malvados de verdade se escondem. Será que a 14 de Abril tem que vencer? A 14 de Abril abertamente se opõe ao Grupo Central da Revolução Cultural, se opõe também ao Premier, a Kang Sheng… mas eles também são um grupo popular! O “comandante” Kuai Dafu queria derrotar esse grupo.

Presidente Mao: A 14 de Abril são alguns milhares de pessoas, não tem como simplesmente derrotá-los. A Jianggangshan também tem alguns milhares de pessoas, é normal que tenham também algumas pessoas ruins.

Jiang Qing: Todos vocês sabem onde eu moro. Se querem me enforcar, então que me enforquem. Querem me fritar, me fritem. Estamos todos na mesma dificuldade, então não podemos achar culpados facilmente. Se vocês não conseguem tolerar outros, como poderiam governar e trazer paz ao mundo? Veja que vocês não estão estudando os textos do Presidente, nem o exemplo de trabalho político do Presidente. O Presidente sempre se une àqueles que o opõem.

Presidente Mao (para Nie Yuanzi): Nem é necessário dizer. Por que “matar o boi, abater o macaco, ensopar o carneiro”? O boi pode arar a terra, então matar para quê? Isso que vocês apontam não é nada mais que uma tentativa de ataque a Jiang Qing e a Lin Biao. As acusações cabem em uma palavra só. Mesmo assim eles só falaram disso dentro de uma sala, não foram às ruas colar cartazes.

Jiang Qing: Mesmo se eles espalhassem cartazes, também não teria medo.

Presidente Mao: Ano passado, quem foi que se opôs a Lin Biao?

Zhou Enlai e Ye Qun: Foram Yi Lin e Di Xi.

Presidente Mao: Além disso, o líder da 16 de Junho do Instituto de Línguas Estrangeiras de Pequim, Liu Lingkai, se opôs ao Primeiro Ministro, e o Primeiro Ministro sempre o tinha protegido. Algumas pessoas falaram que Zhou Enlai é condescendente demais, mas eu concordo com a maneira do Primeiro Ministro. Se essas pessoas se unirem não precisamos prender ninguém, muita gente foi presa já. Foi porque eu concordei.

Xie Fuzhi: Isso não tem relação com o Presidente, eu é que ordenei a prisão.

Presidente Mao: Você não deve se responsabilizar por um erro meu, nem me dar cobertura. Eu também mandei prender, mas também mandei soltar.

Xie Fuzhi: Mas não pediu para eu prender tantas pessoas.

Presidente Mao: Depois que eles foram soltos, foram até a Montanha Babao e à Praça da Paz Celestial pedalar bicicletas. Fizeram isso por um ou dois meses, mas não teve mudança. Algumas pessoas perseguem outros só para conseguir dinheiro. Peng Xiaomeng é contra isso, não é? Essa Peng Xiaomeng me parece muito boa.

Yao Wenyuan: Os pais dela são ruins, estão juntos com o Wu Xiuquan.

Presidente Mao: Os pais de Peng Xiaomeng fazem o quê?

Yao Wenyuan: São Secretarios Gerais da Cruz Vermelha.

Jiang Qing: Na política, todos nós somos responsáveis políticos por vocês, quando não ajudamos o bastante, vocês fizeram as coisas sozinhos. E de tanto prender um e perseguir outro, vocês finalmente encontraram a Mão Oculta que agora quer que vocês se unam.

Nie Yuanzi: Do grupo Jianggangshan, muitos já fizeram trabalho educativo no campo e voltaram, agora estão fazendo grupos de estudo.

Presidente Mao: Você não pode confiar naqueles que deixaram Jinggangshan. Eles ainda têm o corpo na guerra e a mente na corte: os corpos seguem você, “velho buda”, e as suas mentes estão no Jianggangshan. Vocês não devem se preocupar com Niu Huilin, ele pode voltar para o campo, mas com liberdade, sem forçar. Não podemos humilhar ninguém, e principalmente não podemos usar a violência. Devemos dar aquilo que a pessoa precisa e confiar. Nós erramos no passado, cometemos crimes. E vocês estão cometendo esses erros pela primeira vez, por isso não podemos culpá-los.

Jiang Qing: Fan Liqin como está?

Nie Yuanzi: Ele não foi ao campo. Ele e Peng Peiyun formaram um grupo contrarrevolucionário.

Presidente Mao: Niu Huilin viu ele?

Nie Yuanzi: Ele visitou o grupo. Concorda com uma parte das suas ideias, com outra, não.

Presidente Mao: Hou Hanqing é um estudante, é professor também?

Nie Yuanzi: Ele é pesquisador, o pai tem 63 anos. Ele se envolveu com especulação comercial.

Jiang Qing: Quem mais errou não foram esses indivíduos. O problema é do grupo, que tem muitos maus elementos, inclusive espiões estrangeiros. Eles ainda fizeram uma relação de mão única.

Nie Yuanzi: Uniram-se à Jianggangshan, a Bandeira Vermelha e a facção de Ling Deng.

Mao Zedong: Essa forma de agir não é boa. A Bandeira Vermelha, a Ling, a Jiang e a Vermelha precisam se organizar de outra forma. São grupos pequenos, mas que podem ferir. Vocês aqui hoje, duas facções do Céu e duas da Terra; duas apoiam a 14 de Maio da Universidade e Qinghua, duas apoiam a Beida (Jianggangshan), as duas Facções do Céu concordam com o “general” Kuai Dafu. Eu não entendi bem o problema entre as facções Céu e Terra, tem tantas escolas envolvidas. Vocês, os cinco líderes, ou seja, Nie Yuanzi, Hou Tanlan, Kuai Dafu, Han Aijing, Wang Dabing, relataram em linhas gerais o que aconteceu. As outras escolas também têm líderes? Mais conhecidos são vocês cinco mesmo. Vocês realizaram muitos trabalhos. Mesmo que tenham cometidos alguns erros, nós protegemos vocês. Com certeza o trabalho de vocês tem muitas dificuldades. Eu não passei pela Revolução Cultural antes, nem vocês passaram. A maioria das escolas não entrou em confronto violento, um menor número sim. As escolas que entraram em confronto tiveram que fechar. Hoje são cinquenta e poucas escolas que lutaram e tiveram feridos: as universidades de Qinghua, Pequim, a Popular, a de Petróleo, a de Engenharia Leve e a de Eletrônica. Por que tem tantas fações separadas? Isso influencia operários, militares, e influenciaram as suas próprias organizações. E por que tem tantas que não se envolveram em confrontos violentos? Por que foram poucos os incêndios? Vocês já pensaram nisso?

