Perseverar no estilo de vida simples e luta dura, manter estreita ligação com as massas (Mao Tsetung, 1957)

Mao Tsetung

Março de 1957

1

O nosso Partido vai iniciar um movimento de retificação. Essa é uma maneira de resolver contradições dentro do Partido pela crítica e autocrítica e de resolver também as contradições entre o Partido e o povo. Desta vez, o movimento será dirigido contra três maus estilos – a burocracia, o sectarismo e o subjetivismo. Com essa retificação, nós devemos lutar por levar adiante a tradição do nosso Partido de vida simples e luta dura. Desde a nossa vitória na revolução que a vontade revolucionária de alguns dos nossos camaradas tem diminuído, o seu entusiasmo revolucionário tem decrescido e o espírito de servir o povo de todo coração tem sofrido uma quebra, assim como o espírito de desafiar a morte que eles revelaram no tempo em que combatemos os nossos inimigos; ao mesmo tempo, eles começam a exigir cargos e honras, tornando-se exigentes em relação ao que comem e vestem, competindo por melhores salários e lutando por adquirir fama e benefício – todas estas tendências estão aumentando. Ouvi dizer que, no decurso da classificação dos quadros, realizado no ano passado, algumas pessoas começaram a chorar e fizeram grandes cenas. Não é verdade que as pessoas têm dois olhos? As gotas de água que brotam dos seus olhos chamam-se lágrimas. Quando a classificação não corresponde aos seus desejos, as lágrimas começam a cair pelas suas faces. Eles nunca derramaram uma única lágrima durante a guerra contra ChiangKaicheck, durante o movimento de resistência à agressão americana e de apoio à Coréia, durante a reforma agrária e a eliminação dos contrarrevolucionários, nem nunca verteram uma lágrima durante a construção do socialismo, mas assim que os seus interesses pessoais foram afetados, rios de lágrimas começaram a correr. Ouvi mesmo falar de alguns que se recusaram a comer durante três dias. Devo dizer que não faz grande diferença que algum deixe de comer durante três dias, mas seria um bocado perigoso se isso se prolongasse por uma semana. Em resumo, surgiu uma tendência de lutar pela fama e pelos cargos, para comparar os salários, a comida, a roupa e as comodidades. Continuar em greve de fome e derramar lágrimas por causa do interesse pessoal pode ser considerado uma espécie de contradição no seio do povo.

Há uma cena na ópera chamada LinChum Foge de Noite¹, na qual há um verso que diz: “Um homem não verte uma lágrima facilmente sem que o seu coração sofra”. Assim, alguns dos nossos camaradas são homens (e provavelmente também mulheres) de quem se pode dizer que não vertem facilmente lágrimas até à altura da sua classificação. Esta atitude tem de ser modificada, não é verdade? É bom não chorar facilmente; mas quando é que o coração sofre? Quando o destino da classe operária e das massas do povo trabalhador está em perigo. Numa situação dessas pode-se verter algumas lágrimas.

Seja qual for o cargo que vos deem, vocês devem-no aceitar mesmo se forem classificados incorretamente e não devem deixar as vossas lágrimas correr, mas sim guardá-las. Há muita coisa injusta neste mundo e pode-se ser classificado incorretamente, mas mesmo assim não há razão para fazer barulho, pois isso não traz graves consequências e devemos estar contentes desde que tenhamos o suficiente para comer. Além disso, nós somos um Partido revolucionário e por isso fazemos questão de não permitir que ninguém morra de fome. Enquanto não estivermos morrendo de fome, devemos fazer o trabalho revolucionário e dar o melhor do nosso esforço. Mesmo daqui a dez mil anos teremos que trabalhar muito.

Um comunista deve trabalhar muito e servir o povo de todo o seu coração e não apenas com metade ou dois terços dele. Aqueles cuja vontade revolucionária diminuiu devem fortalecer o seu ânimo através da retificação.

2

Devemos manter o mesmo vigor, o mesmo entusiasmo revolucionário e o mesmo espírito de desafiar a morte que demonstrávamos no tempo das guerras revolucionárias e levar até ao fim o nosso trabalho revolucionário. O que significa desafiar a morte? No romance À Beira d’ Água há um personagem chamado Xi Siu, o terceiro irmão que desafiar a morte, cujo caráter é exatamente aquele que temos em vista. Foi com este espírito que fizemos, no passado, a revolução. Um homem só tem uma vida para viver e pode viver até aos 60, 70, 80, 90 anos, conforme o caso. Pelo menos devereis fazer algum trabalho enquanto puderdes. E deveis fazê-lo com entusiasmo revolucionário e com o espírito de desafiar a morte. Alguns camaradas perderam este entusiasmo e espírito e deixaram de fazer progressos. Este fenômeno não é salutar e devemos cuidar de educá-los.

