A direção centralizada do Partido (Partido Comunista da China, 1974 – Parte VI)

Nota do blog: Publicamos a seguir o sexto capítulo do importante documento do Partido Comunista da China, intitulado Uma compreensão básica do Partido, datado de 1974, num esforço de sintetizar a Base de Unidade Partidária, os princípios, estratégia, tática e métodos adotados pelo Partido para fazer a Revolução, prevenir-se do revisionismo, aplastar a restauração capitalista e seguir a via socialista. Publicamos objetivando servir melhor à formação ideológica e política, sobretudo da juventude.

Os capítulos anteriores: I, II, III, IV e V.

Tradução não oficial, realizada voluntariamente por uma leitora.


Capítulo V
A direção centralizada do Partido

Os Estatutos do Partido estipulam: “Os órgãos do Estado, o Exército Popular de Libertação e a milícia, os sindicatos, as associações de camponeses pobres e médios da camada inferior, as federações de mulheres, a Liga da Juventude Comunista, as Guardas Vermelhas, as Pequenas Guardas Vermelhas, e outras organizações revolucionárias de massas, devem todas aceitar a direção centralizada do Partido”. O fortalecimento desta direção centralizada, a plena implementação de seu papel revolucionário nas fileiras do proletariado – esta é a garantia fundamental de que nossa causa socialista logrará ainda maiores vitórias. Todos os comunistas devem fortalecer seu conceito de Partido, submeter-se conscientemente à direção centralizada do Partido e preservá-la.

O Partido deve exercer a direção em tudo; este é um importante princípio marxista-leninista

Há mais de um século, Marx e Engels, sintetizando a experiência da Comuna de Paris, assinalou claramente: “contra este poder coletivo das classes possuidoras, a classe operária não pode agir como classe, exceto constituindo-se ela própria como partido político, distinto e oposto a todos os velhos partidos formados pelas classes possuidoras”. (104) Dirigindo a revolução russa, Lenin deu grande importância à construção do Partido e seu papel dirigente. Em 1905, em seu artigo “Um Acordo Militante pelo Levantamento”, planteou: “Vemos no independente e intransigente partido marxista do proletariado revolucionário a única peça de vitória do socialismo e o caminho mais livre de vacilações para a vitória”. (105) Após a vitória da Revolução de Outubro, sintetizando a experiência da ditadura do proletariado em um momento oportuno, Lenin enfatizou: “… todas as atividade políticas e econômicas… (do governo) … estão guiadas pela vanguarda consciente da classe operária – o Partido Comunista”. (106) A doutrina marxista-leninista sobre a construção do partido nos ensina o seguinte: a direção do partido é a direção fundamental e indispensável para lograr a vitória na revolução proletária, para estabelecer e consolidar a ditadura do proletariado e para realizar o objetivo final de eliminação das classes. Na longa luta travada pelo proletariado e pelas amplas massas dirigidas pelo partido proletário contra a burguesia e as outras classes exploradoras, o partido deve fortalecer incessantemente sua direção centralizada.