Xie Fuzhi: O Presidente Mao tem muito cuidado com vocês, vocês são pequenos generais das Guardas Vermelhas. Vice-Presidente Lin, o Primeiro Ministro, o grupo da Revolução Cultural, e em especial Jiang Qing, todos têm atenção e cuidado com vocês. Eu posso assumir a responsabilidade por esses problemas, não ajudei o bastante vocês, e perante vocês apresento minha autocrítica.

Presidente Mao: Se os grandes institutos de ensino superior da capital não se reportam ao Comitê Central, Nie Yuanzi e outros ficarão ressentidos. Vocês começaram grupos de estudo de novo, mas não foram fazer a Troca de Experiência. Queriam fazer uma reunião sobre a Troca de Experiência, mas não tinham feito a Troca de Experiências direito, isso não está certo. E tentar derrubar Xie Fuzhi também não está certo.

Xie Fuzhi: Eu recebi muita ajuda também.

Presidente Mao: Em Pequim vocês estão acostumados a isso: hoje quer derrubar um, amanhã quer derrubar outro.

Lin Biao: Então uma grande tempestade veio e derrubou a política de ‘derrubar’. Agora os cartazes estão cada vez maiores mas têm cada vez menos conteúdo.

Presidente Mao: Até as crianças estão pegando cartazes para vender papel. Vendem um quilo de papel por alguns trocados.

Xie Fuzhi: Sete centavos por meio quilo. Tem crianças ganhando dinheiro de verdade!

Presidente Mao: Eu não acredito totalmente nisso! Chineses tem uma qualidade: fala seu ponto de vista. Falar que a Troca de Experiências[5] é boa, mas não praticar nada, não é nada bom. As pessoas ainda estão fazendo Troca de Experiências. A facção Derrubar os Três Velhos está fazendo Troca de Experiência, e aqueles que se opuseram a eles também estão. Por que alguns não estão fazendo Troca? Por que as facções Céu e Terra não podem trocar entre si experiências? Eu digo que podem trocar um pouco de experiências. Você não fala para uma boa pessoa ir trocar experiências, as pessoas ruins vão trocar experiências. Você não fala para a maioria ir trocar experiências, a maioria é boa; mais de noventa por cento das pessoas são boas, as pessoas ruins são uma pequena minoria.

Jiang Qing: Através da Troca de Experiências vocês podem unificar alguns de seus pontos de vista, e descobrir quem amigos e inimigos.

Huang Zuozhen avisou que Kuai Dafu tinha chegado.

Kuai Dafu (entrando, chorando e suplicando ao Presidente): Presidente, nos ajude! Socorro! Uma Mão Oculta chamou milhares de operários que de repente cercaram e invadiram a Universidade de Qinghua. Nós tentamos conversar com eles, mas eles não querem conversar! Quando um estudante sai, eles o pegam e levam embora em uma das caminhonetes. Nós não podemos atacar os operários, estamos perdidos!

Han Aijing (com os olhos cheios de lágrimas): Não fale besteira! Os trabalhadores e o exército, foi o Presidente Mao que enviou!

Presidente Mao (levantando a mão): Você queria pegar a Mão Oculta, a Mão Oculta sou eu. Eu que mandei os operários virem. Não tinha outra maneira de lidar com você. Nós nos simpatizávamos mais com a sua facção, porque afinal não posso aceitar o que diz a 14 de Abril sobre a “vitória certa”. A ideia principal de Zhou Quanying é de que aqueles que conquistam o poder não podem governar, nessa lógica você deveria transferir seu poder para a 14 e Abril. Nós tínhamos pedido aos trabalhadores para fazer trabalhos de propaganda, mas você recusou. Você sabia muito bem quantas pessoas viriam para fazer propaganda, Huang Zuozhen e Xie Fuzhi falaram com você. Não tínhamos outra alternativa. Os trabalhadores estavam com as mãos vazias, mas você ainda assim os rejeitou, você os atacou, matando e ferido. No caso da Beida, nós éramos mais de acordo com o grupo de Nie Yuanzi. Éramos mais inclinados a concordar com vocês, cinco grandes líderes, mas como vocês podem dizer que não sabiam quem enviou dezenas de milhares de trabalhadores à Qinghua? Se não foi por ordem do Comitê Central, como eles ousariam vir? Vocês foram muito passivos. A 14 de Abril, ao contrário, recebeu bem os trabalhadores. E vocês, da Jinggangshan não os recebeu bem, e isso foi um erro.

Kuai Dafu: Não pode ser! O Presidente sempre que envia o Exército não permite confronto violento! Ninguém traz armas, nem bate, nem ofende, separa quem estiver brigando. Como é que dessa vez levaram dos nossos?

Presidente Mao (para Xie Fuzhi e Wen Yucheng): Levaram pessoas? Quem permitiu vocês levarem alguém? Liberem todos já!

Kuai Dafu: Levaram também Bao Zhangkang.

Presidente Mao: Liberem todos já! E levem Bao Zhangkang direto para a porta da Assembleia Popular.

(Kuai Dafu soluçava, o seu sentimento contaminou toda a atmosfera do lugar. O Presidente Mao é uma pessoa que se comove com facilidade. Ele tinha lágrimas nos olhos. Jiang Qing também chorava)

Jiang Qing de novo: Kuai Dafu, acalme-se… Não precisa se emocionar. Kuai Dafu, não precisa de emocionar, pode sentar.

Mao Zedong (para Huang Zuozhen): Você se chama Huang Zuozhen sim? É de onde?

Huang Zuozhen: Sou de Jiangxi, de Ningdu.

Presidente Mao: Ora vejam só! Ouvi tanto de você. Parece que o que o camarada Huang Zuozhen falou não serviu de nada, que o que Xie Fuzhi falou também não conta, nem o que o Comitê Revolucionário municipal declarou. Que acha: o que nós do Comitê Central falamos, conta ou não? Eu tive que virar a Mão Oculta. Kuai Dafu, você queria pegar a Mão Oculta, a Mão Oculta sou eu. Pode me pegar e me prender na Guarda Nacional.

Xie Fuzhi: Levantem a mão vermelha! Divulguemos o Maoísmo! Todos apoiamos!

