Viva Zumbi dos Palmares! Viva o dia do Povo Preto!

Nota do blog: Reproduzimos nota da Coordenação Nacional da Liga dos Camponeses Pobres, assinada em dezembro de 2015, por ocasião do dia do Povo Preto, onde esta deslinda de modo que consideramos correto sobre o problema da questão racial.

Continuar lendo “Viva Zumbi dos Palmares! Viva o dia do Povo Preto!”

“Meu rompimento com a UJR, e porque decidi militar no MEPR”

Nota do blog: Repercutimos a Carta de esclarecimento acerca do rompimento de uma então militante da UJR (juventude do PCR, cuja direção revisionista, com suas bravatas à esquerda, prende principalmente a juventude no mais vil legalismo, reformismo e demais variantes do revisionismo); ademais de sua decisão de militar no MEPR – Movimento Estudantil Popular Revolucionário.

Isto é expressão cabal de que, com a crise generalizada do velho Estado e de suas estrutura e instituições falidas, aqueles partidos que, posando de “esquerda” e agindo no mais cretino revisionismo e legalismo, insistindo em se integrar em troco de migalhas nas entranhas daquilo que está podre, só vai, daqui para frente, acelerar seu já certo processo de fracasso e apodrecimento. Os seus militantes de base mais abnegados, dedicados, sérios, entusiastas da luta revolucionária, comprometidos de coração e razão com a causa do proletariado, com a causa do povo; estes já começam a sair de suas fileiras, já largam no chão essas suas bandeiras falidas de “acumulação de forças” via eleições, “propaganda revolucionária” através da mendingança de votos, etc. etc. etc..

O revisionismo, como ofensiva ideológica da burguesia dentro das fileiras da classe proletária, deve ser combatido como e na mesma intensidade que o imperialismo e as classes dominantes locais. Eis, pois, a condição de triunfo da classe. E assim farão os militantes honestos que estão já se desprendendo da camisa de força do oportunismo e que, daqui em diante, hão de se desprender cada vez mais, adentrando nas organizações combativas e revolucionárias geradas e continuadoras das resolutas e cruentas lutas das massas em nosso país.

Continuar lendo ““Meu rompimento com a UJR, e porque decidi militar no MEPR””

Lutar pela Revolução Democrática já! (A Nova Democracia, 2016)

Nota do blog: Reproduzimos este valioso texto, a saber, o Editorial do jornal A Nova Democracia edição nº 170 (1ª quinzena de junho de 2016), retirado do blog da Redação de AND. Dispensa introdução.


Lutar pela Revolução Democrática já!

Em pouco mais de quinze dias o povo brasileiro está constatando que as duas bandas dentro do Partido Único são iguais até nas mentiras e empulhações.

Na campanha eleitoral de 2014, Dilma Rousseff afirmava que não elevaria os impostos e nem retiraria direitos dos trabalhadores. Ganhou o segundo turno e apressou-se logo em encaminhar o contrário de suas promessas, através do programa de ajuste fiscal para cuja implementação convidou o banqueiro Levy do Bradesco e do PSDB.

Continuar lendo “Lutar pela Revolução Democrática já! (A Nova Democracia, 2016)”

1 de Maio – Declaração conjunta dos partidos e organizações marxistas-leninistas-maoistas (2016)

Nota do blog: Repercutimos aqui a Declaração Conjunta por ocasião do 1º de Maio, assinada por 29 partidos e organizações marxistas-leninistas-maoistas de todo o mundo, analisando a situação internacional e particular de alguns países, o andamento das guerras populares (particularmente na Índia) e fazendo um grandioso chamamento a arvorar e aplicar o marxismo-leninismo-maoismo, principalmente maoismo, como mando e guia da Revolução Proletária Mundial; o faz, sobretudo, relembrando o exemplo do Partido Comunista da China sob direção do Presidente Mao Tsetung que, em 1966, deu início ao maior e mais pujante movimento de massas da história humana, a Grande Revolução Cultural Proletária que completa neste ano seu 50º aniversário, e que sepultou, batalha após batalha, as diferentes formas de revisionismo que ousou pôr-se em seu caminho, combatendo a ideologia, a política e a cultura burguesas. Tal como na ocasião da GRCP com os comunistas chineses, os comunistas de todo o mundo devem enterrar toda ideologia não-proletária no seio do movimento comunista e ousar hastear a bandeira vermelha do marxismo-leninismo-maoismo, avançando, pela vitória da Revolução Proletária Mundial.

Chinese Communist Poster with Karl Marx, Vladimir Lenin and Mao Zedong
Marx, Lenin e Presidente Mao.

Continuar lendo “1 de Maio – Declaração conjunta dos partidos e organizações marxistas-leninistas-maoistas (2016)”

Abaixo as perseguições, ameaças e assassinatos de camponeses e suas lideranças! (Liga dos Camponeses Pobres – LCP)

lcp-banner-final

 

Baixe a imagem em .pdf para imprimir e distribuir ou colar em seu bairro, vila, favela ou comunidade; escola, universidade, fábrica ou local de trabalho; em locais de recreação ou em associações.

Faça download da imagem!

Morte ao latifúndio!
Terra para quem nela trabalha!
Viva a Revolução Agrária!

9 de Abril: Viva o Dia dos Heróis do Povo Brasileiro! (Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo, Brasil)

Fogo nos sertões (D. Aroeira)

Nota do blog: Publicamos a seguir dois textos muito interessantes acerca da visão comunista dos problemas e questões climáticas do sertão brasileiro, publicados em A Nova Democracia (nº 161, 2ª quinzena de novembro de 2015 e nº 163, 2ª quinzena de dezembro/1ª quinzena de janeiro de 2016 – respectivamente), assinado por D. Aroeira.

Continuar lendo “Fogo nos sertões (D. Aroeira)”

Camponeses delatados repudiam MST (AND, 2005)

Nota do blog: Denúncia ao oportunismo da cúpula dirigente do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra) publicada originalmente no jornal A Nova Democracia (nº 24, 2005). Com esta denúncia, buscamos expor a direção do MST como o que ela é: contrarrevolucionária, braço esquerdo do INCRA e inimiga deliberada dos interesses das massas camponesas por um lado, e, por outro lado, se mostra cada vez mais descaradamente uma verdadeira camisa-de-força para impedir a liberação de toda a energia criadora e revolucionária das massas camponesas ainda crentes no projeto falido de “reforma agrária” do velho Estado gerenciado pelo PT.

Continuar lendo “Camponeses delatados repudiam MST (AND, 2005)”