Peru: Viva o 38º aniversário da Guerra Popular (Partido Comunista do Peru, setembro de 2018)

Nota do blog: Publicamos agora tradução não-oficial da declaração do Partido Comunista do Peru, em processo de reorganização geral do partido, por ocasião dos 38 anos da Guerra Popular no Peru, que ainda hoje mantém-se invencível, apesar de todas as dificuldades e ziguezagues invariáveis da luta de classes.


Proletários de todos os países, uni-vos!

Viva o 38º aniversário da Guerra Popular

Aprender com o Presidente Gonzalo encarnando e aplicando o Pensamento Gonzalo!

“Assim, sobre essa negra perspectiva econômica se levantam caducas e reacionárias instituições que só sobrevivem pela força da inércia e das armas que as sustentam, cada vez derramando mais e banhando-se no incendiário sangue do povo desarmado, vilmente oprimido, que já começou a dizer Basta!, e a cada dia crê menos no velho Estado e espera menos do governo. Em conclusão, o desprestígio, a desordem, o caos –  além da corrupção e do mais desavergonhado cinismo – corroem o Estado latifundiário-burocrático, por cujo governo competem de novo frívola e alegremente, com escaramuças verbais e quiçá algum que outro choque, uns quantos demagogos de interesses mal encubertos e ambições desenfreadas…” ─ Presidente Gonzalo

O Partido Comunista do Peru, sob nossa invicta e todopoderosa ideologia, o marxismo-leninismo-maoismo pensamento gonzalo, nos reafirmamos uma vez mais em defender a vida e a saúde do Presidente Gonzalo, cerrando fileiras pela esquerda do partido, que briga incansavelmente pela reorganização geral do partido.

Continuar lendo “Peru: Viva o 38º aniversário da Guerra Popular (Partido Comunista do Peru, setembro de 2018)”

A disciplina do Partido (Partido Comunista da China, 1974 – Parte VIII)

Nota do blog: Publicamos a seguir o oitavo capítulo do importante documento do Partido Comunista da China, intitulado Uma compreensão básica do Partido, datado de 1974, num esforço de sintetizar a Base de Unidade Partidária, os princípios, estratégia, tática e métodos adotados pelo Partido para fazer a Revolução, prevenir-se do revisionismo, aplastar a restauração capitalista e seguir a via socialista. Publicamos objetivando servir melhor à formação ideológica e política, sobretudo da juventude.

Os capítulos anteriores: I, II, III, IV, V, VI e VII.

Tradução não oficial, realizada voluntariamente por uma leitora.


Capítulo VIII
A disciplina do Partido

Os Estatutos do Partido estipulam: “Todo o Partido deve observar a disciplina unificada: o indivíduo está subordinado à organização, a minoria está subordinada à maioria, o nível inferior está subordinado ao nível superior e todo o Partido está subordinado ao Comitê Central”. A disciplina do Partido é uma condição necessária para garantir a implementação da linha, para fortalecer a unidade e a consolidação do Partido, para refinar sua organização, consolidar a ditadura do proletariado e lograr a vitória na revolução. Todo membro do Partido Comunista deve submeter-se conscientemente a esta disciplina e mantê-la.

Continuar lendo “A disciplina do Partido (Partido Comunista da China, 1974 – Parte VIII)”

O centralismo democrático do Partido (Partido Comunista da China, 1974 – Parte VII)

Nota do blog: Publicamos a seguir o sétimo capítulo do importante documento do Partido Comunista da China, intitulado Uma compreensão básica do Partido, datado de 1974, num esforço de sintetizar a Base de Unidade Partidária, os princípios, estratégia, tática e métodos adotados pelo Partido para fazer a Revolução, prevenir-se do revisionismo, aplastar a restauração capitalista e seguir a via socialista. Publicamos objetivando servir melhor à formação ideológica e política, sobretudo da juventude.

Os capítulos anteriores: I, II, III, IV, V e VI.

Tradução não oficial, realizada voluntariamente por uma leitora.


Capítulo VII
O centralismo democrático do Partido

Os estatutos do Partido declaram: “O princípio organizativo do Partido é o centralismo democrático”. Implementar conscientemente o centralismo democrático é de grande importância para organizar a unidade do Partido, fortalecer sua liderança centralizada, aumentar sua capacidade de combate e revigorar a vida do Partido. Todos os comunistas devem compreender cabalmente o significado e o papel do centralismo democrático no Partido e esforçarem-se por elevar seu nível de consciência sobre como aplica-lo.

Continuar lendo “O centralismo democrático do Partido (Partido Comunista da China, 1974 – Parte VII)”

A direção centralizada do Partido (Partido Comunista da China, 1974 – Parte VI)

Nota do blog: Publicamos a seguir o sexto capítulo do importante documento do Partido Comunista da China, intitulado Uma compreensão básica do Partido, datado de 1974, num esforço de sintetizar a Base de Unidade Partidária, os princípios, estratégia, tática e métodos adotados pelo Partido para fazer a Revolução, prevenir-se do revisionismo, aplastar a restauração capitalista e seguir a via socialista. Publicamos objetivando servir melhor à formação ideológica e política, sobretudo da juventude.