Presidente Mao: Tem quatro métodos. Quais são?

Yao Wenyuan: Controle militar, o “um se divide em dois”, o debater-criticar-dispersar, e o lutar de verdade.

Presidente Mao: O primeiro é o controle militar, o segundo é o “um se divide em dois”, o terceiro é debater-criticar-dispersar; vocês não estão nem debatendo, nem criticando, nem deixando as coisas seguirem seu curso. Já estão em conflitos violentos há quatro meses?

Zhou Enlai: Começou o ano passado.

Presidente Mao: O quarto método seria começar um confronto, atacar a todos, mandar os operários embora e devolver as armas para vocês – fazer um grande confronto como o que aconteceu em Sichuan. Eu não tenho medo de guerra, até me animo. Mas que tipo de luta é essa que Pequim está planejando, com armas frias caseiras e alguns tiros aqui e ali. Em Sichuan sim, fizeram um confronto de verdade, de cada um dos lados tinham dezenas de milhares de pessoas, tiros e bombas. Ouvi dizer que usaram até comunicação sem fio… Depois faremos grandes anúncios e propagandas: “se não cumprirem as ordens serão entendidos como contrarrevolucionários! … serão presos ou cercados e destruídos”.

Jiang Qing: Em Guangxi estão cercados por dois meses já.

Zhou Enlai: Vocês não pensaram nisso? Em Guangxi, porque o anúncio do Presidente Mao fala de organização estratégica militar? Porque ele falou em “ocupar-se com as grandes questões do Estado”? Vocês cinco não se uniram para as suas declarações, para realizar os trabalhos.

Presidente Mao: Eles estavam ocupados!

Zhou Enlai: Isso é que era ocupar-se das grandes questões do Estado!

Presidente Mao: Não podem se separar em facções!

Jiang Qing: Esperamos que vocês se unam, não devem estar separados em Facção Céu, Facção Terra, facção isso, facção aquilo… todas as facções são maoistas!

Presidente Mao: Não devem mais se separar em facções; uma facção já é o bastante, por que dividir-se em várias facções? Já tem dificuldades o suficiente.

Chen Boda: Não conseguimos desenvolver a Reforma da Educação.

Presidente Mao: Se não desenvolvermos a Revolução da Educação, nada pode andar para frente, menos ainda vocês… isso é porque o velho sistema danificou vocês. E por que a Revolução da Educação não está se desenvolvendo? Camarada Chen Boda estava ansioso na reunião do Comitê Central; eu disse a ele que não precisa ficar ansioso: daqui a alguns anos, ninguém estará mais aqui, então vale de alguma coisa? Do meu ponto de vista, se temos alguns problemas, e não conseguimos fazer a Revolução na Educação, então o melhor é dispersar. Isso é o que os estudantes dizem, não estou me baseando na sugestão daqueles que estão desengajados. Agora, vamos resolver algumas destas questões, as coisas como estão não são corretas. Fazer uma “pequena guerra civil” é totalmente desnecessário. Ora, se o quarto método diz que se for lutar é para lutar as grandes guerras.

Yao Wenyuan: Acredito que em algumas escolas o melhor é debater-criticar-dispersar, ou debater, criticar e ir embora.

Presidente Mao: Uma volta do planeta Terra faz um ano, dez voltas fazem dez anos. Se se separa em facções desse jeito, mesmo que eles não queiram dispersar, devem dispersar. E se quiserem lutar, que seja em grandes guerras, e assim pelo menos deixariam o lugar livre. Então as pessoas poderiam vir estudar de forma autodidata, escrever romances. Porque para estudar Literatura, é preciso escrever poemas, peças de teatro. Aqueles que estudam Filosofia precisam escrever sobre a história das pessoas, a história dos lugares, dos processos revolucionários. Aqueles que estudam Economia Política não devem aprender com os professores da Universidade de Pequim. A Universidade de Pequim tem que professores famosos? Esse tipo de coisa não se aprende só com professores. Aprender só com professores é um método de estudo danoso. Formem um grupo, estudem sozinhos, façam uma universidade de autodidatas. Façam isso por meio ano ou um ano, talvez até dois ou três anos. Não devem fazer provas, as provas não são bons métodos. Se fazemos uma prova com dez perguntas sobre um livro que tem cem pontos de vista, não cobriríamos só dez por cento? Mesmo se você acertar as dez questões, que acontece com os noventa por cento que sobrou?… Quem avaliou Marx? Quem avaliou Engels? Quem avaliou Lenin? Quem avaliou o Camarada Lin Biao? Quem avaliou o Camarada Huang Zuozhen? … foram as necessidades do povo! E Chiang Kai-Shek foi também nosso professor. Esse é o caso para todos nós. Professores são necessários nas escolas médias, mas tudo deve ser simplificado e o supérfluo eliminado.

Yao Wenyuan: Fazer mais boas bibliotecas.

Presidente Mao: Deixar que operários, militares e camponeses também tenham tempo para frequentar. Estudar na biblioteca é um bom método. Em Hunan, eu estudei na biblioteca por um semestre, e na Universidade de Pequim por mais um semestre. Eu escolhi os livros eu mesmo. Quem me ensinou?… Universidades hoje não têm dinamismo. Deveria haver mais liberdade.

Jiang Qing: Agora vocês estão lutando com armas.

Presidente Mao: Lutar com armas tem duas vantagens: a primeira é que se aprende a manejar armas, a segunda é que na guerra as pessoas ruins se revelam. Mas é preciso fazer uma análise total da luta: a sociedade não muda só por causa da vontade das pessoas. Desta vez os operários interviram; se não der certo, pedimos para eles ir embora e aí vocês poderiam continuar no conflito por mais dez anos. Mesmo assim o planeta continuaria girando. O céu não iria desabar. Ainda assim, o conflito deve terminar agora.

Jiang Qing: Nós realmente nos preocupamos com vocês. Falaram besteiras dizendo que agora os estudantes não seriam mais necessários. Nós queremos vocês! Vocês às vezes até que nos escutam. Alguns nos escutam, outros deram as costas. Mas o que eu não entendo são as coisas que vocês fazem pelas nossas costas.

Presidente Mao: Se continuarem a não nos ouvir, nós usaremos este método: os operários levantarão a Mão Oculta, intervirão. O proletariado que vai intervir.

