“Não podemos falhar”, por Presidente Gonzalo

Nota do blog: Um dos poemas estruturados a partir de intervenções do Presidente Gonzalo, compilados no livro “Poemas de Guerra” (edições Ayacucho).

Não podemos falhar

Assim há de ser, camaradas,

Assim há de ser.

A briga será dura

longa

difícil

cruenta

há que temperar a alma

ser fortes

vigorosos

não temer

e estar seguros

da vitória

Com decisão e firmeza

iniciaremos

a Luta Armada

a desataremos

e suas bandeiras

povoarão nossa terra

com rotundas ações

que registrará

a história.

Camaradas,

nosso povo entra

a tomar o poder

pelas armas

Isso faremos nós!

A isso servimos

e serviremos

O povo

a classe

o proletariado

o demandam

Não podemos

não devemos

falhar.

“Os homens da terra”, por Vinicius de Moraes

Vinicius de Moraes

Em homenagem aos trabalhadores da terra do Brasil, que enfim despertaram e cuja luta ora inicia.

Senhores Barões da terra
Preparai vossa mortalha
Porque desfrutais da terra
E a terra é de quem trabalha
Bem como os frutos que encerra
Senhores Barões da terra
Preparai vossa mortalha.
Chegado é o tempo de guerra
Não há santo que vos valha:
Não a foice contra a espada
Não o fogo contra a pedra
Não o fuzil contra a enxada:
– União contra granada!
– Reforma contra metralha!

Continuar lendo ““Os homens da terra”, por Vinicius de Moraes”

“Têmpera distinta”, por Presidente Gonzalo

Nota do blog: O seguinte poema que publicamos em sequência foi retirado do livro “Tempos de Guerra”, organizado com poemas atribuídos ao Presidente Gonzalo.presidente gonzalo foto


Têmpera distinta

Somos comunistas
de têmpera distinta
de material especial
Somos comunistas
dispostos a tudo
Sabemos
o que temos
que enfrentar
O temos enfrentado já
O enfrentaremos amanhça

O amanhã será duro
mas
estaremos temperados
pelo passado
e nos forjamos
hoje.

Temos um alto otimismo
somos condutores
fazedores do amanhã
somos guias
estado maior
do invencível triunfo
da classe.

Por isso
somos
otimistas

participamos
das divinidades
do mundo atual
a massa
a classe
o Marxismo
a Revolução

Temos
inesgotável
entusiasmo
Somos fortes
otimistas
vigorosos de alma
E transbordamos
entusiasmo.

“Tem se rebelado”, por Presidente Gonzalo

Nota do blog: O seguinte poema que publicamos em sequência foi retirado do livro “Tempos de Guerra”, organizado com poemas atribuídos ao Presidente Gonzalo.presidente gonzalo foto

 


Tem se Rebelado

Desde os velhos tempos
as massas
vivem sujeitas
à exploração
e opressão
e sempre
se rebelou.

Desde sempre
desde que combatem
têm clamado
por organizar
a rebelião
seu armamento
seu levantamento
que se lhes dirija
que se lhes conduza.

Sempre tem sido assim

E seguirá sendo
e depois
que houver outro mundo
seguirá sendo.


que
de
outra
maneira.

“A grande ruptura”, por Presidente Gonzalo

Nota do blog: O seguinte poema que publicamos em sequência foi retirado do livro “Tempos de Guerra”, organizado com poemas atribuídos ao Presidente Gonzalo.presidente gonzalo foto


A grande ruptura

O tempo chegou,
Camaradas,
o tempo chegou

É tempo de grande ruptura

Se no mundo caduco
temos
algum interesse
não poderemos
destruí-lo

Individualmente
poderemos ser débeis
Um, como indivíduo
como pessoa
pode ser frágil e débil

Mas a Revolução
é todo-poderosa
e a Revolução Armada
mais ainda
porque se sustenta
nas massas
que é a força
da terra
porque as dirige
o Partido
que é a luz
do Universo.