Declaração: Viva o 81º aniversário do natalício do Presidente Gonzalo, defender sua vida e saúde com Guerra Popular, juntamente com a campanha pelo maoísmo!

Nota do blog: Declaração do Partido Comunista do Peru, em processo de Reorganização Geral em meio à Guerra Popular, em ocasião do 81º aniversário do natalício do Presidente Gonzalo, chefatura do Partido e da Revolução peruana, e aniversário do Exército Popular de Libertação, de 3 de dezembro de 2015. Aqui, segue uma análise dos maoistas peruanos sobre a situação internacional, sobre o problema das disputas interimperialistas e da luta de resistência nacional frente ao imperialismo; e sobre a situação nacional, analisando a situação interna do Peru e sobre as ações do PCP.
Traduzido pela colaboração do blog.


Declaração: Viva o 81º aniversário do natalício do Presidente Gonzalo, defender sua vida e saúde com Guerra Popular, juntamente com a campanha pelo maoísmo!

Proletários de todos os países, uní-vos!

“Que lições (do processo do PCP) poderíamos tirar? Primeira lição: a importância da BUP [base de unidade partidária] e sua relação com a luta de duas linhas, sem esta base e seus três elementos, sendo 1) marxismo-leninismo-maoismo-Pensamento Gonzalo; 2) Programa, e; 3) Linha Política Geral, não pode haver sustentação para a construção ideológica-política do Partido; mas sem luta de duas linhas no Partido não há BUP. Sem uma firme e sagaz luta de duas linhas no Partido não pode capturar-se firmemente a ideologia, não pode estabelecer o Programa, nem a LPG [Linha Política Geral], assim como tampouco defende-los, aplica-los e menos desenvolvê-los. A L2L [luta de duas linhas] para nós é fundamental porque concebe o Partido como uma contradição, em concordância com o caráter universal da lei da contradição, Uma segunda lição é a importância da Guerra Popular… Terceira lição: importância de se forjar uma direção, a direção é chave, e, uma direção não se improvisa, requer um longo tempo, uma luta dura e forjar uma direção, particularmente para que seja uma direção da Guerra Popular; quarta lição: a necessidade de Construir a Conquista do Poder (…) há que gerar organismos superiores aos da reação; quinta lição: o internacionalismo proletário.” (PRESIDENTE GONZALO, em “Entrevista com o Presidente Gonzalo”)

Nesta data de transcendental celebração do natalício do Presidente Gonzalo e aniversário de criação e formação do Exército Popular de Libertação (EPL); renovamos e reafirmamos hoje mais que ontem nossa saudação e sujeição cabal, incondicional e voluntária a nosso querido e respeitado Presidente Gonzalo, chefe do Partido e da Revolução, nossa Chefatura, centro de unificação partidária e garantia do triunfo ao comunismo, o mais grande marxista-leninista-maoista vivo sobre a face da Terra, hoje convertido no maior e mais importante prisioneiro de guerra no mundo, nosso compromisso de persistir em Defender a vida e a saúde do Presidente Gonzalo! Expressamos nossa saudação e firme sujeição cabal e incondicional a nossa invicta, todo-poderosa e indestrutível ideologia proletária, o Marxismo-Leninismo-Maoismo-Pensamento Gonzalo, principalmente o Maoismo como nova, terceira e superior etapa a nível mundial, e especificamente o Pensamento Gonzalo como aplicação concreta e criadora às condições da revolução peruana. Expressamos nossa saudação e sujeição firme e voluntária ao heroico combatente que dirige nossa causa, o Partido Comunista do Peru, vanguarda organizada do proletariado peruano e máquina de guerra, que junto ao EPL vem destruindo e fraturando os alicerces do velho Estado peruano carcomido até a medula; saudamos e nos sujeitamos a todo seu sistema de direção e à atual direção do Partido, provando nos fatos que é produto do Presidente Gonzalo e tem assentado sólidas bases para a Reorganização Geral do Partido, cumprindo com os planos e campanhas estabelecidas em ardorosa e vigorosa luta de duas linhas, isolando perversas e sinistras mistificações contra a Chefatura, o PCP e a Guerra Popular. Saudamos e nos sujeitamos ao I Congresso Marxista. Congresso M-L-M-Pensamento Gonzalo, sancionando a Base de Unidade Partidária (BUP) fundamento que guia nossa ação, com seu triplo conteúdo: 1. o Marxismo-Leninismo-Maoismo-Pensamento Gonzalo; 2. O Programa Comunista e; 3. A Linha Política Geral (LPG) e seu centro, a Linha Militar. Saudamos e nos sujeitamos ao I, II e, principalmente, ao III Pleno do Comitê Central – segundo fato de importância depois do Congresso do Partido. Saudamos e nos sujeitamos cabal e resolutamente ao Magistral e Vigente Discurso do Presidente Gonzalo de 24 de setembro de 1992, que é o substancial e a síntese do III Pleno glorioso! Neste aniversário do EPL saudamos com triunfante alegria revolucionária aos aguerridos combatentes que ombro a ombro junto às massas vem defendendo o novo Poder e a vigorosa, vitoriosa Guerra Popular, exército de novo tipo armados com a ideologia proletária, que consciente e decididamente cumprem suas três tarefas revolucionárias: combater, mobilizar e produzir; acatam o que o Partido ordena e as massas exigem a Reorganização Geral.