(Nie Yuanzi pede que uma tropa do Exército Popular da Libertação vá a Universidade de Pequim)

Presidente Mao: Você quer o que é do seu gosto, não? Tem que a Tropa 63, as outras você não quer. Pode ser a Tropa 38? Se a Tropa 38 concordar com a Nova Beida (Jianggangshan), eu envio deixo eles virem. Mas aí você vai ter que trabalhar com a Tropa 38.

Jiang Qing: Nie Yuanzi, você teria que trabalhar junto com a Tropa 38. Vocês a receberiam bem?

Presidente Mao: Se for metade da Tropa 38 e metade da Tropa 63. A Tropa 38 não me parece tão ruim quanto vocês dizem. Se tiver erros, a causa está em Yang Chengwu. O Quartel de Pequim fez duas reuniões, a primeira não foi muito boa, a segunda foi um pouco melhor. Zheng Weishan fez um relatório. Tan Houlan, na verdade você atacou direto Nie Yuanzi, não foi? Você, Tan Houlan, uma garota ainda, atacado dessa forma, deixou Zheng Weishan muito nervoso. Ainda bem que Zheng Weishan não estava em Pequim, tinha ido à montanha Baoding resolver alguns problemas. Nós tínhamos nos encontrado com ele. Nenhuma tropa sabia dizer se este general era bom ou ruim, o que assustava a todo mundo. Ele não causou problemas para você, Tan Houlan?

Tan Houlan: Não é isso. Os estudantes é que não estão de acordo com ele sobre alguns pontos.

Presidente Mao: Isso que aconteceu tem causas históricas, tem alguma história, essas coisas não são fortuitas, não nascem de repente.

Chen Boda: Eles precisam aprender com o presidente, seguir firme as suas instruções.

Presidente Mao: Não diga que são instruções.

Chen Boda: Na primeira metade de 1966 as coisas estavam um pouco melhores. A Universidade de Pequim teve grande influência sobre todo o país, mas isso gerou poucos confrontos, foi uma tempestade sem incêndios, fazer tempestades durante a Revolução está certo. Mas agora os cérebros cresceram, mas não dão conta de pensar por si mesmos. Parecem que querem controlar o país inteiro. Kuai Dafu e Han Aijing querem intervir em tudo, mas não têm conhecimento nem cultura suficiente.

Presidente Mao: Eles têm só vinte e poucos anos. Não despreze as pessoas de vinte anos. Zhou Yu antes era um soldado da cavalaria, ele com 16 anos já era um chanceler do Reino Wu. Não se deve desconsiderar a idade deles, nem bancar o veterano.

Jiang Qing: Nós com menos de vinte anos começamos a fazer parte da Revolução.

Presidente Mao: Não fiquem tão cheios de si. Quem fica cheio de si acaba inchado, cheio de edemas.

Chen Boda: Han Aijing não ponderou o suficiente sobre o Maoismo e sobre as declarações do Comitê Central. Passou adiante fofocas, fez reuniões secretas. Se uma pessoa quer ficar na frente de todos, pode andar por caminhos muito perigosos.

Presidente Mao: A primeira questão é o meu próprio burocratismo, não consegui ver vocês nem uma vez antes de hoje. Se eles não quisessem capturar a Mão Oculta, eu não os teria convidado. Kuai Dafu, você precisa acordar para a realidade.

Chen Boda: Kuai Dafu, você precisa acordar, está na beira de um precipício. Desça do cavalo antes de despencar! Admita seus erros!

Presidente Mao: Não ordene “admita seus erros”.

Chen Boda: Kuai Dafu não respeitou os operários. Se continuar dessa forma sem escutar, não respeitará o Comitê Central, e não respeitará o Presidente Mao. Essa é uma estrada perigosa.

Presidente Mao: É um perigo considerável. Desta vez cometeu erros e alguns crimes.

Zhou Enlai: O Presidente Mao já tinha falado há muito: estão cometendo erros e alguns crimes.

Lin Biao: Kuai Dafu, nós falamos com a Guarda Nacional e com o Comitê Partidário de Pequim sobre as suas atitudes, e você disse que não entendia a postura do Comitê Central. Então hoje o Presidente Mao veio pessoalmente cuidar de vocês, fez o que era mais importante, mais correto, veio ensinar o mais importante. Se vocês não derem ouvidos, serão considerados criminosos. Vocês das Guardas Vermelhas tiveram um papel muito importante na Revolução Cultural em todo o país. Agora muitas escolas em todo o país estão se unindo, e vocês estão ficando na retaguarda, devem se apressar, vocês não prestaram atenção nas necessidades de cada fase do movimento.

Presidente Mao: O grupo que se opõe ao de Tan Houlan tem só cerca de 200 pessoas, mas ainda não pôde ser vencido. As outras escolas têm uma oposição maior, como se poderá vencê-los? Cao Cao usou a força para submeter Sun Quan [personagens históricos], foi derrotado. Liu Bei também usou a força para tentar submeter Sun Quan, e perdeu a Guerra de Jieting. Si Mayi quis derrotar Zhu Geliang e também não conseguiu, foi derrotado, no fim de uma longa luta ficou só com um cavalo.

Lin Biao: Vencer as facções capitalistas é uma coisa boa. Assim como a luta contra os monstros que ainda estão na cultura e nas artes. Mas agora ainda há algumas pessoas que não fazem isso. Especialmente quando estudante luta contra estudante, povo contra povo. A maioria deles são filhos de operários e camponeses, aproveitados por pessoas ruins. Algumas pessoas são contrarrevolucionárias, ou eram militantes que começaram a revolução e pouco a pouco perderam a energia, quase caminham na direção oposta. Algumas pessoas subjetivamente querem a revolução, mas objetivamente caminham para um sentido inverso. É só uma pequena minoria de pessoas que subjetivamente não querem a revolução. Vocês se afastaram do povo.

Presidente Mao: Operários, camponeses e soldados são mais de noventa por cento do país, Entre vocês, estudantes, mais de noventa por cento são bons. Os que querem fazer uma guerra civil são poucos, em Pequim, por exemplo, esse tipo de conflito ocorreu só em seis universidades.

Xie Fuzhi: Na Universidade de Qinghua tem vinte mil estudantes, e menos de cinco mil se envolveram em confrontos violentos.

Lin Biao: E aqueles que não participaram dos confrontos não concordam com isso.

Presidente Mao (para as guardas vermelhas): É, eles também subiram nas costas do tigre, e depois para descer não é fácil. Kuai Dafu já pode descer! Quando descer, pode continuar a ser membro do Partido, mas também tem que ir vivenciar a vida do povo. Kuai Dafu precisa aprender a receber bem o operário.