O fortalecimento da direção centralizada do partido sempre foi um dos brilhantes conceitos do Presidente Mao. No período da revolução agrária, em sua grande obra Sobre a Correção das Ideias Errôneas no Partido, (107) fez uma profunda síntese da experiência do Partido ao dirigir o Exército Vermelho e os movimentos de massas e assinalou de forma muito clara como fortalecer a direção centralizada e unificada do Partido. No período da Guerra de Resistência Contra o Japão, sobre a base da situação prevalecente na luta nessa época e a experiência da luta entre as duas linhas dentro do Partido, o Presidente Mao presidiu pessoalmente a elaboração de vários documentos importantes como a “Resolução sobre o fortalecimento do espírito de Partido”, a “Resolução sobre unificar a direção do Partido nas bases de apoio anti-japonesas e normalizar as relações entre os diferentes organismos” e “Algumas questões cruciais à respeito dos métodos de direção”, nos quais foram elaborados os princípios fundamentais para implementar a direção centralizada do Partido. Nestas resoluções ele planteou claramente: “A unificação e o caráter centralizado da direção nas bases de apoio devem manifestar-se pela presença em cada uma destas bases de um comitê unificado do Partido que dirija tudo”. Durante a Guerra de Libertação, os brilhantes escritos do Presidente Mao, Sobre o estabelecimento e um sistema de informes, Sobre o fortalecimento do sistema de comitês de Partido e métodos de trabalho dos comitês de Partido (108) proporciona uma linha, uma orientação e um sistema concretos para garantir a direção centralizada do Partido. O Presidente Mao novamente salientou: “Para fazer a revolução é necessário um partido revolucionário. Sem um partido revolucionário, sem um partido construído sobre a base da teoria revolucionária marxista-leninista e o estilo revolucionário marxista-leninista, é impossível dirigir a classe operária e as amplas massas populares para derrotar o imperialismo e seus lacaios”. (109) No período da revolução socialista, o Presidente Mao educou mais amplamente os membros do Partido, de modo que pudessem fortalecer seu conceito de Partido e respeitar e proteger sua direção centralizada. Em 1957, em Sobre o Tratamento Correto das Contradições no Seio do Povo, ele deu como principal critério político para distinguir as “flores perfumadas” das “ervas venenosas”. “As palavras e as ações… devem ajudar a fortalecer, não a descartar, nem debilitar a direção do Partido Comunista”. (110) Durante a Grande Revolução Cultural Proletária, o Presidente Mao sintetizou, uma vez mais em um bom momento, a experiência ganha em fortalecer a direção centralizada do Partido. A teoria do Presidente Mao sobre a direção centralizada do partido, enriqueceu e desenvolveu a doutrina marxista-leninista sobre a construção do partido e nos mostra como respeitar e preservar esta direção centralizada.

Nosso Partido é um partido proletário. Está conformado por elementos avançados do proletariado e é uma vigorosa organização de vanguarda que guia o proletariado e as massas revolucionárias em sua luta contra seus inimigos de classe. Nosso Partido não é apenas qualquer organização de massas, mas constitui a forma sperior de organização do proletariado. O programa básico do Partido Comunista da China é a completa derrubada da burguesia e de toda as classes exploradoras, o estabelecimento da ditadura do proletariado no lugar da ditadura da burguesia e o triunfo do socialismo sobre o capitalismo. A meta final do Partido é a realização do comunismo. O programa básico e a meta final do Partido refletem de forma concentrada as aspirações e desejos do proletariado e de todas as massas trabalhadoras, encarnam o inevitável processo de desenvolvimento histórico. É devido ao seu caráter de vanguarda e à gloriosa tarefa que tem sobre seus ombros, que nosso Partido é capaz de representar os interesses dos maiores setores das amplas massas, e isto é o que determina sua posição e seu papel dirigentes na causa revolucionária do povo chinês.

Nosso Partido toma o marxismo-leninismo-pensamento Mao Tsé-Tung como a base teórica que guia sua concepção. Isto é o que lhe permite compreender as leis objetivas do desenvolvimento social e entender adequadamente a história e a realidade atual da revolução chinesa e, a partir disto, levar a cabo uma análise científica das principais relações de classe em  nossa sociedade, elaborar uma correta linha e princípios políticos corretos, e dirigir o proletariado e as amplas massas revolucionárias a lograr a vitória sobre a burguesia e as demais classes exploradoras e contra o oportunismo tanto de “esquerda” como de direita; para levar a revolução socialista até o fim.

Nosso Partido foi organizado e educado pessoalmente pelo Presidente Mao; é um grande, glorioso e correto Partido. No curso de longos anos de luta revolucionária, nosso Partido foi treinado e posto à prova em todo tipo de condições difíceis e lutas complexas e nunca deixou de desenvolver-se, crescer e ganhar o apoio e a confiança das massas de todas as partes do país. A partir de sua própria experiência, as amplas massas do povo entendem profundamente que sem a firme direção do Partido Comunista da China, sem o tipo de apoio fundamental que os comunistas chineses têm dado, teria sido impossível derrubar “as três montanhas” do imperialismo, do feudalismo e do capitalismo burocrático. A história tem demonstrado plenamente que a direção exercida pelo Partido é a garantia fundamental para que o proletariado alcance a vitória na revolução.

