Chile: Nossas duas perspectivas e a situação atual (FERP, 2017)

Tradução não-oficial.

Publicamos o editorial de ‘La Rebelión se Justifica’ N°10: 

O imperialismo, o capitalismo burocrático e a semifeudalidade são as três montanhas que hoje oprimem mais do que nunca o povo. É a época da crise final do imperialismo a nível mundial, que desata-se sobre as massas trazendo uma miséria sem precedentes.

Por isto, hoje, a situação revolucionária em desenvolvimento é mais favorável do que nunca ante na história. As massas estalam em protesto, em luta armada extensiva em todo o mundo e ninguém pode afirmar o contrário.

Ninguém pode afirmar que o povo não luta, nem que é pacífico: Os oprimidos sempre tiveram que lutar com a violência revolucionária. Em que país do mundo não se demonstra esta realidade?

Nos encontramos na Ofensiva Estratégica da Revolução Proletária Mundial. A época dos 50 a 100 anos do afundamento do imperialismo.

Continuar lendo “Chile: Nossas duas perspectivas e a situação atual (FERP, 2017)”

Peru: Por uma linha de classe e anti-imperialista no movimento popular (Movimento Classista Popular, agosto 2017)

Nota do blog: Reproduzimos a seguir importante pronunciamento do Movimento Classista Popular (tradução não-oficial), analisando a situação internacional e nacional, onde os professores protagonizam uma enorme e combativa greve há mais de 2 meses, e cuja greve se desenvolve, em seu interior, uma encarniçada luta de duas linhas contra o revisionismo e o oportunismo, servindo à Reorganização Geral do PCP.


MOVIMENTO CLASSISTA POPULAR

Por uma linha de classe e anti-imperialista no movimento popular!

(Pronunciamento de agosto de 2017)

Por uma linha de classe e anti-imperialista no movimento popular!

PRONUNCIAMIENTO

“… As massas clamam a unidade. As massas querem fé. E por isso sua alma rechaça a voz corrosiva, a voz dissolvente e pessimista dos que negam e dos que duvidam, e buscam a voz otimista e cordial, juvenil e fecunda dos que afirmam e dos que creem.”

JOSÉ CARLOS MARIÁTEGUI.

“… o revisionismo é uma ofensiva da burguesia nas fileiras do proletariado, e daí deriva o que cinde,… divide o movimento sindical, cinde, divide o movimento popular… O revisionismo obviamente é um câncer, um câncer que tem que ser implacavelmente varrido… O revisionismo já perdeu a partida, o resto é tempo; o problema já está definido, o lixo começou a ser varrido, incendiado… Já começaram a perder a partida há muitos anos. E se formos mais além, nos princípios, já perderam a partida desde que se converteram em revisionistas, pois a partida se perde desde que se abandonam os princípios…”

Continuar lendo “Peru: Por uma linha de classe e anti-imperialista no movimento popular (Movimento Classista Popular, agosto 2017)”

Corrente do Povo Sol Rojo (México): a situação internacional

Nota do blog: Reproduzimos trecho da importante análise dos camaradas da Corrente do Povo Sol Rojo – organização marxista-leninista-maoísta do México – sobre a situação internacional. Selecionamos o que tomamos como fundamental de sua análise: o que opinam acerca da situação no Brasil e na Alemanha.

A análise na íntegra e original pode ser lida em http://solrojista.blogspot.com.br.


A posição dos comunistas

(…)

  1. Brasil

Em um cenário tão semelhante como o do Brasil (ao menos na forma que assume o governo de ambos os países), onde as reformas estruturais, o pressuposto para a guerra contra o povo, a imposição política, o desperdício e cinismo dos governantes, a aberta intromissão do imperialismo na política interna etc. é natural que as massas populares do México se sintam mais identificadas com as do Brasil; que a raiva ao saber que a repressão e os assassinatos contra os melhores filhos e filhas do povo flua com maior força.

Neste caso em específico, nossa atitude deve ser de inteira solidariedade até a classe operária e as massas populares que se lançam uma e outra vez em franca luta contra o odioso regime que Temer e todos os partidos do velho Estado brasileiro representam desde seu apodrecido parlamento (incluídos os socialdemocratas e conciliadores).

Frente à militarização e repressão crescente no Brasil, o proletariado e os povos do México, nucleados em suas organizações classistas, devemos exigir, por um lado, deter o terrorismo de estado que cobrou já a vida e a liberdade de vários lutadores revolucionários valiosos para o povo brasileiro, assim como respaldar e desfraldar as ações de combate e revolucionárias desenvolvidas pelos trabalhadores da cidade e do campo por todo o Brasil.

Particularmente mostrar solidariedade com os sindicatos classistas, com as organizações de combate e os povos que se rebelam infatigavelmente nestas últimas jornadas, incluídas as Greves Gerais de Abril e Junho e os episódios insurrecionais que se exercitam nas favelas, campos e aldeias, de onde nossos camaradas do Partido Comunista do Brasil (Fração Vermelha) e das organizações de massas lideradas pela Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo etc. jogam um papel de primeira ordem na nova onda da revolução que se avizinha e que cada dia sente-se mais e mais próxima; à qual representaria um enorme feito na história recente da América Latina e, sem dúvida, colocaria-se à cabeça das lutas de libertação nacional e de revolução socialista do proletariado e povos do mundo, junto com as guerras populares da Índia, Turquia, Filipinas e Peru.