Xie Fuzhi: Os operários não tinham nada de ferro nas mãos. Só tinham três armas: o livro de citações do Presidente Mao, as novas diretrizes do Presidente Mao e a Circular de 3 de Julho.

Kang Sheng: As armas usadas na Qinghua foram dadas pela Universidade de Aeronáutica, e ainda foram usados dois carros armados que foram enviados para apoiar a Qinghua. Parece que o Kuai Dafu é um comandante e Han Aijing é comissário.

Han Aijing: Não foi assim! Não foi não! A Guarda Nacional já foi até nós diversas vezes para inspecionar: nenhuma arma foi usada!

Xie Fuzhi: Ah então você acha que está sempre certo, não fez nada de errado!… Eu fiz diversas críticas a você, e você não aceitou nenhuma. Você tampouco fez alguma autocrítica.

Chen Boda: Devemos recolher as armas dele, não?

Han Aijing (para Mao Zedong): Presidente, eu tenho um pedido: dê a nossa facção uma tropa do Exército da Liberação para me supervisionar e atestar. Muitas dessas coisas não aconteceram desse jeito. Eu amo Kuai Dafu. Eu também sei que se tenho uma boa relação com ele e já que trabalhamos tanto juntos, muitas coisas estão implicadas, mas eu acho que estou me dedicando a ajudar Kua Dafu para não o deixar tropeçar no palco da política. O destino dele e o destino de todas as guardas vermelhas do país estão ligados. Dê a nossa facção uma tropa do Exército da Liberação, e assim tudo ficará mais claro.

Chen Boda: Não tem espírito de autocrítica.

Jiang Qing: Eu errei. Eu mimei vocês. Xie Fuzhi, você também foi condescendente, mimou eles. Agora precisamos de um pouco de rega. Usemos o que propõe o Presidente Mao.

Presidente Mao: Não precisa ficar criticando o tempo todo! Yang Chengwu é uma figura central, o Comitê de Tecnologia e Defesa é um órgão central, e Yang Chengwu é uma figura central nesse departamento. Podem fazer milhares de centros no país inteiros, se todos forem centros, o centro não existiria. Se todas as pessoas se considerassem na posição mais alta, que centro poderia existir?

Jiang Qing: Han Aijing, eu fiz diversas críticas a você, e você ainda não se posicionou.

Presidente Mao: Não é para só criticar! Vocês sempre responsabilizam alguém, mas nunca a si mesmos.

Jiang Qing: O que eu quero dizer é que ele não tem espírito de autocrítica.

Presidente Mao: Gente muito jovem não sabe ouvir críticas, ele parece um pouco eu quando eu era jovem. Jovens são muito subjetivistas, e isso pode ferir. Só sabem criticar os outros.

Jiang Qing (para Kuai Dafu): Kuai Dafu, pode sorrir. Fique tranquilo, não precisa ficar assim nervoso. Kuai Dafu, você falou que os operários levaram a Chen Yuyan, ela já foi solta? Chen Yuyan é uma garota, deve ser protegida.

Kuai Dafu: Chen Yuyan já está na Faculdade de Aeronáutica dormindo…

Presidente Mao: Vocês queriam pegar a Mão Oculta, a Mão Oculta sou eu. Não tem outro jeito de lidar com vocês. Eu não posso aceitar a teoria da 14 e Abril da “vitória certa”. Mas é preciso lutar por persuadir o grupo que está com eles, inclusive alguns dos líderes. A ideia subjetivista de Zhou Quanying é “quem toma a montanha não pode ocupar a montanha”, e fala que Kuai Dafu só poderia tomar o poder se depois passar a liderança para a 14 de Abril. Nós chamamos o grupo de propaganda operário para fazer uma campanha, e vocês recusaram. Huang Zuozhen e Xie Fuzhi fizeram conferências. Mesmo assim não teve jeito. Os operários estavam desarmados. E vocês também recusaram, feriram e mataram operários. É semelhante à situação na Universidade de Pequim. Nós também tendemos a estar de acordo com Nie Yuanzi e com vocês, os cinco líderes. Ora, pensem: dez mil pessoas vão para a universidade de Qinghua, se não foi o Comitê Central que os enviou vocês acham que eles ousariam? Vocês são muito passivos! A 14 de Abril, a oposição, os recebeu bem. A Jianggangshan da Universidade de Qinghua não os recebeu bem. Vocês são do contra. Hoje não vieram representantes da 14 de Abril nem da Beida (Jianggangshan). O pensamento da 14 de Abril não é correto. A Beida (Jinggangshan) e a Bandeira Vermelha são facções em que têm muitas pessoas ruins. Na facção de Nie Yuanzi, há um pouco mais de pessoas boas.

Nie Yuanzi: Wang, Guan e Qi interviram um pouco.

Presidente Mao: E opor-se a Wang, Guan e Qi tem o que de bom? Mas quando vocês fazem a Troca de Experiências, eu não posso proibir. Han Aijing e Kuai Dafu, vocês são bons amigos, sim? Continuem a ser bons camaradas. Han Aijing daqui para frente precisa ajudar ele a realizar melhores políticas. Agora a 14 de Abril está contente porque acha que o Qinghua (Jianggangshan) vai perder. Mas eu não acredito, eu vejo que a Jianggangshan continua sendo a montanha Jianggangshan. Eu subi as montanhas Jianggangshan alguns anos atrás. Mas aqui não estou falando de você, “velho buda”, e da sua Beida (Jinggangshan).

Yao Wenyuan e Xie Fuzhi: Estamos falando das montanhas Jianggangshan da Revolução.

Jiang Qing: Vocês não devem se fazer de desamparados.

Presidente Mao: Parece que muitos dos que bateram nos operários não são parte dos seus grupos, vieram de fora…

Zhou Enlai: Na base de vocês ainda tem pessoas?

Kuai Dafu: Tem.

Presidente Mao: Hoje de noite vocês devem dormir. Vocês ainda não dormiram. Kuai Dafu se você não tiver lugar para dormir, pode ir até a base de Han Aijing e dormir lá, estará protegido. Han Aijing proteja bem ele. Vocês devem ir juntos, podem ir todos à base de Han Aijing, descansem um pouco, e depois façam uma reunião.

Zhou Enlai: Han Aijing, você pode ajudá-lo a pensar num método.