Dentro do nosso Partido sempre se deu uma aguda luta entre as duas linhas, sobre a questão de se deve manter ou não a direção por parte do Partido. Os caudilhos de diversas linhas oportunistas sempre usaram todos os meios para opor-se à direção centralizada do Partido, e têm debilitado-a e até chegado a suprimi-la. Liu Shao-Chi difundia a falácia de que “a revolução não requer necessariamente a direção do Partido Comunista” e afirmava que a relação entre o Partido e as demais organizações era uma “relação complementar”, o que significava que o Partido “apenas pode ajudar, mas não dirigir” e negava abertamente seu papel dirigente. Lin Piao, o carreirista e conspirador burguês, promovia por outro lado a “teoria de muitos centros e nenhum centro”, com o objetivo de negar a correta direção do Comitê Central do Partido dirigido pelo Presidente Mao, e por outro, difundia com todas as suas forças a ideia de que os movimentos de massas eram “naturalmente razoáveis”, para opor-se à direção do Partido sobre eles. (111) A história da luta entre as duas linhas no Partido mostra que a questão se se está fortalecendo e consolidando a direção do Partido, ou, pelo contrário, se está sendo debilitada e sabotada é um critério importante para distinguir o marxismo autêntico do falso e é um importante aspecto da luta de duas linhas. No que diz respeito às falácias de Liu Shao-Chi, Lin Piao e outros criminosos similares, devemos travar a grande crítica revolucionária contra eles de maneira profunda para liquidar sua perniciosa influência e poder respeitar e salvaguardar mais conscientemente a direção centralizada do Partido.

A direção centralizada do Partido é essencialmente a direção de uma correta linha ideológica e política

O marxismo-leninismo-pensamento Mao Tsé-Tung é o guia para a ação do nosso Partido, a base teórica que permite elaborar sua linha, para determinar sua orientação e suas políticas. A linha política revolucionária proletária e os princípios políticos do Presidente Mao são uma expressão concentrada do pensamento-guia do Partido; eles constituem o ponto de partida em sua orientação política e em todas as suas ações. A direção que nosso Partido exerce, guiado pelo marxismo-leninismo-pensamento Mao Tsé-Tung, sobre o proletariado e as amplas massas revolucionárias, assim como sobre todo o trabalho – político, econômico, militar, ideológico e cultural – representa em última instância a aplicação da linha e princípios revolucionários proletários do Presidente Mao.

Se se põe em prática ou não a direção centralizada, depende da linha ideológica e política correta. O Presidente Mao assinalou: “Que seja correta ou não a linha ideológica, decide tudo”. (112) Para que um partido proletário possa assumir a tarefa de dirigir a revolução, o essencial é que sustente uma correta linha marxista-leninista. Se não, não poderá permanecer na vanguarda da história, nem assumir plenamente seu papel como núcleo dirigente da causa revolucionária do proletariado. É o caso porque é apenas seguindo uma correta linha marxista-leninista que nosso Partido pode manter seu caráter como vanguarda do proletariado, pode vencer todos os obstáculos e exercer sua direção centralizada. Em termo gerais, o correto da linha ideológica e política do Partido é o que determina seu caráter e seu papel, o que determina o êxito ou o fracasso de sua causa. Se tivéssemos nos desviado da linha revolucionária do Presidente Mao, nem nosso Partido, nem nosso Estado, nem nosso povo seriam o que são hoje, e isso foi demonstrado claramente pela história da luta revolucionária do povo chinês. De 1924 a 1927, nosso Partido dirigiu uma revolução de extensão e heroísmo sem precedentes. No princípio e até meados desse período, a linha do Partido era correta, permitindo que a luta revolucionária lograsse grandes vitórias. Mas ao final deste período, como resultado da linha capitulacionista de direita de Chen Tu-Hsiu, que ocupava uma posição dominante nos órgãos do Partido, esta heróica e grande revolução sofreu fracassos e reveses. Depois que nosso Partido liquidou esta linha oportunista, a revolução uma vez mais retomou seu desenvolvimento. Logo apareceram sucessivamente no Partido três linhas oportunistas de “esquerda” e duas linhas cisionistas, pondo a revolução em sério perigo. Depois da Conferência de Tsuniy de 1935, (113) em que foi atribuído ao Presidente Mao o posto de líder de todo o Partido, nosso Partido, sob sua direção, seguindo sua linha revolucionária proletária e guiado pelo marxismo-leninismo-pensamento Mao Tsé-Tung, marchou de vitória em vitória. Embora o Partido, desde essa época, tenha experimentado várias dificuldades como resultado de várias linhas errôneas, estas nunca desempenharam um papel predominante dentro dele. Isto demonstra plenamente que é apenas seguindo uma correta linha ideológica e política que nosso Partido pôde dirigir o proletariado e as amplas massas do povo no difícil e arriscado caminho da revolução, até que o perigo deu lugar à paz e o fracasso deu lugar à vitória. É apenas desta forma que o navio da revolução pôde seguir seu curso através de mares tormentosos e alcançar a costa da vitória.

