Peru: Rechaçamos a VIII Cúpula das Américas (Associação de Nova Democracia, 2018)

Nota do blog:  Publicamos importante texto da Associação de Nova Democracia – Nuevo Peru em repúdio à Cúpula das Américas, apontando esta como instrumento ianque para reger seu domínio sobre os governos lacaios da América do Sul, e ainda, que esta aumentará a repressão sobre o povo peruano.

 


Rechaçamos a VIII Cúpula das Américas impulsionada pelo imperialismo ianque que acontecerá dias 13 e 14 de abril, em Lima.

 

 Rechaçamos a VIII Cúpula das Américas, que acontecerá em Lima nos dias 13 e 14 de abril de 2018, por ser um foro internacional que o imperialismo norte-americano vem impulsionando principalmente com os países agrupados na Aliança do Pacífico, em função da execução de seus planos hegemônicos na região sul-americana, e a concretização de seu chamado “Plano Peru”, que está intimamente ligado a ampliação de seu plano fascista de 1990 reajustado com vistas ao “bicentenário” 2021.

Continuar lendo “Peru: Rechaçamos a VIII Cúpula das Américas (Associação de Nova Democracia, 2018)”

Anúncios

Contra a vulgarização da autocrítica (J. Stalin, 1928)

Nota do blog: Publicamos documento de autoria do camarada Stalin, fruto de luta dentro do Partido acerca da importância de não temer a crítica e autocrítica, de aplicá-las com franqueza e tendo em conta exclusivamente os interesses da classe e do Partido.


 

Contra a vulgarização da autocrítica

26 de junho de 1928 ( Nº 146 Pravda )

J. Stalin

A autocrítica não pode ser considerada algo efêmero e de curta duração. A autocrítica é um método particular, o método bolchevique de educação dos quadros do Partido e de toda a classe operária, no espírito do desenvolvimento revolucionário. Marx já falava da autocrítica como um método de fortalecimento da revolução proletária. No que se refere à autocrítica em nosso Partido, seu começo remontas-se à aparição do bolchevismo como corrente revolucionária independente no movimento operário.

Continuar lendo “Contra a vulgarização da autocrítica (J. Stalin, 1928)”

Peru: O velho Estado peruano está em decomposição (SUTEP, 2018)

Nota do blog: Reproduzimos documentos da I e II Convenção Macro regional Centro do Sindicato Único de Trabalhadores em Educação do Peru – SUTEP, publicação original retirada do sítio eletrônico vnd-peru.blogspot.com.

Tradução não-oficial


O velho Estado peruano está em decomposição

kkkk

Vai o ianque genocida Kucznski e vem o peão do Banco Mundial Vizcarra

1. No campo nacional, a sociedade peruana segue sendo semifeudal (latifúndio, servidão e coronelismo) e semicolonialidade (submissão ideológica, política, econômica, educativa-cultural e militar), na qual se desenvolve e evolui o capitalismo burocrático, onde o Estado (burguesia burocrática, burguesia compradora e latifundiários) utilizado pelas empresas monopolistas transnacionais, aplica com firmeza as políticas projetadas pelo “Consenso de Washington”, da qual se derivam as diretrizes políticos-econômicos-sociais que o Estado executa, como o reimpulso do capitalismo burocrático, a reestruturação do Estado e a flexibilização trabalhista, além de frear e reprimir as lutas do povo; o pagamento pontual da parasitária dívida externa, tais medidas opressoras se traduzem nas privatizações: da educação, da saúde e da previdência social, a demissão massiva de trabalhadores via avaliações políticas e punitivas, o corte de importantes direitos do povo como o direito ao trabalho e a estabilidade trabalhista, as remunerações, bonificações e pensões justas, equitativas e reajustáveis com o custo de vida, entre outros.

Continuar lendo “Peru: O velho Estado peruano está em decomposição (SUTEP, 2018)”

Brasil: Levantar alto a Bandeira Vermelha da Comuna de Paris

Nota do blog: Publicamos a seguir importante documento de estudo produzido pelo Núcleo de Estudos do Marxismo-leninismo-maoismo do Brasil, por ocasião das celebrações pelo Bicentenário do nosso grande fundador, Karl Marx.


Estudar A Guerra Civil na França:

Levantar alto a Bandeira Vermelha da Comuna de Paris

Núcleo de Estudos do marxismo-leninismo-maoismo, Brasil

“O que é a Comuna, esta esfinge que atormenta o espíritos burgueses?”