Situação Internacional

Vivemos momentos históricos e estamos cada vez mais claros de que é assim; crise geral do imperialismo, sua base econômica em recessão e em marcha decidida a um processo de depressão econômica e financeira mundial e isto atiça e agudiza as contradições interimperialista, além da contradição principal no mundo: superpotências e potências imperialistas contra as nações oprimidas e povos do mundo.

A crise imperialista se descarrega sobre os ombros do proletariado e povos do terceiro mundo, donde se aprofunda a crise do capitalismo burocrático, levando a desenvolver um poderoso movimento de lutas populares, revolucionárias, tendo como base as lutas dos camponeses, e incorporando-se por saltos em seu papel diretriz, o proletariado.

A contradição principal no mundo [nota nossa: entre imperialismo X nações oprimidas] adquire a forma de “guerra global contra o terrorismo”. As superpotências e potências imperialistas em aguda colusão e pugna – com o imperialismo ianque superpotência hegemônica e única (SPHU) à frente – desatam uma feroz guerra de agressão imperialista encoberta com o subterfúgio e impunidade como uma besta mortalmente ferida, de sua companha contrarrevolucionária de “guerra global contra o imperialismo”, todavia o problema em fundo é a perspectiva de uma nova repartilha do mundo, e de imediato o controle e a hegemonia da “zona intermediária” entre as duas superpotências: a ianque e a russa.

Os fatos do dia 13 de novembro em Paris – França são consequência do papel genocida, saqueador e miserável deste país imperialista que em colusão e pugna com o imperialismo ianque (líder da coalizão), que vem desatando uma criminal agressão militar contra o povo árabe, especialmente com a Síria e Iraque, agora último e fundamentalmente contra todo o “médio Oriente Ampliado” (Afeganistão, Iraque, Palestina, Líbano, Líbia, Síria, etc.), causando milhões de vítimas entre crianças, mulheres e anciãos, destruindo infraestruturas, habitações, escolas, hospitais, indústrias, etc..

O imperialismo, principalmente o ianque, aponta à destruição destes países para instaurar uma reorganização que sirva a seus planos hegemônicos na região (o controle da Síria para eles é primordial, em sua contenda para chutar dali os russos, assim obtendo a hegemonia principal no Médio Oriente Ampliado), mas ante ao fracasso de seus planos políticos e militares, vêm recorrendo ao que melhor sabem fazer: o genocídio sem misericórdia contra o povo árabe – genocídio qual rechaçamos e repudiamos com profundo ódio de classe. A estes carniceiros que engordam com o sangue das massas indefesas, peritos em derrotas e covardes para morrer, mas cedo ou tarde a Guerra Popular os esmagará e varrerá da face da Terra. E a tudo isto denunciamos a função que vem cumprindo a imprensa reacionária de encobrir e tergiversar os fatos, fazendo-se cúmplices dos genocidas e criminosos imperialistas.

