Peru: Viva o 38º aniversário da Guerra Popular (Partido Comunista do Peru, setembro de 2018)

Nota do blog: Publicamos agora tradução não-oficial da declaração do Partido Comunista do Peru, em processo de reorganização geral do partido, por ocasião dos 38 anos da Guerra Popular no Peru, que ainda hoje mantém-se invencível, apesar de todas as dificuldades e ziguezagues invariáveis da luta de classes.


Proletários de todos os países, uni-vos!

Viva o 38º aniversário da Guerra Popular

Aprender com o Presidente Gonzalo encarnando e aplicando o Pensamento Gonzalo!

“Assim, sobre essa negra perspectiva econômica se levantam caducas e reacionárias instituições que só sobrevivem pela força da inércia e das armas que as sustentam, cada vez derramando mais e banhando-se no incendiário sangue do povo desarmado, vilmente oprimido, que já começou a dizer Basta!, e a cada dia crê menos no velho Estado e espera menos do governo. Em conclusão, o desprestígio, a desordem, o caos –  além da corrupção e do mais desavergonhado cinismo – corroem o Estado latifundiário-burocrático, por cujo governo competem de novo frívola e alegremente, com escaramuças verbais e quiçá algum que outro choque, uns quantos demagogos de interesses mal encubertos e ambições desenfreadas…” ─ Presidente Gonzalo

O Partido Comunista do Peru, sob nossa invicta e todopoderosa ideologia, o marxismo-leninismo-maoismo pensamento gonzalo, nos reafirmamos uma vez mais em defender a vida e a saúde do Presidente Gonzalo, cerrando fileiras pela esquerda do partido, que briga incansavelmente pela reorganização geral do partido.

Saudamos o proletariado internacional e povos do mundo, o proletariado e o povo do Peru, especialmente o campesinato principalmente pobre.

Saudamos as massas populares, porque as massas fazem a história, as massas fazem a guerra popular. Massas que, da força temperada de seu sangue combatente, luminosa luz inextinguível, gerou a guerra popular, gerou os dirigentes, quadros e militantes do partido; gerou os combatentes do Exército Popular de Libertação, milhares e milhares de filhos do povo que lutam e lutarão por transformar essa velha e caduca sociedade peruana desde seu alicerce, filhos do povo que com a demolidora linguagem das armas construirão, mais cedo que tarde, superando a curva, a nova sociedade para os oprimidos e explorados.

Saudamos o proletariado, o povo e as massas que com sua fome e seu sangue, no fragor da guerra popular, são enaltecidos até transfigurar-se em ardente chama da luz imarcescível do marxismo-leninismo-maoismo, principalmente maoismo, verdadeira e todopoderosa ideologia do proletariado internacional, porque com sua ação sustenta e impulsiona a luta contra a ofensiva contrarrevolucionária geral e permite enfrentar a desenfreada e sinistra campanha em conluio e pugna com os revisionistas – campanha desenvolvida pelo imperialismo contra o marxismo.

Síntese:

A validez da guerra popular, teoria militar do proletariado, serve a combater indesmaiável e impecavelmente o imperialismo, o revisionismo e a reação mundial para, desenvolvendo a revolução proletária mundial, colocar o marxismo-leninismo-maoismo como mando e guia do proletariado e dos povos do mundo.

Saudamos o proletariado e o povo, as massas, porque de suas infatigáveis e fortes mãos têm surgido os três instrumentos da revolução; porque seu espírito rebelde, indobrável e sua sabedoria inesgotável nutrem o Partido Comunista do Peru, vanguarda organizada do proletariado, sob a chefatura do Presidente Gonzalo, direção e garantia da revolução peruana, eixo de toda construção revolucionária, sustentado no marxismo-leninismo-maoismo pensamento gonzalo, porque sua vontade, diariamente engrossada e sua irredutível heroicidade, late no Exército Popular de Libertação, exército de novo tipo, combatente, oposto em sua essência e em sua forma às forças armadas reacionárias e genocidas, exército que, sob a direção do partido, cumpre as tarefas políticas da revolução, coluna vertebral do novo Estado e serve ao povo, porque sua grandiosa capacidade transformadora e sua poderosa força construtora gera, sustenta e desenvolve o novo Poder, a ditadura conjunta baseada na aliança operário-camponesa dirigida pelo proletariado através do partido. O novo Estado que por anos florescendo, mais pujante, com os comitês populares, bases de apoio com grandioso brilho desafiante no próprio seio do povo. Farol que ilumina nosso único e justo caminho, a guerra popular, que logo elevará em seu cume mais alto a bandeira vermelha com a foice e o martelo.

Saudamos o proletariado, o povo e as massas no 38º aniversário da guerra popular. Sem seu apoio incomensurável não haveria validez engrossada da invencível guerra popular; sem seu pão repartido, sem seu indesmaiável esforço constante; sem seu próprio sangue precioso a guerra popular não seria o que é: a mais grandiosa e transcendental epopeia transformadora do povo peruano; sem seu sustento não seria o que é: testemunho irrefutável da invencibilidade da guerra popular, prova confiável da imarcescível verdade do marxismo-leninismo-maoismo, principalmente do maoismo; sem seu suporte crescente a guerra popular no Peru não seria o que é: fogueira de esperança que se estende para além de nossas fronteiras, em perspectiva, triunfo chave para a revolução proletária mundial que impulsiona constituição e reconstituição de partidos comunistas no mundo; sem o proletariado, o povo e o campesinato principalmente pobre, sem plasmar criadoramente o grande salto e incorporação das massas à guerra popular não se conquistará o Poder em todo o país.

Por tudo o dito:

Partindo sempre de que as massas fazem a história, que as massas fazem a guerra popular em perspectiva e que a tendência histórica e política principal é a revolução – festa dos oprimidos, otimismo da classe, nossa bela condenação, hoje como ontem, continuação das lutas de classes com as armas na mão.

O Partido Comunista do Peru saúda o proletariado, povo e as massas, e os chama a servir com compromisso de, com suas próprias mãos, mediante a guerra popular e dirigidos pelo partido, construir a conquista do Poder em todo o país e forjar a República Popular do Peru. Convoca os quadros e militantes, combatentes e massas a ser parte, dobradiça da reorganização geral do partido.

A sinistra sentença de cadeia perpétua contra nossa chefatura, o Presidente Gonzalo – continuador de Marx, Lenin e do Presidente Mao Tsetung – não deterá nem afogará a revolução. São sonhos de hiena dessa velha e caduca ordem. Lhes dizemos:

Viva o marxismo-leninismo-maoismo, principalmente o maoismo!

Viva o 38º aniversário da guerra popular!

Viva o Partido Comunista do Peru, marxista-leninista-maoista pensamento gonzalo!

Viva o Presidente Gonzalo, chefe do partido e da revolução!

Honra e glória ao proletariado e ao povo do Peru!

 

“O pior temor, ao fim e ao cabo, é não confiar nas massas, é crer-se indispensável, centro do mundo, creio que isso é [temível], e se alguém é formado pelo Partido com a ideologia do proletariado, com o maoismo principalmente, compreende que as massas fazem a história, que o Partido faz a revolução, que a marcha da história está definida, que a revolução é a tendência principal, logo se esfumaça o temor e só fica a satisfação de ser argamassa e, junto a outras argamassas, servir a pôr cimentos para que algum dia brilhe o comunismo e ilumine toda a Terra” ─ Entrevista com o Presidente Gonzalo, Comitê Central, Partido Comunista do Peru, julho, 1988

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s