Honra e glória a companheira Sandra Lima!

2016-08-01Publicado originalmente em Blog da Redação de AND

Na noite de 27 de julho, uma das mentes mais inquietas e brilhantes com quem tivemos a oportunidade de conviver e compartilhar experiências cessou de pensar. Faleceu, após enfrentar com firmeza e serenidade a cirurgia para a remoção de um tumor cerebral, aos 61 anos, a companheira Sandra Lima.

Fundadora e dirigente do Movimento Feminino Popular e militante revolucionária, convicta marxista-leninista-maoísta, a companheira Sandra prestou inestimável contribuição de pensamento e ação para a luta das massas populares do campo e cidade, no nosso país e no mundo.

A companheira Sandra Lima dedicou sua vida à Revolução Brasileira. Foram mais de 40 anos de militância, organizando as massas nos bairros proletários e fábricas, na luta pela moradia, na luta pela terra, junto ao movimento operário e sindical classista. Dedicou-se como poucos à tarefa de formação política das novas gerações. Ministrou cursos e palestras em todo o país para a juventude revolucionária. Paciente e inquieta, ouvia e instruía os jovens, orientando-os na conduta proletária perante as massas e no compromisso com a revolução em nosso país.

Dedicou-se na construção do Movimento Feminino Popular em diferentes regiões do país, especialmente no campo. Sempre em suas intervenções chamou a atenção para a necessidade das mulheres de nosso povo em se lançarem a luta ombro a ombro com seus companheiros e se formarem como quadros revolucionários que dominem a ideologia do proletariado para cumprir as tarefas da Revolução de Nova Democracia em nosso país.

Abnegada, nunca resignou perante os problemas de saúde. Dedicou-se sem reservas à mobilização, politização e organização das massas.

Atuou nas primeiras filas da luta contra o regime militar fascista, nas batalhas por pavimentar um caminho para a luta revolucionária em nosso país; teve papel destacado nas batalhas das massas proletárias pela moradia na Região Metropolitana de Belo Horizonte; atuou em greves combativas; combateu de forma implacável o revisionismo e todo o oportunismo. Realizou intensa agitação contra a farsa eleitoral conclamando as massas a boicotarem ativamente as eleições reacionárias, se organizarem e lutarem. Dedicou-se, sem medir esforços, à luta pela punição dos mandantes e executores de torturas, assassinatos e desaparecimentos forçados de militantes revolucionários durante o regime militar-fascista. Acompanhou de perto e com entusiasmo as jornadas da juventude combatente em junho/julho de 2013.

O jornal A Nova Democracia teve na companheira Sandra Lima uma incansável apoiadora e uma grande colaboradora.

Seu falecimento significa uma grande perda para todos os revolucionários e democratas de nosso país.

Miramos e nos apoiamos no radiante exemplo de vivacidade, combatividade e otimismo sempre transbordados pela companheira Sandra Lima para que, como ela sempre nos ensinou, converter nossa dor e indignação em mais decisão para lutar pela completa emancipação de nosso povo.

Companheira Sandra: Presente na luta!
“Despertar a fúria revolucionária da mulher!”

*No dia 28 de julho, companheiras e companheiros, familiares e amigos prestaram homenagens a Sandra Lima em seu funeral. Na próxima edição do jornal e, em breve, também no blog da redação, publicaremos sobre as homenagens prestadas a grande revolucionária Sandra Lima.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s