Todo o Partido deve intensificar o trabalho político e ideológico. Um grande número dos camaradas presentes na conferência de hoje é do exército. Como vão as coisas no exército? Não haverá nenhuma diferença entre o trabalho político em tempo de paz e em tempo de guerra? Em tempo de guerra devem criar-se laços apertados com as massas, os oficiais devem estar ligados aos seus homens e o exército ao povo. Nessa altura, o povo desculpa-nos se tivermos algumas insuficiências. Agora estamos em paz, não temos nenhuma batalha a travar e tudo o que temos a fazer é realizar exercícios; se não persistirmos em manter uma íntima ligação com as massas, será difícil para elas desculpar nossas insuficiências. Apesar do sistema de postos militares² e outros sistemas que tenham sido instituídos, daqueles que tenham postos superiores devem ser unha e carne com os seus subordinados. Deve ainda ser permitido criticar os seus superiores e aos soldados criticar os quadros. Por exemplo, pode ser convocada uma conferência do Partido para dar oportunidade a que se façam críticas. Durante o movimento contra os “três males” o camarada Chen Yi pôs a questão corretamente quando disse: “Foi justo darmos ordens durante tantos anos; não seria igualmente justo deixar os nossos subordinados criticar-nos durante algum tempo, digamos, durante uma semana?” O que ele queria dizer é que isso seria justo. Concordo com ele; deixem os nossos subordinados criticar-nos durante uma semana. Antes do início das críticas, façam alguns preparativos, forneçam uma espécie de relatórios e digam qualquer coisa acerca das vossas próprias insuficiências, não devendo o relatório incluir mais que 1,2,3 ou 4 pontos. Depois, deixem os camaradas falar, acrescentando algumas questões e fazendo críticas.

As massas são justas, elas não desprezarão o vosso passado. Os comandantes de companhia e pelotão devem também dar a oportunidade aos seus homens de fazer críticas e seria melhor fazê-lo uma vez por ano, promovendo reuniões de crítica durante vários dias seguidos. No passado, praticamos este tipo de democracia no exército e obtivemos bons resultados. Não deixem que as estreitas relações entre os escalões superiores e inferiores, entre os oficiais e os seus homens, entre o exército e o povo e entre as forças armadas e as autoridades locais sejam prejudicadas em resultado da adoção do sistema de postos militares e outros sistemas. Escusado será dizer que os escalões superiores devem manter estreitas ligações com os escalões inferiores e que essas relações devem ser relações próprias e estar integrados no seu seio. As forças armadas devem igualmente manter relações estreitas com o povo e com as organizações locais do Partido e do governo.

Os nossos camaradas devem prestar atenção: não se sirvam da influência do vosso cargo, da vossa alta posição ou antiguidade. A propósito de antiguidade, fazemos a revolução há muitos anos e embora esse passado tenha importância, não devemos servir-nos disso. Na verdade uma pessoa pode ser um veterano que tenha trabalhado diversas décadas, mas, precisamente por isso, se fizer alguma coisa errada e disser disparates, o povo não o desculpará. Não interessa quantos foram os seus grandes feitos no passado nem a importância do seu posto; se hoje não estiver fazendo um bom trabalho nem resolvendo corretamente os problemas e assim prejudicando os interesses do povo, ele não lhe perdoará. Por isso, os nossos camaradas não devem apoiar-se na antiguidade, mas sim na sua capacidade para resolver corretamente os problemas.

O que conta aqui é a correção, não a antiguidade. Uma vez que vocês não podem apoiar-se na antiguidade, devem mesmo esquecê-la, como se nunca tivessem sido oficiais, isto é, devem por de lado os vossos ares de grandes senhores, de burocratas e viver no seio do povo e junto dos vossos subordinados. Este é um ponto que os nossos quadros, e particularmente os nossos velhos quadros, devem ter em mente. Geralmente, os novos quadros não estão tão carregados desses erros; estão mesmo menos carregados. Os velhos quadros devem tratar os novos de igual para igual. Em muitos aspectos, os velhos quadros não são tão bons como os novos e devem aprender com eles.

_______________________

* A seção 1 é um extrato de um discurso pronunciado na conferência dos quadros do Partido em Tsinan, em 18 de Março de 1957, e a seção 2 é um extrato de um discurso proferido na conferência de quadros do Partido em Nanquim, em 19 de Março do mesmo ano.

¹ LinChum Foge de Noite é uma cena da ópera Cunchu A História de Uma Espada composta na Dinastia Ming. A ópera Chunchu teve a sua origem em Cuncham, no Quiansu.

² O sistema de postos militares foi introduzido em Setembro de 1955 e abolido em Maio de 1965.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s