O Presidente Mao nos ensina que: para levar a revolução à vitória, um partido político deve depender do correto de sua própria linha política e solidificar sua própria organização”. (114) Para que o Partido possa exercer sua direção centralizada é essencial que siga uma correta linha nas frentes ideológica e política, e ao mesmo tempo que tenha uma organização que seja capaz de garantir a implementação de sua linha. Sem sólidas garantias organizativas, é impossível implementar exitosamente uma linha marxista-leninista, e não pode haver possibilidade de direção centralizada do Partido.

“Organizativamente, à direção centralizada do Partido deve ser dada expressão em dois aspectos: Primeiro, com respeito à relação entre diversas organizações do mesmo nível, dos sete setores – indústria, agricultura, comércio, cultura e educação, o Exército, o governo e o Partido – é o Partido que exerce a direção em geral; o Partido não é paralelo aos outros e muito menos está sob a direção de algum outro. Segundo, com respeito à relação entre níveis superiores e inferiores, o nível inferior está subordinado ao nível superior e todo o Partido está subordinado ao Comitê Central. Esta tem sido há muito tempo a norma em nosso Partido e a ela deve-se aderir. (115)

Para cumprir sua magna missão de emancipar toda a humanidade, o proletariado, além de seu próprio partido político, também deve estabelecer todo tipo de organizações que correspondam às necessidades da luta: órgãos estatais, uma organização militar, sindicatos de trabalhadores, Liga da Juventude, federações de mulheres e outras organizações de massas são indispensáveis para levar a cabo a revolução e a construção socialista até o fim, cumprir a missão histórica do proletariado e tornar realidade seu magno objetivo: o comunismo. Para fazer isto, todas estas organizações são importantes. O Partido, como a forma superior de organização do proletariado, deve ter o mando no trabalho em todas as esferas sem exceção, e pôr todas as seções, todas as organizações, sob sua única direção centralizada. Todas as organizações, em todas as áreas de trabalho, apenas poderão desempenhar plenamente seu papel se fortalecemos a direção centralizada do Partido e concentramos o trabalho de todas as organizações para um único objetivo determinado pela linha do Partido e seus princípios políticos. Desta forma, nossas diversas organizações poderão lutar ainda mais eficazmente pela causa da revolução proletária.

A direção centralizada do Partido é, primeiro e antes de tudo, a liderança exercida pelo Comitê Central dirigido pelo Presidente Mao. Sob a direção centralizada do Comitê Central, os comitês locais do Partido integram órgãos de direção centralizada para todas as seções, todas as organizações e todas as áreas de trabalho em sua região determinada.

Os corpos inferiores devem obedecer aos corpos superiores e todo o Partido deve obedecer ao Comitê Central – esta é a garantia organizacional necessária para fazer cumprir a direção centralizada do Partido. Nosso Partido é uma organização rigorosa, baseada no princípio organizacional do centralismo democrático: tem um Comitê Central, seu órgão principal, bem como suas organizações locais e organismos primários, e todos estes funcionam como partes orgânicas do todo unificado que é o Partido. Para assegurar a cabal implementação da linha ideológica e política correta em todos os campos, para unificar a vontade, a disciplina e as ações de todos os membros do Partido, e organizações do Partido, e para garantir o exercício da direção centralizada do Partido em todas as frentes, em todas as organizações e em todas as seções, é absolutamente necessário que os corpos inferiores obedeçam os corpos superiores e que o Partido inteiro obedeça ao Comitê Central.