Continuar lendo “Corrente do Povo Sol Rojo (México): a situação internacional”

Equador: Viva a luta anti-imperialista desatada na Alemanha!

Viva a luta contra o imperialismo e o revisionismo!

Frente de Defesa das Lutas do Povo

São tempos difíceis. O imperialismo persiste em arrastar-nos a uma confrontação mundial em meio de suas contradições e nova repartilha do mundo.

Mas nem tudo é obscuro, também há eventos e lutas brilhantes que revelam novas etapas, novas frentes e novas glórias para o proletariado internacional e aos povos oprimidos do mundo.

Continuar lendo “Equador: Viva a luta anti-imperialista desatada na Alemanha!”

Semana dos Mártires: Comunicado do Partido Comunista da Índia (Maoísta)

Tradução não-oficial de declaração do PCI (Maoísta) sobre a Semana dos Mártires.

Comitê Central

3 de Junho de 2017

ORGANIZEMOS POR TODO O PAÍS A SEMANA DOS MÁRTIRES DE 28 DE JULHO A 3 DE AGOSTO DE 2017 COM O MAIOR ENTUSIASMO! RENDAMOS HOMENAGEM AOS MÁRTIRES QUE ENTREGARAM SUAS VIDAS NA GUERRA POPULAR! DERROTEMOS A MISSÃO-2017 DAS CLASSES DOMINANTES INDIANAS, CUJO OBJETIVO É ACABAR COM O MOVIMENTO REVOLUCIONÁRIO! PROTEJAMOS A DIREÇÃO DO PARTIDO E IMPULSIONEMOS O MOVIMENTO REVOLUCIONÁRIO! DIGAMOS BEM CLARO QUE O CAMINHO DA GUERRA POPULAR, INICIADO EM NAXALBARI, É O ÚNICO CAMINHO PARA A LIBERTAÇÃO DAS MASSAS OPRIMIDAS!

Camaradas e massas revolucionárias!

Dar a vida pelo povo tem mais peso que o Himalaia. Morrer pelas classes exploradoras é um ato mais leve que uma pluma. Os comunistas revolucionários entregam-se por inteiro à revolução social e à defesa dos interesses do povo. Trabalham com total dedicação, o que inclui o sacrifício de suas próprias vidas. Toda grande mudança exige sacrifícios. Que a história da luta de classes é a história de muitos sacrifícios é tão evidente quanto a história da sociedade ser a história da luta de classes desde que estas existem.

Continuar lendo “Semana dos Mártires: Comunicado do Partido Comunista da Índia (Maoísta)”

O Programa Militar da Revolução Proletária (V.I. Lenin, 1916)

Em celebração do centenário da Grande Revolução Socialista de Outubro (1917), dirigida pelo Partido Comunista (bolchevique) da Rússia, sob chefatura do Grande Lenin.


V.I. Lenin
Setembro de 1916

Na Holanda, Escandinávia e na Suíça entre os sociais-democratas revolucionários que lutam contra a mentira dos sociais-chauvinistas sobre a «defesa da pátria» na actual guerra imperialista, ouvem-se vozes em favor da substituição do velho ponto do programa mínimo da social-democracia: «milícia» ou «armamento do povo» — por um novo: «desarmamento». O Jugend-Internationale[N382] abriu a discussão sobre esta questão e no seu n.° 3 publicou um artigo da redacção a favor do desarmamento. Nas mais recentes teses de R. Grimm[N383] encontramos também, infelizmente, uma concessão à ideia do «desarmamento». Nas revistas Neues Leben[N384]e Vorbote abriu-se uma discussão.

Analisemos a posição dos defensores do desarmamento.

I

O argumento fundamental consiste em que a reivindicação do desarma­mento é a expressão mais clara, mais decidida e mais consequente da luta contra todo o militarismo e contra toda a guerra.

Mas é neste argumento fundamental que reside o principal erro dos partidários do desarmamento. Os socialistas não podem, sem deixarem de ser socialistas, ser contra toda a guerra.

Continuar lendo “O Programa Militar da Revolução Proletária (V.I. Lenin, 1916)”

México: Saudação pelos 15 anos de AND (Corrente do Povo Sol Rojo)

Tradução não-oficial

A Corrente do Povo Sol Rojo, representando as massas operárias e populares do México, saúda com emoção o 15º Aniversário do jornal A Nova Democracia, imprensa democrática e popular do proletariado e os povos do Brasil.

A Nova Democracia vem oferecendo um serviço valioso de agitador, organizador, tributo e educador coletivo do proletariado e das massas populares em meio de suas lutas reivindicativas, prestando atenção às necessidades do povo e direcionando sua tomada de consciência em meio da luta de classes à Libertação Nacional e a Revolução de Nova Democracia, como primeira fase da construção do Socialismo nos países semicoloniais como são os países da América Latina.

Continuar lendo “México: Saudação pelos 15 anos de AND (Corrente do Povo Sol Rojo)”