“Não podemos falhar”, por Presidente Gonzalo

Nota do blog: Um dos poemas estruturados a partir de intervenções do Presidente Gonzalo, compilados no livro “Poemas de Guerra” (edições Ayacucho).

Não podemos falhar

Assim há de ser, camaradas,

Assim há de ser.

A briga será dura

longa

difícil

cruenta

há que temperar a alma

ser fortes

vigorosos

não temer

e estar seguros

da vitória

Com decisão e firmeza

iniciaremos

a Luta Armada

a desataremos

e suas bandeiras

povoarão nossa terra

com rotundas ações

que registrará

a história.

Camaradas,

nosso povo entra

a tomar o poder

pelas armas

Isso faremos nós!

A isso servimos

e serviremos

O povo

a classe

o proletariado

o demandam

Não podemos

não devemos

falhar.

“Os homens da terra”, por Vinicius de Moraes

Vinicius de Moraes

Em homenagem aos trabalhadores da terra do Brasil, que enfim despertaram e cuja luta ora inicia.

Senhores Barões da terra
Preparai vossa mortalha
Porque desfrutais da terra
E a terra é de quem trabalha
Bem como os frutos que encerra
Senhores Barões da terra
Preparai vossa mortalha.
Chegado é o tempo de guerra
Não há santo que vos valha:
Não a foice contra a espada
Não o fogo contra a pedra
Não o fuzil contra a enxada:
– União contra granada!
– Reforma contra metralha!

Continuar lendo ““Os homens da terra”, por Vinicius de Moraes”

Celebrar os 50 anos da Grande Revolução Cultural Proletária!

Pedimos aos leitores que acompanhem este blog (link abaixo) sobre os 50 anos da Grande Revolução Cultural Proletária que tanto estamos tratando neste ano corrente. Aproveitamos para reafirmar o convite lá feito, para o Ato Político-cultural em celebração desta importantíssima data para o proletariado internacional e revolucionários:

Ato político-cultural

Dia 14 de outubro, a partir das 13h00

Teatro Mário Lago – Colégio Pedro II

São Cristóvão – Rio de Janeiro – RJ

Brasil

http://celebrar50anosgrcp.blogspot.com/

Celebrar os 50 anos da Grande Revolução Cultural Proletária!

“Pôr a política no posto de comando!”

“Na Grande Revolução Cultural Proletária é preciso trazer bem levantada a grande bandeira vermelha do pensamento de Mao Tsetung e pôr a política proletária no posto de comando.” (Partido Comunista da China, 1966: ‘Decisão do CC do PCCh sobre a GRCP’, ‘Documento dos 16 pontos’)

“É preciso ousar fazer a revolução, é preciso saber fazê-la com benefício. Não temer as desordens.” (Partido Comunista da China, 1966: ‘Comunicado da XI Sessão Plenária do Comitê Central resultante do VIII Congresso do PCCh’)

 

1111

o coração

“Têmpera distinta”, por Presidente Gonzalo

Nota do blog: O seguinte poema que publicamos em sequência foi retirado do livro “Tempos de Guerra”, organizado com poemas atribuídos ao Presidente Gonzalo.presidente gonzalo foto


Têmpera distinta

Somos comunistas
de têmpera distinta
de material especial
Somos comunistas
dispostos a tudo
Sabemos
o que temos
que enfrentar
O temos enfrentado já
O enfrentaremos amanhça

O amanhã será duro
mas
estaremos temperados
pelo passado
e nos forjamos
hoje.

Temos um alto otimismo
somos condutores
fazedores do amanhã
somos guias
estado maior
do invencível triunfo
da classe.

Por isso
somos
otimistas

participamos
das divinidades
do mundo atual
a massa
a classe
o Marxismo
a Revolução

Temos
inesgotável
entusiasmo
Somos fortes
otimistas
vigorosos de alma
E transbordamos
entusiasmo.

“Tem se rebelado”, por Presidente Gonzalo

Nota do blog: O seguinte poema que publicamos em sequência foi retirado do livro “Tempos de Guerra”, organizado com poemas atribuídos ao Presidente Gonzalo.presidente gonzalo foto

 


Tem se Rebelado

Desde os velhos tempos
as massas
vivem sujeitas
à exploração
e opressão
e sempre
se rebelou.

Desde sempre
desde que combatem
têm clamado
por organizar
a rebelião
seu armamento
seu levantamento
que se lhes dirija
que se lhes conduza.

Sempre tem sido assim

E seguirá sendo
e depois
que houver outro mundo
seguirá sendo.


que
de
outra
maneira.

PCP: “Canções das luminosas trincheiras de combate”

Nota do blog: As canções das luminosas trincheiras de combate foram cantadas e produzidas as gravações pelos prisioneiros de guerra do PCP dentro das prisões do velho Estado. Mostra o altivo espírito dos revolucionários peruanos presos na luta pela conquista do Poder em todo o País, que mesmo quando presos, seguem servindo à Revolução Peruana e, por que não dizer, à Revolução Proletária Mundial com seu exemplo glorioso.

As canções são hinos do PCP que falam sobre o partido, a chefatura e a ideologia, as massas, o Exército Guerrilheiro Popular e a Guerra Popular.

Continuar lendo “PCP: “Canções das luminosas trincheiras de combate””