Presidente Mao: Kuai Dafu, você foi muito desastrado. Nós demos uma escada para você descer, e você ainda assim não desceu. Se vocês se opõem desse jeito contra o Comitê Central, não escutam Huang Zuozhen, não escutam Xie Fuzhi, não ligam para as reuniões no Comitê Revolucionário municipal, então o Comitê Central teve que sair e estender a Mão Oculta, manobrar a revolução e limitar o conflito. A propaganda foi tão grande, fez tanto barulho, e mesmo assim vocês não escutaram. Vocês se distanciam do povo, se afastam de operários, camponeses e soldados, se afastam da maioria dos próprios estudantes sob sua liderança. Os estudantes que sob sua liderança disseram que vocês muitas vezes declararam muitas coisas ruins. Por muito tempo não mandaram notícias.

Wu De: Ontem eu tentei falar com Kuai Dafu, mas ele não escutou.

Presidente Mao: A 14 de Abril recebeu bem os operários, e vocês da Qinghua (Jianggangshan) foram desastrados demais, muito passivos. É verdade que eu não concordo com a 14 de Abril.

Jiang Qing: A 14 de Abril tinha me atacado.

Presidente Mao: Eles são um peso morto. Tinham cortado até a energia elétrica em diversos lugares. E mesmo sem saber de nada, eles receberam bem os operários naquela hora. E vocês foram os desastrados, porque no fim foi a 14 de Abril que recebeu bem os operários.

Jiang Qing: E ainda os membros da 14 e Abril disseram que Kuai Dafu é de falsa esquerda, e que Chen Ruhuai (líder da 14 de Abril) é de falsa direita. Mesmo se a Universidade de Qinghua fizer a Unificação, sem Kuai Dafu não vai ter jeito.

Presidente Mao: Kuai Dafu, você poderia ser o líder da universidade? Assim a segunda pessoa da Qinghua Jinggangshan e a primeira pessoa da 14 de Abril, Chen Ruhuai, pode ser o vice-líder.

Kuai Dafu: Não posso ser o líder, eu não consigo.

Presidente Mao: Ainda assim precisam se unir, e é preciso que tenha Kuai Dafu, sem ele não daria certo. Assim teria Kuai Dafu da Qinghua Jianggangshan, um de falsa esquerda, e Chen Ruhuai, da 14 de Abril, um de falsa direita.

Jiang Qing: Agora pelo menos vocês cinco sabem o que fazer. Antes de tudo, não importa a situação, não podem usar a violência.

Presidente Mao: Primeiro, a coordenação militar, segundo, o “um se divide em dois”. Dois, ou seja, de um lado a 14 de Abril e de outro você, Kuai Dafu. Terceiro, debater-criticar-dispersar. Isso tudo foi proposto pelos estudantes, e eles não querem fazer. Vocês não estão nem debatendo, nem criticando, nem transformando, só usam a energia para fazer guerra civil, fizeram esse tipo de conflito por meses já. Uma quarta maneira é chamar os operários para virem aqui e devolverem as armas para vocês, se querem um conflito armado, que seja um grande conflito. Ora, a luta com palavras deve ou não ser feita? Claro que deve ser feita. Quanto ao modo de fazer, deve-se pesquisar um outro método, o método do passado só fez crescer o revisionismo.

Hou Tanlan:  Universidade de Magistério [Shifan] ainda continuará?

Presidente Mao: Não. Quem ensina para o segundo grau? Quem ensina na escola técnica? Se não tiver o Instituto de Línguas Estrangeiras, como pode ser? Um sopro de vento não adianta, soprar uma ventania por vários anos poderia sim, o céu não iria desabar. A Grande Guerra europeia durou anos, e durante esse tempo não só as universidades, mas também as escolas de ensino médio e de ensino básico ficaram comprometidas. Foi uma situação assustadora.

Jiang Qing: Mudar é uma tarefa muito difícil, vocês não estão dando conta.

Presidente Mao: O conhecimento não se aprende na escola. Lin Biao não disse agora mesmo? Onde eles estudaram para se tornarem assim cultos? Poderia ter sido na Universidade de Huangpu? Huang Yongsheng estudou por um ano e meio. Wen Yucheng, você teve sorte, estudou por três anos. Você é de Huang Gang? E aprendeu uma boa quantidade de palavras. A sociedade é a maior das universidades. Como poderia dar qualquer resultado ficar sentado ali num prédio? A sociedade inteira é a maior universidade. Lenin estudou na universidade um ano e meio, Engels não terminou o ensino médio. Nós dois estudamos mais que Gorki, ele só estudou dois anos. O matemático Hua Luogeng era um simples estudante de segundo grau, estudou sozinho. Os idealizadores do satélite soviético que chegou ao espaço eram estudantes secundaristas. O inventor da máquina a vapor era um operário e não um professor universitário, um operário. Eu vejo que alguns de nossos jovens estudam por mais de dez anos e isso os destrói, não conseguem mais nem dormir. Um jovem pode estudar história, mas não entende de conflito de classes – mas a história é a história das lutas de classes. Mesmo assim pode ser que se estude por vários anos e ainda assim não se entenda a luta de classes.

Jiang Qing: Ler aqueles livros grossos, dezenas deles. Mas os livros de Marx, Engels e do Presidente Mao todos se tornaram referência para provas, materiais complementares. São sempre os livros daqueles professores que são o material fundamental.

Presidente Mao: Seis anos de ensino fundamental é tempo demais, seis anos de ensino médio é tempo demais, um desperdício. Não se deve fazer provas, provas servem de quê? Seria bom se não tivessem provas e avaliações, se todas fossem abolidas e o sistema mudasse totalmente. Quem avaliou Marx, Engels, Lenin, Stalin; quem avaliou o camarada Li Biao, quem me avaliou? Camarada Xie Fuzhi, leve todos eles (os estudantes) de volta, todos devem voltar ao campus. Pode ser um pouco rígido, só não deverá forçá-los. Leve também os da 14 e Abril ao campus. Não é certo deixar os da Qinghua Jinggangshan de fora. Traga todos da Qinghua Jinggangshan para o Grande Salão do Povo. Os líderes da 14 e Abril devem ser tratados de forma diferenciada.

Han Aijing: Presidente, eu gostaria de fazer uma pergunta: se depois de dez anos, ou depois de cem anos, tiver uma guerra civil dentro da China, se um disser que é maoísta e o outro também disser que é maoísta, e o conflito tomar grandes proporções, o que fazer?