Uma expressão desta genocida guerra de agressão imperialista são as dezenas de milhares de imigrantes que estão chegando em ondas cada vez mais numerosas a Europa, segundo cálculos oficiais da Agência da ONU para os Refugiados (ACNUR), este ano, em 19 de Novembro, chegaram a Europa por mar 850.571 “refugiados e imigrantes”, e 3.485 morreram ou estão desaparecidos; ao menos 174.000 crianças têm arriscado a vida no mar Mediterrâneo para chegar a Europa; são crianças um de cada três refugiados e imigrantes falecidos na travessia marítima; 5% deles são bebês de menos de 2 anos de acordo com a Unicef; igual os migrantes em nosso país do campo à cidade. Já traçou o caminho o Presidente Mao, das aldeias às metrópoles, e isso leva pavor aos reacionários e imperialistas que recorrem ao chauvinismo, ao fascismo, ao racismo, etc. fazendo eles mesmos cortar em mil pedaços seus princípios demoburgueses e demoliberais.

Outro aspecto é que o imperialismo, principalmente ianque, em sua intenção de realizar uma intervenção militar direta na Síria e encobri-la com “guerra civil com a oposição armada” por um lado; e por outro em seu afã de quebrar, desviar e desmontar a resistência antiimperialista, vem fomentando, financiando, dando cobertura e armando a movimentos islamistas anacrônicos como o DAESH-Estado Islâmico e outros, que desenvolvem suas lutas no plano étnico e religioso, servindo assim aos planos hegemônicos ianques na região.

O que corresponde? Potencializar o Movimento de Libertação Nacional, desenrolar a guerra de resistência antiimperialista e elevá-la a Guerra Popular Antiimperialista dirigida por Partidos Comunistas marxistas-leninistas-maoistas principalmente maoístas militarizados e afogar o imperialismo em um mar de Guerras Populares!

VIVA O POVO ÁRABE! FORA IANQUES E DEMAIS IMPERIALISTAS DO ORIENTE MÉDIO!

CONDENAMOS E RECHAÇAMOS O GENOCÍDIO EM MARCHA CONTRA O POVO ÁRABE!

Derrotemos a Ofensiva Contrarrevolucionária Geral (OCG) encabeçada pelo imperialismo ianque SPHU [superpotência hegemônica e única] inimigo principal dos povos do mundo e sua campanha contrarrevolucionária de “guerra global contra o terrorismo” em seu objetivo de uma “nova repartilha do mundo”, desenvolvendo a Nova Grande Onda da Revolução Proletária Mundial comandada pelo Maoismo.

VIVA AS GUERRAS POPULARES NO PERU, ÍNDIA, TURQUIA E FILIPINAS! POTENCIALIZAR O MOVIMENTO DE LIBERTAÇÃO NACIONAL DE ESSÊNCIA E CARÁTER ANTIIMPERIALISTA!

Situação nacional

O contexto nacional está marcado pela crescente ingerência e intervenção do imperialismo principalmente ianque no país.

No mês de Outubro se realizou em Lima a Cúpula Internacional do FMI e do Banco Mundial, para analisar “a crise financeira global e os desafios da América Latina” ante a chamada “desaceleração” donde pretenderam mostrar o “milagre econômico do Peru”, e, auspiciada pela Confiep (estão todas as empresas parasitárias privadas e burgueses exploradores), fizeram uma falsa campanha publicitária “que o Peru se incorpora à OCD” como país de “primeiro mundo” – tamanho despropósito não tem nenhuma sustentação; economistas burgueses sustentam que o “teremos grandes brechas sociais, econômicas, institucionais e de infraestrutura, que em muitos aspectos nem sequer alcançamos a nossos vizinhos latino-americanos”.

Mas o objetivo principal desta cúpula é converter nosso país em uma plataforma na região (América Latina) dos planos hegemônicos do imperialismo principalmente ianque para estabelecer uma “zona livre de comércio”, e desde aqui sufocar, quebrar e reverter à situação em regimes onde a grande burguesia em sua fração burocrática conduzem os Estados latifundiários-burocráticos, por exemplo, ALBA ou acordos comerciais como Mercosul; a finalidade é que todos se ajustem aos TLC com USA, à Aliança do Pacífico, e ao Tratado Transpacífico (TPP) como ultimamente o tem firmado o fascista, genocida, vende-pátria de Ollanta Humala (a) cap. “Carlos”. Internamente o imperialismo principalmente ianque busca perpetuar e dar continuidade ao regime fascista, genocida e vende-pátria, dando-lhe a legitimidade dos “organismos financeiros internacionais” para que o próximo lacaio que assuma a presidência não saia do “marco econômico e financeiro da economia de mercado”; não é casualidade que os propagandeados candidatos Keiko Fujimori, P.P. Kuczynski, García Pérez, Toledo, Acuña, etc. sejam representantes da grande burguesia da fração compradora, fieis defensores dos latifundiários e todos abertamente submetidos ao imperialismo principalmente ianque para aprofundar o capitalismo burocrático em maior ou menor grau – essa é a única diferença.