Para fortalecer a direção centralizada do Partido, a direção de um comitê de Partido não pode ser substituída por uma “conferência conjunta” de vários setores. Mas ao mesmo tempo, é necessário dar rédea solta ao papel dos comitês revolucionários e outros setores e organizações em todos os níveis. Os comitês do partido devem praticar o centralismo democrático e fortalecer sua liderança coletiva. Eles devem unir o povo “de todos os rincões do país” e não praticar o “localismo de montanha”. Devem “permitir que as pessoas tenham o direito de decidir” e não que “apenas uma pessoa tenha o direito de decidir”. Os organismos do Partido de certas unidades não prestam suficiente atenção em desempenhar o seu papel adequado nos comitês revolucionários e outras organizações das massas revolucionárias. Envolvem-se em todos os pequenos detalhes do trabalho, passam todo o seu tempo em questões secundárias, e mergulham em um labirinto de tarefas particulares e não prestam atenção às questões importantes. Em outras unidades, os organismos do Partido não aplicam adequadamente o sistema de direção coletiva e de distribuição de tarefas e responsabilidades; questões importantes não são discutidas coletivamente, mas em vez disso, os indivíduos apenas encarregam-se delas. Ainda em outras unidades, os membros dos organismos do Partido não prestam atenção em unir todo o povo, mas em vez disso formam pequenos círculos e camarilhas. Não deixam que as massas se expressem por si próprias; apenas a secretária fala e interrompe os demais. (116) Tudo isso vai contra o princípio da direção centralizada do Partido e deve ser completamente retificado.

Compreender bem as questões importantes, fortalecer a direção centralizada do Partido

Para fortalecer a direção centralizada do Partido, os comitês do Partido, em todos os níveis, devem tomar como ponto de partida a linha básica do Partido e compreender bem as questões importantes. Compreender completamente as questões importantes significa compreender as principais contradições. O Presidente Mao assinalou: “Ao estudar qualquer processo complexo no qual existam duas ou mais contradições, devemos dedicar todos os esforços para descobrir a contradição principal. Uma vez que esta principal contradição é compreendida, todos os problemas podem ser resolvidos facilmente”. (117)

Durante todo o período histórico do socialismo, a luta entre o proletariado e a burguesia, entre o socialismo e o capitalismo, constitui a principal contradição em nosso país Portanto, compreender as questões importantes significa compreender a luta entre as duas classes, os dois caminhos e as duas linhas; compreender essas importantes questões é compreender a contradição principal.

No extremamente complicado trabalho revolucionário, é o Partido que dirige tudo. Para implementar a direção centralizada do Partido, o trabalho dos comitês de Partido deve se concentrar basicamente em torno da luta de classes e da luta de duas linhas. Isso ocorre porque, sob condições de ditadura do proletariado, a luta de classes e a luta de duas linhas existem de forma objetiva, em todos os campos, em todas as frentes, em todas as instituições e é impossível evitá-las. É apenas captando as questões fundamentais que são de importância decisiva para toda a causa revolucionária – a luta de classes e a luta de duas linhas – que os comitês de Partido podem ser perspicazes em todas as circunstâncias, manter a orientação política proletária em todos os trabalhos, enfrentar os “transtornos” causados ​​por diversas tendências errôneas de “esquerda” ou direita, implementar firmemente a linha política básica e os princípios do Partido e desempenhar seu papel protagonista na luta como vanguarda da proletariado.