Presidente Mao: Essa é uma ótima pergunta. Han Aijing você ainda é jovem, mas sobre a pergunta que você me fez, eu posso te dizer que se isso acontecer também não será algo tão importante. Nos últimos cem anos, aproximadamente, a Dinastia Qing guerreou por vinte anos, lutou contra Chiang Kai-Shek mais de dez anos. No Partido Comunista chinês surgiram Chen Duxiu, Li Lisan, Wang Ming, Bo Gu, Zhang Guodao, Gao Gang, Liu Shaoqi, e muitos outros. Acontecer todas essas experiências foi ainda melhor que ter Marx.

Lin Biao: Tem também o maoísmo.

Presidente Mao: É melhor ter ocorrido a Revolução Cultural do que não ter ocorrido a Revolução Cultural. Mas nós devemos garantir que haja melhoras. Vocês devem estar junto com o povo, estar junto com os produtores, ajudá-los a se purificar. Enquanto houver povo, está bom. Mesmo que Lin Biao e todos a seu redor desapareçam, o povo da China não poderia desaparecer, não dá para fazer sumir todo o povo chinês – então se tiver o povo, está bom. Devemos ter medo é de nos afastarmos dos operários, dos camponeses, dos soldados, dos produtores, da realidade, de não sermos vigilantes o suficiente contra o Revisionismo. O Revisionismo vem quando menos se espera. Vejam que Zhu Chengzhao foi comandante por alguns dias e logo quis fugir para o exterior e conservar a autoridade dos próprios parentes, não trabalhava mais pela Revolução. Ou Nie Yuanzi, que atacou o irmão e a irmã porque eles a tinham atacado. Sua irmã não é uma má pessoa, Nie Yuanzi, por que eles seriam obrigados a se unir a você?

Zhou Enlai: O meu irmão Zhou Yongai se envolveu com Wang [Wang Li], Guan [Guan Feng] e Qi [Qi Benyu]. Eu mesmo o detive no Departamento de Segurança.

Presidente Mao: Meu pai também não era muito ilustrado. Talvez hoje se estivesse aqui também teria passado pelo “castigo do jato”.

Lin Biao: O irmão mais novo de Lu Xun foi um grande traidor.

Presidente Mao: Eu mesmo não sou muito ilustrado. Confiava em quase tudo que lia. Depois estudei mais sete anos, inclusive estudei um semestre sobre capitalismo no curso secundário, mas era um ignorante sobre Marxismo. Não tinha ouvido falar em Marx, só em Napoleão e Washington. Na verdade, estudar numa biblioteca é melhor que fazer aula, é só levar um lanche e pronto. Os dirigentes da biblioteca todos me conheciam.

Chen Boda: Han Aijing, você já levantou essa questão antes. Mas se tem Lin Biao, esse grande sucessor do Presidente Mao, se tem o Pensamento do Presidente Mao, eu não temo o Revisionismo.

Presidente Mao: Se não der para garantir esta Revolução Cultural, então depois não se deve fazer outra Revolução Cultural. Ainda vão acontecer muitas reviravoltas. Não dá para afirmar como será um próximo período. Terão muitos novos períodos. Eu digo que a Fábrica de Máquinas de Shanghai pode ser um novo período. Fazer a Revolução Cultural só uma vez não é o suficiente.

Yao Wenyuan: Mao Zedong já falou sobre essa questão.

Zhou Enlai: O camarada Lin Biao estudou muito bem os textos do presidente Mao, até os princípios do Marxismo-Leninismo que não foram bem compreendidos na União Soviética, o camarada Lin Biao aprendeu bem.

Presidente Mao: Se no Partido nasce um Chen Duxiu, isso significa que não tem mais Partido? Se o Partido comete um erro, ainda assim o Partido existe, ainda tem a Revolução, o exército ainda deve avançar e melhorar. A 4ª Tropa [do Exército Vermelho] de Wang Ming não se corrigiu por muito tempo, Zhang Weitian militou por dezenas de anos e não aprendeu. Acontecem muitos desastres, quantas vezes ainda acontecerão liberações? O nosso Partido é grandioso e honrado. Não é porque dele saiu um Liu Shaoqi, um Wang Ming, um Zhang Guodao, que não seria mais um Partido grandioso. Vocês são muito jovens e ainda não têm experiência, é natural. Han Aijing, você me perguntou, então eu te respondi. Você não deve pensar que nós temos qualquer coisa de sobrenatural, que se nós não estivéssemos aqui o céu iria despencar.

Jiang Qing: Han Aijing me escreveu diversas cartas onde levantava essa questão. Por que você insiste nessa questão? O problema seria, um, distanciar-se do povo, dois, distanciar-se da prática. Você acaba de chegar ao presente e já se pergunta sobre o futuro, quer tratar de coisas que estão dezenas de anos à frente. E ainda tinha me perguntado quando aconteceria uma outra grande guerra mundial.

Presidente Mao: Pensa tão longe! É uma boa pessoa.  Nós poderíamos morrer de algumas formas: por uma bomba, um vírus, um acidente de trem ou de avião… eu adoro nadar, então poderia também morrer afogado, ou ainda morrer de velhice. Mas poderia também ser um vírus, ou ainda uma bactéria. Bo Yibo está quase para morrer, ouvi dizer também que Liu Shaoqi está muito mal, tem pneumonia, um tipo de doença de coração, infecção renal… ele tem quatro médicos e duas enfermeiras que o ajudam. Parece que já passou pelo pior, vocês sabem alguma coisa?

Todos: Não sabemos.

Yao Wenyuan: A história sempre avança para o progresso, mesmo que de forma tortuosa, o futuro é promissor.  Confie no Pensamento do Presidente Mao, confie no povo. Han Aijing, você é uma pessimista. Não tem confiança no Comunismo.

Han Aijing (para Yao Wenyuan): Eu confio na vitória do Comunismo! Se eu não tivesse confiança no Comunismo, não me devotaria ao Comunismo. Mas eu acho que a história se desenvolve em ondas, não pode ser uma linha reta. É possível que a Revolução Chinesa seja uma linha reta que começa na Revolução Democrática, passa pela Revolução Socialista e chega no Comunismo? Não poderia ser mais complexo? Não acontece como ondas? Segundo a Dialética, existe sempre os desvios.

