Colômbia: 45ª aniversário do tombamento em combate do camarada Kaypakkaya (Organização Maoista para a Reconstituição do Partido Comunista da Colômbia)

Tradução não-oficial do alemão para o português

Retirado originalmente de demvolkedienem


Documentamos a seguir mensagem dos camaradas da Organização Maoista para Reconstituição do Partido Comunista da Colômbia que juntaram-se às celebrações organizadas pelos camaradas de Partizan em Basel (Suíça) e St. Pölten (Áustria):

Proletários de todos os países, uni-vos!

A Organização Maoista para a Reconstituição do Partido Comunista da Colômbia envia suas saudações ao TKP / ML – Comitê Central e ao Exército de Libertação de Operários e Camponeses da Turquia (TIKKO), que continua o legado revolucionário deixado por Ibrahim Kaypakkaya e, portanto, lutando para desenvolver a Guerra Popular.

Saudamos os camaradas, revolucionários, combatentes e as massas turcas que combatem o imperialismo e as classes reacionárias turcas.

Saudamos os revolucionários europeus que seguram alto a bandeira com a imagem de Ibrahim Kaypakkaya na mobilização e se recusam a participar dos jogos da via eleitoral.

Saudamos os participantes do evento em comemoração ao 45º aniversário da heróica morte de Ibrahim Kaypakkaya nas mãos do Estado turco reacionário.

A morte de Ibrahim Kaypakkaya pesa tal como uma montanha, porque ele deu a vida pelos interesses do povo. Kaypakkaya é um importante dirigente do proletariado turco e de todos os povos do mundo. Este jovem comunista e combatente, um exemplo de firmeza até o fim, permanece no coração do povo e do proletariado mundial. Isso deve ser feito com amigos e ser entendido como uma confirmação da exatidão da maneira como ele foi.

Ibrahim Kayapakkaya lutou durante sua vida pela reconstituição do Partido Comunista da Turquia, baseado na ideologia do proletariado e assumindo uma postura firme em relação ao pensamento Mao Tsetung e contra o revisionismo de Kruschov.

Aplicando o pensamento Mao Tsetung, Ibrahim Kaypakkaya lutou contra os oportunistas turcos e pôs em prática a necessidade de iniciar a guerra popular prolongada, no caminho de cercar a cidade pelo campo.

“Há duas razões pelas quais a revolução em países semifeudais e semicoloniais como o nosso deve parte do campo e cercar as cidades. Primeiro, porque a revolução democrática é essencialmente uma revolução agrária e, em segundo lugar, porque os imperialistas e seus lacaios reacionários (principalmente os imperialistas) assumiram o controle total das cidades e regiões desenvolvidas. Como somos uma semicolonia do imperialismo, o jugo do imperialismo exige que a revolução se desenvolva por meio da construção de bases no campo e indo em direção às cidades (conosco a revolução democrática e nacional se fundem em uma só)”.

Vamos aplicar corretamente a doutrina do poder político vermelho do Presidente Mao, em janeiro de 1972.

İbrahim Kaypakkaya lutou pelo estabelecimento do exército e da Frente sob a direção do Partido Comunista, deslindou com aqueles que apresentavam a “unidade de forças revolucionárias” que rejeitavam a hegemonia do proletariado na Frente e da aliança operário-camponesa, que era uma revisão do que o Presidente Mao expressou sobre a questão da Frente Única.

“A frente única popular não pode ser implementado sem a aliança básica dos operários e camponeses sob direção do proletariado e a formação do poder político vermelho em uma ou mais áreas. Reivindicar o contrário é abandonar-se à burguesia, perder a independência e desistir da iniciativa submetendo-se aos reacionários, em vez de ser autossuficiente, mantendo a independencia e a iniciativa. O que está faltando em nosso país para o nascimento do poder político vermelho é um partido forte seguindo a linha correta e um poderoso exército vermelho”.

Os principais pontos em que nos diferenciamos do revisionismo Safak, 1972

Ibrahim Kaypakkaya era um firme defensor do direito à autodeterminação da nação curda e chamava à unidade o proletariado e os povos da Turquia e do Curdistão, a fim de combater a submissão da nação curda ao Estado turco. Ele também exortou o proletariado com consciência de classe a apoiar incondicionalmente o caráter democrático do movimento curdo, preservando os interesses fundamentais dos trabalhadores e camponeses, a fim de não ser atropelado pelas classes dominantes turcas e curdas.

“Na luta contra as injustiças e privilégios que favorecem a classe dominante turca, não há uma luta contra as aspirações nacionalistas da burguesia e latifundiários, então neste caso outro nacionalismo, o nacionalismo curdo, solidificou … e a unidade e solidariedade entre os trabalhadores curdos e turcos e camponeses será sabotado. “

A questão nacional na Turquia, 1971

No dia desta celebração da vida e exemplo de İbrahim Kaypakkaya nós comunistas e revolucionários devemos aplicar seus ensinamentos como uma arma contra o liquidacionismo, o pessimismo e o revisionismo. Kaypakkaya mostrou grande firmeza na luta contra o revisionismo e férrea vontade contra a tortura infligida a ele nos últimos meses de sua vida.

O proletariado colombiano, reconstituindo sua vanguarda, o Partido Comunista, se sente um com você, um com a classe de Ibrahim Kaypakkaya, filho do povo, dirigente do proletariado, eternamente consagrado na história da luta pelo comunismo.

Viva a guerra popular na Turquia!

Viva o TKP / ML – CC!

Viva İbrahim Kaypakkaya!

 

Organização Maoista para a Reconstituição do Partido Comunista da Colômbia

Maio de 2018

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s