Viva o 88º aniversário da fundação do Partido Comunista do Peru!

Bandeiras vermelhas com foice e martelo foram penduradas pelas ruas de Lima.
Bandeiras vermelhas com foice e martelo foram penduradas pelas ruas de Lima.

Traduzido e retirado de vnd-peru.blogspot.com  – Panfleto distribuído pelo Exército de Libertação Popular – EPL, dirigido pelo Partido Comunista do Peru em processo de Reorganização Geral, na capital Lima, neste outubro de 2016. Tradução não-oficial.

Proletários de todos os países, uni-vos!

Viva o 88º aniversário da fundação do Partido Comunista do Peru!

“Nós reafirmamos na Guerra Popular que o Partido dirige, não deteve-se em nenhum minuto, o Partido não paralisou-se jamais, porque está claro no rumo a seguir, porque tem unidade na Chefatura do Presidente Gonzalo, na Base de Unidade Partidária, na Guerra Popular, no Plano de Desenvolvimento Estratégico. Uma vez mais se expressa centralização estratégica, temos planos que conformam campanhas e isso prossegue. Um Partido unido por tais elementos é forte. Destaquemos centralização estratégica e descentralização tática porque é prática comunista, é nossa experiência concreta… A Guerra Popular não pode ser cessada…”

Presidente Gonzalo (Documento II Pleno do Comitê Central)

Nestas datas de celebração: 24º Aniversário do vigente Discurso do Presidente Gonzalo; 01 de Outubro, triunfo da revolução Chinesa dirigida pelo Presidente Mao; 07 de Outubro, 88º Aniversário da Fundação do Partido Comunista do Peru, que José Carlos Mariátegui fundou à imagem e semelhança do proletariado peruano sob sólidas bases marxistas-leninistas e o Presidente Gonzalo, em dura briga, retoma o caminho iniciado por nosso fundador até a Reconstituição do Partido e, em dura luta de duas linhas, expulsa o revisionismo e oportunismo para iniciar a Guerra Popular marxista-leninista-maoísta, Pensamento Gonzalo, o 17 de Maio de 1980, em ação transformadora o Partido cumpre a tarefa de sua realização de constituição no I Congresso do PCP em 1988-1989, do qual prossegue sua marcha, hoje cumpre a tarefa pendente de sua Reorganização Geral, forjando a atual direção que é forja e acabamento do Presidente Gonzalo. Neste 50º Aniversário da Grande Revolução Cultural Proletária e que o MCI o está organizando a nível internacionais, seus frutos são grandes. Saudamos com júbilo revolucionário e comunista aos dirigentes, quadros e militantes do PCP, aos aguerridos combatentes do Exército Popular de Libertação e às massas que nos apoiam organizadamente. Em particular, saudamos aos camaradas e companheiros do MPP (CR) que impulsionam o trabalho no estrangeiro, desmascaram e aplastam o revisionismo e infiltrados que pululam por lá e nas redes, servindo à Reorganização Geral do Partido, por impor o Maoísmo como mando e guia da Revolução Proletária Mundial unida à campanha pela Defesa da Vida e Saúde do Presidente Gonzalo. Devemos esforçar-nos pela depuração de nossas fileiras, porque o revisionismo já perdeu a partida desde que abandonou os princípios e fez as 4 mudanças (de linha, Partido, direção e Guerra Popular), este é o rumo de mais de 36 anos de Guerra Popular. Por sua vez, expressamos nossa saudação comunista, solidariedade e apoio pelo 12º Aniversário de Fundação do Partido Comunista da Índia (Maoísta) em 21 de Setembro e a sua ardente Guerra Popular que ali desenvolve e aporta à nova grande onda da RPM.

No contexto atual de crise mundial do imperialismo, que marcha a uma depressão profunda de tempo indeterminado, analistas e economistas burgueses dizem: “vivemos uma época de incerteza econômica e política”, todo este processo dentro da crise geral e última do imperialismo.

As contradições interimperialistas, em agudo conluio e pugna, se lançam ferozmente contra as nações oprimidas e povos do mundo, propalando massacres, matanças genocídio, destruição, fome, miséria e toda uma série de calamidades que vão deixando em seus passos, miseravelmente buscam o controle dos mercados e o saqueio dos recursos naturais. Os mesmos contendentes da I e II guerra imperialista estão gerando uma III guerra mundial; devemos opor a guerra revolucionária mundial contra a guerra injusta e desatar Guerras Populares.