A crise do capitalismo burocrático tem ingressado no afundamento e se acentua; o agro já está em recessão afogando nesta situação com a maior importação de alimentos piorando ainda mais a situação do campesinato pobre, igualmente à importação de produtos manufatureiros e outros que acelera a destruição da indústria nacional (têxtil, couros, etc.), super-explorando mais e mais a classe operária, com salários míseros e largas jornadas; este rubro também está em recessão. Este ano se cessará também o déficit na balança comercial, a alta do dólar (pela alta desenfreada dos “capitais golondrinos”) aproxima um retorno do processo inflacionário que se reflete na alta permanente dos alimentos. O aumento da “morosidade bancária e imobiliária” reflete a perda da capacidade aquisitiva da pequena-burguesia. Dizem: “Tememos que a classe média retorne à pobreza”, se referem à pobreza monetária, porque os dados oficiais indicam que a mortalidade infantil é alarmante, cada ano morrem 6,000 crianças antes de completar um ano por enfermidades evitáveis; e, que um milhão de crianças sofrem anemia, a que afeta 43% das crianças de 6 a 36 meses de idade, evidenciando-se mais no campo, e na cidade o incremento alarmante da TBC ocupando uma das cifras mais altas da região. Assim mesmo este ano houve “redução da inversão pública e privada” (apesar de suas tão cacarejadas associações público-privadas) como “medidas contracíclicas” para “evitar a desaceleração”. Há alguns dias atrás, o Ministro da Economia Manuel Segura reajustou uma vez a projeção deste ano do PIB a 2.8% (recorda-se que na Cúpula citada, a presidenta do FMI afirmou que o Peru no ano de 2015 alcançaria o PIB de 2.5% e Segura afirmou que chegaríamos ao 3.5% e em 2016 a projeção de 5% a 6% do PIB).

É lei inevitável que a segunda metade de cada década o capitalismo burocrático chega ao afundamento, juntando com a crise geral do capitalismo burocrático, é neste contexto de aprofundamento e agudização da crise que ingressará o novo governo títere, e dali o conjunto de medidas repressivas e fascistas contra o desenvolvimento das lutas populares e principalmente contra a Guerra Popular e a Reorganização Geral do Partido que está em marcha; medidas, operativos e planos encobertos com a matriz de “luta pela seguridade cidadã”. Desmascarar como estratégia ianque, antipopular e contra-subversiva e que é parte de sua Guerra de Baixa Intensidade (GBI).

O caráter parasitário e rentista do capitalismo burocrático se mostram nas grandes ganâncias (produto de saqueio) que só beneficia aos imperialistas principalmente ianques, grandes burgueses e latifundiários das mineradoras; petróleo-gás e os magnatas das financeiras, donde, por exemplo, tecnocratas tem uma remuneração 30 vezes maior do que ganha um operário com seu irrisório salário.

Tudo isto atiça a crise política do governo fascista, genocida e vende-pátria do pró-ianque Ollanta Humala, a camarilha fascista foi reduzida a ele e sua sócia Nadine Heredia envolvidos em denúncias de corrupção de “financiamento externo e de ativos” para seu “partido nacionalista”. Crise política que reflete a aguda colusão e pugna da burguesia compradora por manter sua hegemonia na condução do Estado latifundiário-burocrático e da burguesia burocrática por recuperar posições. Crise política afundada pela corrupção própria de seu sistema e a penetração do narcotráfico nos estabelecimentos e altas esferas do velho Estado, desde as forças armadas e policiais fascistas e genocidas (que tem causado morte de mais de 70 pessoas e centenas de feridos contra as lutas populares), até o Poder Judiciário, o reacionário Congresso e todos os “partidos políticos”, etc. estão apodrecidos desde a medula.