Para que os comitês do Partido possam captar estas  importantes questões, devem analisar constante e atentamente as relações de classe fundamentais em sua área ou instituição, ser capazes de captar a tempo o estado da correlação de forças de classe e novas tendências na luta de classes e na luta de duas linhas. O Presidente Mao nos ensinou que devemos aprender a “aplicar o método marxista-leninista para analisar uma situação política e avaliar as forças de classe…”. (118) No período do socialismo, a luta de classes é complicada e de longa duração. Isso abarca ao mesmo tempo tanto contradições entre o inimigo e nós como contradições no seio do povo, e, como estas contradições estão muitas vezes entrelaçadas, é difícil distinguí-las imediatamente. Nessas circunstâncias, é só conhecendo e analisando em profundidade as relações de classe básicas na sociedade, que é possível compreender as leis objetivas da luta de classes, aplicar corretamente a linha política básica e os princípios do Partido, distinguir entre os dois tipos de contradições, e nos unir aos nossos verdadeiros amigos e atacar nossos verdadeiros inimigos para lograr ainda maiores vitórias na revolução e na construção.

A fim de que os comitês do Partido possam captar as questões importantes, devem manter a política no comando em todo o trabalho, manejar corretamente a relação entre as questões essenciais e as questões secundárias, entre questões políticas e profissionais, entre a revolução e a produção, entre ser comunista e ser um especialista – e assegurar a direção da linha ideológica e política correta. Captar as questões importantes significa colocá-las em primeiro plano,incluí-las como questões essenciais na agenda de reuniões do comitê do Partido. Os comitês do Partido devem dar atenção às questões importantes e discutí-las constantemente. Isso não significa que eles possam negligenciar suas outras tarefas ou negar a importância de levá-las a cabo por completo; pelo contrário, a estas devem dar seu lugar adequado. Por exemplo, desenvolver a economia socialista e dirigir bem a produção tanto industrial como agrícola são tarefas muito importante – tarefas de longo prazo para o período do socialismo – e devem ser terminantemente bem cumpridas. Mas em comparação com as tarefas de travar exitosamente a luta de classes e a luta de duas linhas, as tarefas de produção estão em segundo lugar. Como Lênin assinalou: “A política deve prevalecer sobre a economia. Sustentar o contrário é esquecer o ABC do marxismo”. (119) Assim, entre as questões essenciais e o resto do trabalho, existe uma relação de subordinação. Não podemos considerar a ambos no mesmo plano e muito menos podemos invertê-los. Além disso, na frente, por exemplo, de produção, há também a questão sobre por qual ideologia está guiada, qual orientação está seguindo e qual o caminho está tomando – isto é, existe também a questão da linha. Se simplesmente nos envolvemos na produção sem nos preocuparmos com a luta de classes e a luta de duas linhas no campo da produção, se deixamos a política proletária de lado e produzimos pela produção, não apenas se torna impossível levar a cabo a produção adequadamente, mas também, corremos o risco de perder nossa orientação, o que é extremamente perigoso.

Há camaradas que não compreendem suficientemente a importância de captar as questões essenciais. Eles argumentam que “não se preocupar pelas questões essenciais é no máximo mostrar tendências burocráticas, e não é realmente um erro grave” e consideram que “é perigoso se preocupar pelas questões importantes; é mais seguro limitar-se às questões secundárias”. Esta maneira de ver as coisas é completamente incorreta. Lin Piao e sua camarilha, que difundem a reacionária “teoria das forças produtivas” afirmavam que “a política significa que os camponeses façam um bom trabalho de cultivo e os operários realizam bem o seu trabalho”. Seu criminoso objetivo era derrubar a ditadura do proletariado a fim de restaurar o capitalismo. Deste modo, se gastamos todo nosso tempo absortos em pequenas questões concretas, se olhamos sem ver e escutamos sem ouvir a luta de classes e a luta de duas linhas, nos arriscamos a ser enganados e, a longo prazo, a nos apartarmos da linha revolucionária do Presidente Mao, prejudicando a causa do Partido e do povo, e proporcionando oportunidades favoráveis para os inimigos de classes que abrigam a esperança de restaurar o capitalismo. Como podemos dizer que esta é apenas uma espécie de “tendência burocrática”? Devemos entender que se simplesmente nos preocupamos com a produção sem observar se a linha é correta ou não, se então o revisionismo chega ao Poder, se apoderam-se do Partido e do Estado, ainda que a produção aumente em quantidade e em qualidade, seus frutos apenas serão aproveitados pela classe latifundiária e capitalista e proporcionarão uma base material para o revisionismo e para o capitalismo. Desde que a camarilha Khruschov-Brejenev ascendeu ao Poder na União Soviética, eles converteram um país socialista em um país social-imperialista, eles “lançaram satélites ao céu mas permitiram que a bandeira vermelha caísse ao solo”, e esta é uma dura lição para nós. É por isto que, se não nos preocupamos com as questões essenciais – a luta de classes e a luta de duas linhas – se esquecemos a linha básica do Partido, então acabaremos inevitavelmente no caminho revisionista. Como podemos dizer que isto “não é perigoso” e que “não é realmente um grave erro”?

