A fabricação de um relógio de frequência do tipo chinês nos apoiando em “Sobre a prática” e “Sobre a contradição” (China, 1966)

Nota do blog: No desfraldar da Grande Revolução Cultural Proletária, momento onde a direita reacionária no PCCh impulsionava em grande escala a restauração capitalista através dos aparelhos do Estado chinês e dos órgãos do Partido Comunista, o Presidente Mao – dirigindo a esquerda proletária e revolucionária – chamou os revolucionários a mobilizar as amplas massas populares com vistas a impulsionar uma contrarrestauração, combatendo a restauração em curso. Neste aspecto, o desfraldar da GRCP se deu mediante uma luta por mobilizar as massas para combater tal restauração – campanha propagada pela esquerda -, enquanto que a direita reacionária apregoava as massas como ignorantes com fins de impedir sua mobilização e dar prosseguimento ao caminho capitalista.

O seguinte texto, igual ao já publicado Aplicação da filosofia na venda de melancias em uma grande cidade, é produção das massas proletárias e camponesas explicando como aplicaram a dialética materialista para resolver seus problemas cotidianos e de trabalho. Este texto é expressão do esforço da esquerda revolucionária por reafirmar que as massas são todo-poderosas, que as massas são sábias e capazes de servir à revolução e libertar-se a si mesma. Daí se impôs uma luta decidida entre restauração-contrarrestauração no âmbito da GRCP; o desfraldar da GRCP só foi possível pela mobilização das massas, e este texto é expressão dessa luta.

1075

Continuar lendo “A fabricação de um relógio de frequência do tipo chinês nos apoiando em “Sobre a prática” e “Sobre a contradição” (China, 1966)”

Estudar os 16 pontos, assimilá-los, pô-los em prática (China, 1966)

Nota do blog: O Documento dos 16 pontos foi resultado de uma longa e dura luta de duas linhas no qual a esquerda revolucionária impôs a linha política geral da Grande Revolução Cultural Proletária. Muito esforço foi necessário para impulsionar a mobilização das massas na crítica aos elementos revisionistas e direitistas burgueses no seio do Partido e em postos dirigentes na China Vermelha; este Editorial do órgão oficial do PCCh, Renmin Ribao, foi um entre várias iniciativas neste sentido, de consolidar o programa da Grande Revolução Cultural Proletária.

Traduzido ao português pelo núcleo de colaboração da versão espanhol retirada do blog “Cultura Proletaria”.

686535de-4b6e-438e-8ed4-883bab012f47
O Documento dos 16 pontos deu a direção a ser seguida pelas massas

Continuar lendo “Estudar os 16 pontos, assimilá-los, pô-los em prática (China, 1966)”

A filosofia aplicada à venda de melancias numa grande cidade (China, 1966)

Nota do blog: O Pensamento de Mao Tsetung, como era conhecido até então os aportes do Presidente Mao, ao início da Grande Revolução Cultural Proletária se proliferou e as amplas massas do povo chinês encarnaram seu pensamento, a ideologia científica da classe (marxismo-leninismo pensamento mao tsetung) e o aplicavam no seu cotidiano, resolvendo seus problemas através da ideologia da classe.

A esquerda revolucionária, reforçando a linha de massas no partido, incentivou as massas a escrever suas experiências de aplicação do Pensamento de Mao Tsetung, que eram publicadas em importantes órgãos do país, combatendo as posições da direita contrarrevolucionária que desprezava as massas e serviam assim à sua imobilização, consequentemente fazendo avançar a restauração capitalista.

Este é o primeiro de uma série de cinco textos desta iniciativa. Foi publicado na China, na revista Pequim Informa – Ano IV nº 37 – 14 de setembro de 1966.

a86868ba445950a25b87936399fc6937

Continuar lendo “A filosofia aplicada à venda de melancias numa grande cidade (China, 1966)”

Somos os críticos do velho mundo (China, 1966)

Nota do blog: Servindo para que os leitores se familiarizem e avancem no estudo e na compreensão da importância da Grande Revolução Cultural Proletária em todos seus aspectos, tanto à luta do proletariado e massas populares chinesas quanto seu aporte universal como continuação indispensável e necessária da revolução sob ditadura do proletariado, dado o fato que neste ano se completa o 50º aniversário de tamanha façanha; estaremos a publicar, com certa regularidade, textos de fundo produzidos na época da GRCP pelas massas ou pelos organismos do Partido, revistas e jornais revolucionários e ademais. Levantemos alto a bandeira vermelha do marxismo-leninismo-maoismo, principalmente maoismo, e lancemos longe a consigna de ‘Celebrar os 50 anos da Grande Revolução Cultural Proletária!’

Iniciamos então tal jornada com a publicação do texto a seguir, produzido em Editorial pela revista Renmin Ribao logo ao explodir do movimento e chamando as massas, estudantes, camponeses, operários, enfim, para a destruição da ideologia burguesa, do velho mundo, através da GRCP.

Tradução ao português deve-se ao núcleo de colaboração do Servir ao Povo de Todo Coração; digitalizado por Arquivo Revolucionário Comunista (Chile), novembro 2007. Fonte: China, Revista Ilustrada, nº 10, 1966.

160505151820-china-cultural-revolution-1-exlarge-169
Milhões de chineses, formando uma poderosa massa revolucionária, criticou a ideologia burguesa, o revisionismo e os agentes da burguesia em postos de autoridade, exercendo seu Poder e impedindo a restauração capitalista.

Continuar lendo “Somos os críticos do velho mundo (China, 1966)”

36 anos do início da Guerra Popular no Peru

Nota do blog: Por ocasião dos 36 anos do início da Guerra Popular no Peru que se completa no dia de hoje, 17 de maio de 2016, publicaremos uma série de materiais, incluindo textos, artigos, vídeos e imagens, sobre o Partido Comunista do Peru (PCP) e sua chefatura e pensamento guia, Presidente Gonzalo e o pensamento Gonzalo; o Exército Guerrilheiro Popular (EGP) e a situação da Revolução Peruana.

Iniciamos com uma breve matéria, que fora publicada no Jornal A Nova Democracia edição 169, que dá breve repassada sobre a condição geral do PCP, Presidente Gonzalo e da Revolução Peruana.

Viva a Revolução Peruana!
Honra e glória ao Partido Comunista do Peru!
Defender a vida e a saúde do Presidente Gonzalo!

Continuar lendo “36 anos do início da Guerra Popular no Peru”

Um se divide em dois: a arma revolucionária de Mao Tsetung

Nota do blog: O seguinte artigo é um fragmento da obra “Um se divide em dois: A arma revolucionária de Mao Tse-Tung” (de Antonio de Irala), traduzido pela colaboração do blog. Explana sobre a teoria do Presidente Mao “um se divide em dois”, em oposição à teoria filosófica revisionista encabeçada por Liu Shao-chi de que “dois integram um”. Publicado originalmente pelo blog Cultura Proletária.

Continuar lendo “Um se divide em dois: a arma revolucionária de Mao Tsetung”