No entanto nosso heroico povo persiste em combater e resistir contra o despejo de suas terras e recursos naturais; contra a privatização das empresas estratégicas estatais, igualmente contra a privatização da educação, saúde e seguro social. Combate e resiste contra a alta do custo de vista e repressão do Estado, etc..

Em nossa colina revolucionária se tem realizado contundentes ações armadas tanto no campo como na cidade, o EPL [Exército Popular de Libertação] convocou o povo e as massas mobilizando-as contra a chegada das tropas ianques em 1º de Setembro que se implantaram por todo o território peruano e levantado à farsa do crime organizado e sacar às genocidas forças armadas especialistas em derrotas às ruas para combater a “delinquência”; no campo contundente emboscada no Comitê Regional Principal e incursões armadas em Huancavelica e Huancajo; no Comitê Motropolitano na Zonal Este em 8 de Setembro golpeou com difusão, pinturas, panfletos e agitações, enquanto preparavam a publicitada Cúpula mundial do FMI e BM, à qual em plena reunião de seus primeiros dias de outubro o EPL demonstrou valentia e coragem com agitação e propaganda armada na Zonal Norte e Zona Oeste em Callao, se cumpriu exitosamente a campanha: “Defender a Vida e Saúde do Presidente Gonzalo com Guerra Popular!”, se moveu céu e terra, tanto nacional como no exterior, o combate e repúdio aos ianques aqui e na América Latina.

IANQUES GO HOME! FORA IANQUES DO PERU E AMÉRICA LATINA!

O que corresponde? Persistir na Campanha por impor o Maoismo como único mando e guia da Revolução Proletária Mundial, juntamente com a Campanha pela Defesa da Vida do Presidente Gonzalo com Guerra Popular e liga-la à política de boicote às Eleições Gerais de 2016, assim seguir assentando sólidas bases para a Reorganização Geral do Partido em marcha.

Desmascarar e combater o revisionismo e oportunismo de toda laia que pretende conduzir o proletariado e o povo pelo sinistro caminho do cretinismo parlamentário, principalmente à Linha Oportunista de Direita revisionista e capitulacionista; e ao revisionismo armado da Linha Oportunista de Esquerda, varrê-los a sangue e fogo, chamar ao povo a NÃO VOTAR!, ELEIÇÕES, NÃO! GUERRA POPULAR, SIM!

VIVA O PRESIDENTE GONZALO, CHEFE DO PARTIDO E DA REVOLUÇÃO!

LEVANTAR, DEFENDER E APLICAR O MARXISMO-LENINISMO-MAOISMO-PENSAMENTO GONZALO, PRINCIPALMENTE PENSAMENTO GONZALO!

VIVA O PARTIDO COMUNISTA DO PERU!

SOB A GUIA DO CONGRESSO, REORGANIZAÇÃO GERAL DO PARTIDO EM MEIO À GUERRA POPULAR!

VIVA O 81º ANIVERSÁRIO DO NATALÍCIO DO PRESIDENTE GONZALO!

LONGA, LONGUÍSSIMA VIDA AO PRESIDENTE GONZALO!

VIVA O EXÉRCITO POPULAR DE LIBERTAÇÃO, LEGIÕES IMBATÍVEIS DE GONZALO!

DERROTAR A OFENSIVA CONTRARREVOLUCIONÁRIA GERAL E SEU ENGENDRO AO NOVO REVISIONISMO DA LOD R. E C. E A LOI!

VIVAM AS GUERRAS POPULARES NO PERU, ÍNDIA, TURQUIA E FILIPINAS!

VIVA O MOVIMENTO COMUNISTA INTERNACIONAL E SAUDAMOS OS AVANÇOS À FUTURA REDIVIVA INTERNACIONAL COMUNISTA!

VIVA O MAOISMO! ABAIXO O REVISIONISMO!

IANQUES GO HOME! FORA IANQUES DO PERU, AMÉRICA LATINA E MÉDIO ORIENTE!

SAUDAMOS DESDE AQUI O FUTURO NASCIMENTO DA REPÚBLICA POPULAR DO PERU!

HONRA E GLÓRIA AO HEROICO POVO PERUANO!

Peru, 03 de Dezembro de 2015.

Partido Comunista do Peru

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s