Os capítulos anteriores: I, II, III, IV e V.

Tradução não oficial, realizada voluntariamente por uma leitora.


Capítulo V
A direção centralizada do Partido

Os Estatutos do Partido estipulam: “Os órgãos do Estado, o Exército Popular de Libertação e a milícia, os sindicatos, as associações de camponeses pobres e médios da camada inferior, as federações de mulheres, a Liga da Juventude Comunista, as Guardas Vermelhas, as Pequenas Guardas Vermelhas, e outras organizações revolucionárias de massas, devem todas aceitar a direção centralizada do Partido”. O fortalecimento desta direção centralizada, a plena implementação de seu papel revolucionário nas fileiras do proletariado – esta é a garantia fundamental de que nossa causa socialista logrará ainda maiores vitórias. Todos os comunistas devem fortalecer seu conceito de Partido, submeter-se conscientemente à direção centralizada do Partido e preservá-la.

Continuar lendo “A direção centralizada do Partido (Partido Comunista da China, 1974 – Parte VI)”

A Moral Comunista (V. Kolbanoski, 1947)

As questões de moral, assim como todas as questões da vida social, pela primeira vez foram colocadas em sólidas bases cientificas quando surgiu o materialismo histórico, que é a verdadeira ciência das leis do desenvolvimento social.

À luz do materialismo histórico, revela-se claramente a inconsistência das concepções idealistas da moral. Ficam assim expostos os defeitos das teorias sobre moral, correntes até antes do aparecimento da filosofia materialista de Marx. Continuar lendo “A Moral Comunista (V. Kolbanoski, 1947)”

Exemplos que ilustram a lei da unidade dos contrários (Pequim Informa, 1966) – Parte XII

XII – Difundir a dialética própria das coisas, acelerar sua transformação e alcançar o objetivo da revolução

Nota do Redator: As contradições se resolvem através da luta. Os dois aspectos de uma contradição, em condições dadas e como resultado da luta entre eles, transformam-se invariavelmente em seus opostos. O camarada Mao Tsetung nos tem ensinado que a “tarefa dos comunistas consiste precisamente em denunciar as idéias errôneas dos reacionários e metafísicos, propagar a dialética própria das coisas e acelerar a transformação das coisas a fim de alcançar os objetivos da revolução”.
Seguindo os ensinamentos do Presidente Mao, os operários, camponeses, soldados e quadros revolucionários tem utilizado a dialética materialista nos três grandes movimentos revolucionários: a luta de classes, luta pela produção e experimentação científica, para superar diversas dificuldades e transformar as condições adversas em favoráveis, a passividade em iniciativa, uma má colheita em uma abundante, o atrasado em avançado, as coisas más em boas e o fracasso em êxito, avançando assim de vitória em vitória.

Continuar lendo “Exemplos que ilustram a lei da unidade dos contrários (Pequim Informa, 1966) – Parte XII”

O desenvolvimento econômico da sociedade (L. Segal, parte I)

Nota do blog: Publicamos a seguir, dividido em quatro partes, o Manual soviético intitulado O desenvolvimento econômico da sociedade, de L. Segal, onde há uma sistematização acerca disto com base no materialismo histórico. Com isto, objetivamos municiar sobretudo a juventude à luta ideológica sobre o desenvolvimento social da humanidade e sobre a nossa própria história, pondo o marxismo-leninismo-maoismo (marxismo dos dias de hoje) como questão fundamental para compreender o mundo social.


O Desenvolvimento Econômico da Sociedade

A base de toda vida social são as relações de produção entre os homens, é o que demonstram os dois economistas e sociólogos Marx e Engels, descobridores e explicadores das leis do desenvolvimento da sociedade(1).

Continuar lendo “O desenvolvimento econômico da sociedade (L. Segal, parte I)”

Datas memoráveis do proletariado (AND, julho de 2018)

Nota do blog: Retirado da edição 213 do Jornal A Nova Democracia.


Execução de Gabriel Pimenta – 18 de julho de 1982: Gabriel Pimenta, advogado do povo, é executado por pistoleiros por atuar e defender a luta dos camponeses pobres em Marabé, estado do Pará. Ele foi executado aos 27 anos com três tiros nas costas, disparados pelo pistoleiro José Crescêncio de Oliveira, a mando de Manuel Cardoso Neto, conhecido como “Nelito” (latifundiário local). Pimenta havia mudado dois anos antes à região para dedicar-se integralmente à defesa e apoio da luta pela terra, sendo o primeiro advogado a ganhar uma causa a favor dos camponeses no judiciário do sul do Pará. Hoje, em Marabá, há um bairro – fruto de uma ocupação popular – com o nome do advogado do povo e, em Conceição do Araguaia, camponeses organizados pela Liga dos Camponeses Pobres (LCP) batizaram a tomada dos latifúndios Capivara, Talismã e Jacutinga com o nome de Área Revolucionária Gabriel Pimenta.

Continuar lendo “Datas memoráveis do proletariado (AND, julho de 2018)”