Sobre a atual situação na Venezuela – Parte III Seção I

Nota do blog:  Prosseguindo com as análises a respeito da situação na Venezuela, divulgamos importantes aportes dos companheiros da AND – Hamburgo (Nuevo Peru). Este artigo se caracteriza por subdivisões que publicaremos no decorrer das próximas semanas e que, para melhor compreensão, nomearemos aqui de “Seção”.

 Seção I

Uma leitura crítica do artigo “Venezuela: a crise econômica de 2016”, de Manuel Sutherland.

Continuamos abordando hoje, a situação da Venezuela a partir de uma leitura crítica do artigo “Venezuela: a crise econômica de 2016”, de Manuel Sutherland, pesquisador do Centro de Pesquisa e Formação Operária (CIFO) e professor alvo de represália da Universidade Bolivariana da Venezuela, publicada em sinpermiso.info em 31/08/2016.

Utilizamos esta forma para rebater os argumentos contrários a respeito e expor os nossos sobre a atual situação na Venezuela, isto desde o ponto de vista da posição e da concepção do marxismo-leninismo-maoismo, pensamento Gonzalo, para servir ao desenvolvimento do caminho do povo nesse país. E como tem que ser, não só analisamos criticamente mas também tomamos conclusões (síntese).

Continuar lendo “Sobre a atual situação na Venezuela – Parte III Seção I”

Sobre a atitude dos antiimperialistas quanto ao PKK

Extraído de vnd-peru.blogspot.com.br

(Dem Volke Dienen, Alemanha)

Apresentação

 Como apresentação da tradução de um colaborador, do alemão para espanhol, deste importante documento  do blog : Dem Volke Dienen (Servir ao Povo), SOBRE A ATITUDE DOS ANTIIMPERIALISTAS QUANTO O PKK, queremos dizer o seguinte:

O Presidente Mao nos ensina que, quando o imperialismo invade o país ou desata sua agressão militar como o faz, em conluio e pugna por partilha e repartilha, nos países do Oriente Médio Ampliado (Ásia ocidental, no artigo), o que corresponde fazer é “formar uma ampla frente única nacional revolucionária”.

Continuar lendo “Sobre a atitude dos antiimperialistas quanto ao PKK”

Sobre a atual situação na Venezuela – Parte II

Nota do Blog: Publicamos a seguir a continuação da série de análises sobre a situação da Venezuela propalada pelos companheiros da “Associação de Nova Democracia – Nuevo Peru” (Hamburgo – Alemanha).

 

SOBRE A CRISE POLÍTICA NA VENEZUELA

 

Continuar lendo “Sobre a atual situação na Venezuela – Parte II”

Dar a vida pelo Partido e pela Revolução (Dia da Heroicidade – Presidente Gonzalo, 1987)

Nota do blog: Publicamos tradução não-oficial encontrada na internet da declaração do Presidente Gonzalo, chefatura do PCP e da Revolução Peruana, por ocasião do Dia da Heroicidade.

Após a heroica resistência desatada pelos prisioneiros de guerra, militantes e dirigentes do PCP nas Luminosas Trincheiras de Combate de El Frontón, Lurigancho e Callao, o Presidente Gonzalo sintetizou aquele episódio: “a rebelião dos prisioneiros de guerra, custando a própria vida, conquistou para o Partido e à revolução um grandioso triunfo moral, político e militar … e sim, a besta reacionária bebeu sangue até a saciedade para impor a paz dos mortos, as vidas miseráveis e sorreteiramente cegadas transformaram-se em imperecedoras, plasmam a trilogia monumental das luminosas trincheiras de combate do Frontón, Lurigancho e Callao, marco histórico que proclamará mais e mais a grandeza do Dia da Heroicidade.”


O inesgotável seio do povo nutriu-os com sóbrio alimento e colocou-os a andar; a luta de classes foi modelando sua mente; e o Partido, como a principal e maior forma social, elevou sua consciência política, armando-a com o marxismo-leninismo-maoísmo pensamento-guia, potencializou sua combatividade organizando-os no Exército Guerrilheiro Popular, e fundindo-os com as massas do campesinato pobre, temperou seu corpo e espirito na fornalha inextinguível da guerra popular. Convertidos em prisioneiros de guerra, nunca ajoelharam-se, persistiram em combater, mobilizar e produzir e, em ardorosas lutas, transformaram as sórdidas masmorras do caduco e podre Estado peruano em luminosas trincheiras de combate.

Continuar lendo “Dar a vida pelo Partido e pela Revolução (Dia da Heroicidade – Presidente Gonzalo, 1987)”

Marrocos: As lutas das massas populares do Rife são justas e legítimas!

Retirado de vnd-peru.blogspot.com

Jamais a repressão do regime reacionário poderá apagar a chispa revolucionária que incendeia a região depois de tanto tempo!

Há mais de 7 meses, as massas da região norte de Marrocos – Rife revolucionário – mantêm a realização de lutas incansáveis e em curso, e isto apesar do covarde assassinato do jovem Mohsen FIKRI por assassinos do regime marroquino reacionário.

Continuar lendo “Marrocos: As lutas das massas populares do Rife são justas e legítimas!”

A Terceira Internacional e seu lugar na história (Lenin)

 

Nota do blog: Publicamos importante documento do grande Lenin sobre a Internacional Comunista. A Internacional Comunista, quando reconstituída como III Internacional, dotou o proletariado de seu Partido internacional.