Presidente Mao: Não existe um progresso em linha reta, a história é tortuosa mesmo. Em 1927 sofremos um revés, e depois duas ou três vezes sofremos retrocessos; depois que vencemos, ainda teve a tentativa de golpe de Gao [Gao Gang] e de Rao [Rao Shushi]. Depois do Congresso de Lushan, teve o problema com Peng Dehuai. Hoje há aqueles que andam pela via do Capitalismo. E ainda tem aqueles que, como Kuai Dafu, declaram que é necessário “destruir totalmente a velha Qinghua”. A 14 de Abril também não está certa, mas a 14 e Abril diz que os professores ainda são bons. Mas vocês dizem que querem destruir tudo. Não se pode atacar pessoas boas. Só algumas poucas pessoas são ruins, e se você explica bem o sentido para elas, elas se convencem. Tragam mais seis ou sete líderes para cá e se reúnam. Mas hoje vão descansar e dormir um pouco. Amanhã faremos uma outra reunião. Hoje vocês estão dispensados, depois podem vir de novo.

Han Aijing (dando a mão ao Presidente Mao): Presidente, eu sempre me dedicarei à luta na sua linha revolucionária.

Kuai Dafu (dando a mão ao Presidente Mao): Presidente, agradeço ao senhor. Desejo a você uma vida longa pela eternidade.

Presidente Mao (quando estava indo embora, voltou-se e falou aos líderes do Comitê Central): Eu estava indo embora, mas ainda não estou tranquilo, temo que vocês repreendam de novo a Kuai Dafu. Não é para repreendê-los de novo.

[1] Este documento foi originalmente publicado sob o título召见首都红代会负责人的谈话 (Zhaojian shoudu hong dai hui fuzeren de tanhua, Conversa entre as pessoas responsáveis e representantes das Guardas Vermelhas da Capital), nas páginas 687 a 716 do volume intitulado 毛泽东思想万岁(Mao Zedong sixiang wangsui, Vida Longa ao Pensamento de Mao Zedong), editado em 1969. O volume “Vida Longa ao Pensamento de Mao Zedong” é uma publicação não-oficial atribuída a uma organização de Guardas Vermelhas não identificada, que contém a maioria dos textos de Mao do período da Revolução Cultural. A coletânea é apresentada por Alessandro Russo no artigo “A cena conclusiva…”, o qual integra esta mesma edição. O texto utilizado como base para esta tradução integra uma edição eletrônica do livro “Vida Longa ao Pensamento de Mao Zedong”, e foi comparado com outras versões do documento transcritas em arquivos eletrônicos de documentos da Revolução Cultural e com a tradução realizada por Alessandro Russo. O documento é uma transcrição de uma reunião realizada em 28 de julho de 1968.

[2] Rud Eric Paixão é graduado em História e cursa Letras Mandarim, Andrea Piazzaroli Longobardi é Doutoranda em História Econômica, ambos na Universidade de São Paulo.

[3] N. T.: Por ser uma transcrição de diálogo, o documento é caracterizado pelo registro oral do mandarim. A utilização da cadência e de expressões características da oralidade, o que incluía referências literárias e históricas, é também uma opção política feita por Mao Zedong e outros líderes maoístas do Comitê Central. Já desde a década de 30, quando o Partido Comunista Chinês se formava nas Bases Vermelhas das Montanhas de Jinggangshan, os discursos de Mao Zedong eram marcados pela forma e humor característicos das conversações populares. Essa escolha política deve ser contextualizada em um país em que a língua escrita e a língua oral são profundamente – e intencionalmente – diferentes. Tal diferença havia servido justamente para a manutenção de dispositivos jurídicos de governo e de controle por parte das classes imperiais. Deve-se ter em consideração também que a linguagem oral, na China, muitas vezes pode ser verdadeiramente erudita, mesmo que articulada por uma pessoa que não sabe ler ou escrever.

A presente tradução procurou manter o sentido e o humor das frases ditas, sempre que possível preservando sua forma original, mas por vezes utilizando-se de expressões da língua portuguesa brasileira a fim de manter a entonação e o ritmo da linguagem.

[4] N. T.: A palavra “rebeldia” (造反 zaofan) – e suas variantes “rebelde”, “rebelar-se” – foram utilizadas a partir de julho de 1966, para identificar os militantes que se opunham à política de controle direto dos movimentos populares pelo Partido. Em julho de 1966, Deng Xiaoping, Liu Shaoqi e outros seus aliados enviaram os chamados Grupos de Trabalho para realizar uma espécie de “tutela” do movimento estudantil nascido nos meses precedentes. Os Grupos de Trabalho representavam uma política que fundamentalmente defendia que a mobilização popular não poderia ocorrer fora do Partido. Em agosto de 1966, entretanto esses Grupos tinham falhado por não terem encontrado legitimação de sua autoridade na maioria dos militantes. A Circular dos 16 Artigos de 8 de agosto de 1966 (documento traduzido também nesta edição), foi o marco da derrota dos Grupos de Trabalho e do consequente agravamento da crise de Liu Shaoqi e Deng Xiaoping dentro do Comitê Central. Os “rebeldes”, de uma forma geral, eram considerados maoistas e opositores das políticas defendidas por Liu Shaoqi e Deng Xiaoping.

[5] A Troca de Experiências (串连, chuanlian) foi uma política criada no início da Revolução Cultural, em 1966, com o objetivo de estimular o intercâmbio entre estudantes e trabalhadores do campo e da cidade na China. Até janeiro de 1967, essa política previa o transporte gratuito dos estudantes para qualquer parte do país, além de garantir a eles alimento e hospedagem nas Unidades de Produção urbanas e Comunas rurais. A Troca de Experiências foi criada com o objetivo de “ampliar a visão de mundo” dos estudantes, promovendo um “estágio” que lhes garantisse o entendimento da prática e do trabalho, os quais estariam ligados à teoria que aprendem numa instituição escolar. Além disso, a experiência pretendia um intercâmbio de trabalhadores com os estudantes a fim de renovar práticas de trabalho e de organização política. A Troca de Experiências entrou em crise durante a Tempestade de Janeiro (1967), em Xangai, quando, pela primeira vez, trabalhadores industriais se mobilizaram para deixar seus postos de trabalho e participar de manifestações em outras cidades. De fato, a Troca de Experiências não era, em princípio, delimitada a estudantes, mas a mobilização operária em participar dessa política gerou consequências imprevistas para o Partido no que tange à administração nacional da produção.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s