Karl Marx

Hoje, por ocasião do aniversário de 147 anos da heroica Comuna de Paris, e como parte da Campanha Mundial de celebração dos 200 anos de nascimento do Grande Karl Marx, publicamos o este artigo. Nele destacamos o significado e importância deste grande acontecimento histórico e a necessidade de se estudar, à luz do marxismo-leninismo-maoísmo, este imperecível documento do Movimento Comunista Internacional, A Guerra Civil na França do grande Karl Marx.

Continuar lendo “Brasil: Levantar alto a Bandeira Vermelha da Comuna de Paris”

México: Falece Javier López Martínez, dirigente da Corrente do Povo Sol Rojo

Nota do blog: Reproduzimos nota sobre o falecimento de Javier Martínez, um dos fundadores da Corrente do Povo Sol Vermelho.

Tradução não-oficial


CORRENTE DO POVO SOL VERMELHO

“De agora em diante, quando morrer alguém de nossas fileiras que tenha realizado um trabalho útil, quer seja cozinheiro ou soldado, efetuaremos seu funeral e uma reunião para honrar sua memória”

Presidente Mao Tsetung

Servir o Povo.

8 de setembro de 1944

É com profundo pesar que informamos à classe operária e povos de Oaxaca, do México e do mundo que faleceu um militante muito especial para nossa organização.

O camarada Javier López Martínez, conhecido carinhosamente entre nossas fileiras como Comandante Rojo, faleceu de insuficiência respiratória neste 19 de março. Nós da sua família, amigos e companheiros conservamos as melhores lembranças dele, forjadas no calor da luta de classes.

Quem é Javier López Martínez?

Continuar lendo “México: Falece Javier López Martínez, dirigente da Corrente do Povo Sol Rojo”

9 de Abril – Dia dos Heróis do Povo Brasileiro

Nota do blog: Publicamos matéria do jornal democrático A Nova Democracia, do Brasil, por ocasião do Dia dos Heróis do Povo Brasileiro, 9 de Abril.

Dedicamos solene e humildemente às massas populares que, sob uma direção proletária na frágua pela revolução democrática, agrária e anti-imperialista no Brasil, pagaram sua generosa cota de sangue para pôr fim aos séculos de opressão e exploração. E, principalmente, dedicamos aos revolucionários e comunistas que no Brasil dedicaram toda sua vida às tarefas da Revolução e, em especial, à tarefa de reconstituição do Partido Comunista marxista-leninista-maoista.

Estendemos às massas populares, revolucionários e comunistas que em todo o mundo brigam pela revolução democrática ou socialista em seus países, como parte a serviço da Revolução Proletária Mundial.


9 de Abril – Dia dos Heróis do Povo Brasileiro

Recordar a vida e a luta dos heróis que pagaram sua cota de sangue

O Dia 9 de Abril é o Dia dos Heróis do Povo Brasileiro. A data foi assim declarada por proposição da Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP) e assumida pelos movimentos populares e democráticos do campo e da cidade.

Continuar lendo “9 de Abril – Dia dos Heróis do Povo Brasileiro”

Declaração de solidariedade pelo falecimento do camarada Javier (FRDDP, 2018)

Nota do Blog: Segue importante documento recebido em nosso correio eletrônico.


 

Proletários e povos oprimidos do mundo, uni vos!

 

À Corrente do Povo Sol Rojo,

 

 

A Frente Revolucionária de Defesa do Povo–FRDPP, em nome do proletariado e massas do Brasil, manifesta seu profundo pesar pelo falecimento do camarada Javier Lopez Martinez, o Comandante Rojo, membro fundador da Corrente do Povo Sol Rojo.

Continuar lendo “Declaração de solidariedade pelo falecimento do camarada Javier (FRDDP, 2018)”

Greve por gênero? (Dazibao Rojo, 2018)

Nota do blog:  Segue artigo publicado no blog internacionalista Dazibao Rojo que demarca posição sobre a proposta ‘interclassista’ do feminismo burguês e pequeno-burguês na apregoada “Greve das Mulheres (8M)”.


Por Miguel Alonso
A proposta de uma greve de mulheres a nível mundial, para o próximo 8 de março – Dia Internacional da Mulher Trabalhadora, que parte das mobilizações das mulheres polacas e argentinas (inspiradas nas italianas em 2015), tem tido um amplo eco midiático e planteia uma série de questões que convêm analisar.

Por um lado está, a questão do caráter do Dia Internacional da Mulher Trabalhadora como jornada de luta das mulheres da classe operária ou semiproletárias e, por outro, o intencionado afã de certos setores do feminismo interclassista de apoderar-se do mesmo a partir de suas perspectivas de gênero.

Continuar lendo “Greve por gênero? (Dazibao Rojo, 2018)”