Na história, a Internacional Comunista foi a condição para que o proletariado se impusesse; hoje, a Internacional marxista-leninista-maoísta é a condição para que o maoísmo se imponha como mando e guia da Segunda Grande Onda da Revolução Proletária Mundial que já está em curso triunfante. Segunda Grande Onda que se dá com as lutas de libertação nacional dando cabo do invasor principalmente no Oriente Médio e com as guerras populares no Peru, Índia, Filipinas e Turquia e as que estão por iniciar, conformando em cada país a união do movimento de libertação nacional com o movimento comunista internacional.

Nas palavras do grande Lenin, “A aliança internacional dos partidos que dirigem o movimento mais revolucionário do mundo, o movimento do proletariado para a derrubada do jugo do capital, conta agora com uma base mais sólida do que nunca”.


A Terceira Internacional e seu lugar na história

V.I. LENIN

Os imperialistas dos países da “Entente” bloqueiam a Rússia, tratando de isolar a República Soviética, como foco contaminador, do mundo capitalista. Estas pessoas, que se gabam do “democratismo” de suas instituições, estão tão cegas pelo ódio à República Soviética que não atentam como eles próprios fazem o ridículo. Figurem-se os senhores, os países mais adiantados, mais civilizados e “democráticos”, armados até os dentes, que têm todo o mundo indivisível sob domínio militar, temem como ao fogo o contágio ideológico procedente de um país arruinado, faminto, atrasado e que, segundo eles, é inclusive um país semi-selvagem!

Apenas esta contradição já abre os olhos das massas trabalhadoras de todos os países e ajuda a desmascarar a hipocrisia dos imperialistas como Clemenceau, Loyd George, Wilson e seus governos.

Mas a nós, ajuda-nos não apenas a cegueira que o ódio aos Sovietes causa aos imperialistas, mas também as desavenças entre eles, que os levam a darem-se rasteiras mútuas. Organizaram entre si uma verdadeira conspiração de silêncio, temendo mais que tudo a difusão de notícias verídicas sobre a República Soviética em geral, e de seus documentos oficiais em particular. Porém, o órgão principal da burguesia francesa, Le Temps, publicou a matéria sobre a fundação, em Moscou, da III Internacional, da Internacional Comunista.

Continuar lendo “A Terceira Internacional e seu lugar na história (Lenin)”

Os cem dias do governo Trump (Associação de Nova Democracia – Hamburgo, Alemanha)

 

Nota do blog: Concluímos a publicação da análise dos camaradas da Associação de Nova Democracia Nuevo Peru (Hamburgo, Alemanha) sobre o processo de reacionarização do Estado burguês, particularmente o Estado imperialista ianque, com ênfase na troca de presidente que o revisionismo de Avakian/PCR chama de “fascismo”.


Troca de autoridades reacionárias nos Estados Unidos e o processo de reacionarização do Estado burguês. Os cem dias (continuação)

Escrevemos no artigo precedente sobre a troca de autoridades reacionárias nos Estados Unidos, que o governo do arquirreacionário genocida Trump não representa um rompimento, mas uma continuidade no cumprimento das tarefas reacionárias que assumiu o governo anterior do reacionário genocida Obama, do Partido Democrata. Tarefas cujo cumprimento são necessidade do imperialismo.

Firmamos que frente ao fracasso do governo Obama no cumprimento nestas três tarefas reacionários impulsionou-se uma troca de governo, assumindo o cumprimento das mesmas a outra fração do imperialismo ianque, representada pelo Partido Republicano. Este governo encabeçado pelo arquirreacionário e genocida Trump, como vamos fazer com cada tarefa, expressa esta continuidade. Hoje começamos com os 100 primeiros dias de novo governo na política exterior ianque e na guerra de agressão imperialista contra os povos oprimidos.

Continuar lendo “Os cem dias do governo Trump (Associação de Nova Democracia – Hamburgo, Alemanha)”

Índia: 50 anos de Naxalbari, por Varavara Rao

Nota do blog: Reproduzimos tradução de trechos do documento escrito pelo dirigente da Frente Democrática Revolucionária (FDR) na Índia, camarada Varavara Rao, em celebração dos 50 anos do Levantamento Camponês de Naxalbari.


“Na Índia, o levantamento armado revolucionário camponês de Naxalbari, que completará seu 50º aniversário, foi influenciado e inspirado pela Grande Revolução Cultural Proletária da China. Naxalbari foi um acontecimento que conquistou espaço sob a liderança do Camarada Charu Mazumdar – um dos dois grandes líderes, mestres e fundadores do PCI (Maoísta), sendo ele e o camarada Kanhai Chatterjee. Naxalbari marcou um novo começo na história da revolução democrática do país”.

Essa foi a observação feita pelo Comitê Central do PCI (Maoísta) que, ao mesmo tempo, fazia um chamado a celebrar os quatro grandes eventos da história para chegar ao socialismo no mundo, incluindo o quinquagésimo aniversário de Naxalbari. É óbvio que os maoístas – mais ainda no PCI (Maoísta) – são os verdadeiros herdeiros do Movimento Naxalbari na Índia, além de certos grupos revolucionários e indivíduos em todo o país. A menos que se construa um partido bolchevique com espírito bolchevique para alcançar a revolução indiana, que una todas essas forças revolucionárias, a Revolução de Nova Democracia na Índia, não se pode alcançar um precursor do socialismo.

Continuar lendo “Índia: 50 anos de Naxalbari, por Varavara Rao”