A contradição principal segue sendo imperialismo-nações oprimidas, encabeçada pelo imperialismo, principalmente ianque, que sinistramente aplica a ofensiva contrarrevolucionária geral, com apoio desavergonhado de seu engendro, o novo revisionismo (Bob Avakian, Prachanda etc.), que em seu afã de atenuar o conluio e pugna desatam sua “guerra global contra o terrorismo” que, em essência, é a contrarrevolução armada para enfrentar, opor-se e aniquilar a nova grande onda da RPM comandada pelo Maoísmo. Uma vez mais falam no mundo de paz, diálogo e pacificação, cujo objetivo é desviar e aniquilar as Guerras Populares (Índia, Turquia, Filipinas e Peru). Ao que servem o recuo dos revisionistas das FARC na Colômbia com seu aliado e aval Castro de Cuba, e no Peru a LOD revisionista e capitulacionista e a LOE [Linha Oportunista de Esquerda].

Assim tem elaborado a nível regional (Colômbia, México etc.) e principalmente no Peru sua estratégia de “segurança cidadã”, estratégia ianque dentro da linha de sua guerra de baixa intensidade (GBI), dentro do qual manejam o fenômeno do narcotráfico, máfias que controlam através da CIA e bancos do Wall Street em Nova York que movem ingentes milhões de dólares; corrompendo a sociedade, a juventude através da drogadização e empurrá-los a ser lumpens etc. E uma vez mais nosso país é sede de reuniões onde acordam planos de expansão e saqueios, encabeçado pelo imperialismo ianque, por exemplo o APEC.

Na situação Nacional, como sempre o capitalismo burocrático segue seu rumo traçado de uma crise após outra, cada vez mais parasitário, o que quer dizer que suas três tarefas contrarrevolucionárias: reimpulsionar, reestruturar e aniquilar a Guerra Popular, segue sendo um impossível histórico e político e o será mais ainda enquanto concretizarmos a Reorganização Geral do Partido.

A imprensa a serviço do imperialismo e a reação faz campanha permanente para que “as FF.AA. saiam às ruas”, assim como o “estado de emergência” no Callao, mais polícias, mais patrulheiros, mais espionagem, recompensas aos mais procurados, Sinchis com uniformes militares nas ruas, etc., impondo “Estado de emergência” em várias província e na região do VRAEM, onde aplicam sua política dos três todos (roubar todos, queimar tudo e matar a todos). Ver que as bandas criminais são integradas por policiais em atividade, ex-militares e funcionários de inteligência.

As reacionárias eleições gerais 2016, mais cruciais que antes, atiçadas as contradições no mesmo seio da grande burguesia de um e outro lado, houve repúdio e rechaço das amplas massas populares.

Na primeira volta, as cifras ressaltam a baixíssima votação dos dois primeiros candidatos, nenhum, nem PKK nem Keiko alcançam sequer os 30% do eleitorado hábil, muito aquém pois do 50% mais um que sua constituição demanda para assumir a presidência. Fica também muito claro que o ausentismo, a não concorrência ao voto cresceu notavelmente, chegando a 4.167.824 que representa 18,20% dos eleitores hábeis; e somado com o voto viciado e branco, fazem um total de 7.561.811 que é 33,02%. O que alcançou maior votação só obteve 6..073 que é 26,70%. Tem aqui o autodeclaração triunfo de sua chamada “democracia”. O segundo turno se apresentou com as mesmas características, mas o ausentismo foi maior, alcançando 19,91% que vem a ser 4.559.058 dos eleitores hábeis.

A política do boicote do Partido serviu uma vez mais a atiçar as contradições do velho sistema que está podre até o tutano, o boicote a sua farsa eleitoral se desatou tanto no campo como na cidade, o EPL mobilizou e chamou a NÃO VOTAR! A todo o povo. Em março se desenvolveu ações de agitação e propaganda armada, em abril: pinturas, volantes, bandeiras e zozobras, e no campo contundentes emboscadas com aniquilamentos das forças vivas do inimigo (exército e a marinha) que se empenhavam em levar as “curules” e resguardar o próprio processo. Em Lima, a agitação e propaganda contra as eleições foram chamadas de “psicossocial”. Em maio e junho se realizaram contundentes ações em suas 4 formas de luta, entre outras tarefas se consolidou a construção ideológico-política e organizativa. A nova campanha do PCP se realizou em Huacho, Huancavelica, Cuzco, Ayacucho e em Lima, âmbito do Comitê Metropolitano, caixa de ressonância.