De tudo isto, podemos ver que a questão de se os comitês do Partido captam ou não as questões essenciais não é simplesmente questão de métodos de pensamento e métodos de trabalho, mas que ao contrário, é uma questão de orientação e linha, uma questão fundamental de princípios. A fim de fortalecer a direção centralizada do Partido, os comitês do Partido devem a todo momento e em toda circunstância ter em mente a linha básica do Partido e assumir seriamente as questões essenciais da luta de classes e da luta de duas linhas. Devem assegurar-se de que, ainda que as tarefas sejam pesadas, não se deixa as questões essenciais de lado, e ainda que haja muito trabalho, seja atribuído tempo para elas. Devem elevar constantemente seu nível de consciência quanto a captar as questões essenciais e esforçar-se por levar a cabo, ainda melhor, todas as tarefas militantes atribuídas a eles pelo X Congresso.

Os membros do Partido Comunista devem sujeitar-se conscientemente à direção centralizada do Partido e mantê-la

O fortalecimento da direção centralizada do Partido e o exercício do seu papel protagonista nas fileiras de frente do proletariado não podem separar-se do papel que os comunistas devem cumprir como elementos avançados e como exemplo. Todo membro do Partido deve levar a cabo plenamente seu papel, estar submetido completamente à direção centralizada do Partido e mantê-la.

Na frente ideológica, devemos elevar nosso nível de consciência com respeito à grande importância de fortalecer a direção centralizada do Partido. O caráter complexo e duradouro da luta de classes e da luta de duas linhas no Partido e as duras tarefas que devemos assumir na revolução e construção ao longo de todo o período histórico do socialismo, torna obrigatório fortalecer a direção centralizada do Partido e não debilita-la. Em seus intentos de derrubar a ditadura do proletariado e restaurar o capitalismo em nosso país, os inimigos de classe tanto externos como internos sempre dirigiram seus ataques contra nosso Partido. Infiltrando nossas fileiras e atraindo nossos quadros para as suas, eles tentam por todos os meios ganhar agentes em nosso Partido, com a vã esperança de transformar este Partido marxista-leninista em um partido revisionista, um partido fascista, e mudar a cor de toda a China. Diante disto, devemos estar sumamente vigilantes. Alguns camaradas pensam que o fortalecimento da direção centralizada do Partido é uma questão dos dirigentes e que não concerne a eles. Isto é completamente falso. Como disse o camarada Stalin: “Sem a direção do Partido… a ditadura do proletariado será impossível. Seria suficiente sacudir o Partido, para debilita-lo,  para que a ditadura do proletariado seja sacudida e debilitada em um instante”. (120) Deste modo, podemos ver que os interesses fundamentais do proletariado dependem de manter a direção do Partido; é uma questão muito importante da qual depende a consolidação e o desenvolvimento da ditadura do proletariado. Como pode então alguém dizer que isto não lhe concerne? Todo comunista deve observar estas questões a partir do elevado ponto de vista da luta de classes e da luta de duas linhas com o fim de aprender a captar a importância de fortalecer a direção centralizada do Partido, de submeter-se à direção centralizada do Partido e mantê-la.