Este governo do ianque P.P. Kuczynski é parte do regime fascista, genocida e mais vende-pátria que vem desde 1992 com Fujimori, Toledo, García e Humala, regime e atual governo representante da grande burguesia (B. compradora), principalmente do setor ou grupo financeiro, por isso se dizem tecnocratas; este ianque Kuczynski disse em 28 de julho “já não estamos para debates ideológicos”, “revolução social”, para ter “um país moderno rumo ao bicentenário”, necessitamos impulsionar a “cultura de paz” e “desterrar a violência, venha de onde vier”, se mostra como o abandeirado na “Marcha nem uma menos” (marcha organizada e promovida pelo imperialismo ianque e seus lacaios organizados nas ONG, sociedade civil e feministas burgueses, etc. etc.); dizemos a este fiel ianque que todas suas campanhas e planos reacionários aplastaremos nós.

Nesta oportunidade desmascaramos e repudiamos com profundo ódio de classe a vil nova patranha contra o Presidente Gonzalo, nosso querido e respeitado chefe, pois já desde esse suposto “matrimônio” que não é mais que desprestigiar e melar a moral de nossa Chefatura, movida pela ratazana traidora Miriam, por que o Partido não se herda e menos ainda a Chefatura, o qual já tem sido desmentido e aplastado pelo mesmo Presidente Gonzalo no I Congresso em L2L [Luta de 2 Linhas] e numa ocasião que se quis levantar a Chefatura para atirá-la para baixo em seguida; desde Agosto de 2016 dizem os traidores e capituladores da LOD “habeas corpus por sua saúde”, quando estes miseráveis ficaram de joelhos, vendendo o couro dos porcos, o deixaram abandonado e, traficando com seu nome de “luta por um acordo de paz” para tampar sua vil traição e confundir as massas que “não há condições para a Guerra Popular”, e mais ainda confabulando-se com a reação e juízes reacionários para um novo juízo sumário por fatos que ele nunca aceitou e menos ainda participou, estes negros personagens da LOD R. e C. já o querem ver morto e enterrado nesse suposto mausoléu, traficando com o sangue dos melhores filhos do povo e heróis caídos, mas os primeiros que enterraremos serão seus couros negros e miseráveis porque seus sonhos foram destruir o Partido, deter a Guerra Popular e servir ao pérfido plano de assassinar o Presidente Gonzalo.

Apesar dos negros sonhos imperialistas, reacionários e revisionistas (LOD e LOE) a Guerra Popular se desenvolve contra o vento e a maré, cumprindo nossos planos e objetivos firmes e resolvidos, as massas fazem a história e são elas as que transformarão a sociedade numa nova, guiados por nossa invicta ideologia, o marxismo-leninismo-maoísmo, pensamento Gonzalo, sob a Chefatura do Presidente Gonzalo e organizados no PCP. Chamamos ao povo em geral a unir-se a nossa luta para derrotar a este velho sistema de exploração e opressão para alcançar sua verdadeira emancipação.

Viva o Presidente Gonzalo, Chefe do Partido e da Revolução!

Desfraldar, defender e aplicar o marxismo-leninismo-maoísmo, pensamento Gonzalo, principalmente o pensamento Gonzalo!

Viva o Partido Comunista do Peru!

Viva o XXIV Aniversário do magistral e vigente discurso do Presidente Gonzalo!

Defender a vida e saúde do Presidente Gonzalo com Guerra Popular!

Viva o 88º Aniversário da Fundação do Partido Comunista do Peru!

Viva a Reorganização Geral do Partido em meio da Guerra Popular!

A Guerra Popular vencerá inevitavelmente!

Viva o 50º Aniversário da Grande Revolução Cultural Proletária, desenvolvida e dirigida pelo Presidente Mao Tsetung!

Viva o maoísmo! Abaixo o revisionismo!

Viva o 12º Aniversário da Fundação do Partido Comunista da Índia (Maoísta) e a Guerra Popular que dirige!

Viva as Guerras Populares no Peru, Índia, Turquia e Filipinas!

Fora ianques do Oriente Médio, América Latina e Peru! Yankees Go Home!

Combater e resistir contra o regime fascista, genocida e vende-pátria que hoje encabeça, o ianque Kunczynski, o mais desenfreado lacaio do imperialismo, principalmente ianque!

Combater e aplastar os planos imperialistas do APEC!

Saudamos daqui, o futuro nascimento da República Popular do Peru!

Honra e glória ao heroico povo peruano!

Peru, outubro de 2016

Partido Comunista do Peru

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s