Devemos manejar adequadamente a relação entre o indivíduo e a organização, submeter-nos resolutamente à direção do Partido e não apenas fazer o que queremos. Todo membro do Partido Comunista é parte integral do conjunto. Deve permanecer uno com os organismos do Partido e estar sob a direção deste organismo, trabalhar e lutar para implementar o programa e a linha do Partido. Deve manter o sistema de informes aos organismos do Partido, informar frequentemente ao seu organismo o estado de sua ideologia e seu trabalho; deve refletir os sentimentos e necessidades das massas e, com o apoio e a ajuda da organização do Partido, fortalecer os laços entre o Partido e o povo e fazer bem o trabalho do Partido. Se invertemos a relação entre o indivíduo e a organização, queremos que a organização submeta-se ao indivíduo, debilitamos a direção centralizada do Partido; isto é sumamente perigoso. Para os comunistas que estão em posições principais de comitês de Partido em diversos níveis (ramo geral, ramo), é ainda mais necessário prestar atenção a esta questão. Devem sujeitar-se à direção centralizada do comitê do Partido, colocar a si próprios dentro dele, não fora, muito menos acima dele, com o fim de melhorar o trabalho ao seu cargo. Devem partir do ponto de vista da situação global e não apenas de seu próprio setor e em nenhuma circunstância devem converter sua região, setor ou unidade em um “reino independente”. Os comunistas que têm responsabilidades nas organizações revolucionárias de massas, em todos os níveis, devem sujeitar-se conscientemente à direção centralizada da organização do Partido em seu nível, pedir instruções e informar o mais frequentemente possível à organização. Ao mesmo tempo devem, sob a liderança dos corpos superiores, levar a cabo seu trabalho de forma ativa e com iniciativa. Em resumo, todo membro do Partido Comunista deve manejar corretamente a relação entre o indivíduo e a organização, sujeitar-se resolutamente à direção do Partido – não fazer o que lhe apraz na frente política, não pensar de uma forma e atuar de outra na frente organizativa, não crer-se a si próprio o mais inteligente no trabalho – e preservar a direção centralizada do Partido de forma exemplar.

Devemos lutar resolutamente contra as palavras e as ações que debilitam e sabotam a direção centralizada do Partido. A luta entre os que querem fortalecer e manter a direção centralizada do Partido e os que querem debilita-la e sabota-la terá lugar durante longo tempo, e todo comunista deve consagrar-se valentemente a defender a direção centralizada do Partido, a fim de consolidar a ditadura do proletariado. Liu Shao-Chi, Lin Piao e outros bandidos, assim como o punhado de pessoas em posições de autoridade, seguidores do caminho capitalista que infiltraram-se no Partido, estavam definitivamente interessados em sabotar a direção do Partido para lograr seu criminoso objetivo de mudar o caráter, o programa e a linha do Partido. Embora Lin Piao e Liu Shao-Chi tenham sido derrotados, de maneira alguma a luta terminou. No futuro, podem se apresentar outra vez indivíduos para empregar enganos para sabotar a direção centralizada do Partido. Por isto, devemos manter os olhos bem abertos e aumentar nossa vigilância para frustrar os complôs tramados por bandidos do tipo de Liu Shao-Chi e Lin Piao, dirigidos a sabotar a direção centralizada do Partido. Devemos lutar resolutamente contra eles no espírito revolucionário de atrever-se a ir contra a corrente. Há camaradas em nossas fileiras que creem-se superiores aos outros, que são arrogantes, que não respeitam a direção coletiva do Partido e atuam simplesmente como lhes apetece, enfrentando todas as questões importantes sozinhos. Há também camaradas que não têm um forte conceito de Partido, e na área de trabalho em que são responsáveis, não pedem instruções com frequência suficiente e não apresentam suficientes informes à organização do Partido em seu nível. Há ainda outros que vêem a direção centralizada do Partido de maneira unilateral – o seja, pensam que sujeitar-se à direção do Partido significa depender completamente dele; tanto para os assuntos importantes como para os minúsculos, eles sempre buscam a aprovação do comitê do Partido para aborda-los, e impedem deste modo que o comitê aborde as questões importantes. Todos estes defeitos prejudicam o processo de fortalecimento da direção centralizada do Partido. Devemos distinguir entre estes diferentes casos a fim de corrigi-los, ver que é o envolvimento em termos da linha e ajudar estes camaradas a elevarem sua compreensão e corrigirem sua atitude. Todo membro do Partido Comunista deve fortalecer seu conceito de Partido, fortalecer seu espírito de Partido proletário e elevar seu nível de consciência para defender a direção centralizada do partido e opor-se e frustrar os planos das tendências errôneas que visam debilitar e sabotar esta direção.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s