‘Firmemente sujeitos à Chefatura do Presidente Gonzalo e a seu todo-poderoso pensamento gonzalo, lutar para culminar a RGP!’ (Movimento Popular Peru, outubro 2021)

Tradução não-oficial.

Proletários de todos os países, uni-vos!

Firmemente sujeitos à Chefatura do Presidente Gonzalo e a seu todo-poderoso pensamento gonzalo, lutar para culminar a Reorganização Geral do Partido

Hoje celebramos o aniversário de 93 anos da fundação do Partido Comunista do Peru por José Carlos Mariátegui, em 7 de outubro de 1928. Neste ano, a celebração é parte e serve à Campanha Internacional pela Defesa da Chefatura do Presidente Gonzalo e seu Todo-poderoso Pensamento Gonzalo que vêm levando a cabo os Partidos e Organizações Maoistas do Mundo.

Os comunistas, os revolucionários e povos do mundo estão se mobilizando poderosa e combativamente nos diferentes continentes e países destacando o grandioso feito da entrega da própria vida pelo Presidente Gonzalo (11 de setembro de 2021), conquistando uma grande vitória política, militar e moral para o maoismo, para o Partido Comunista do Peru, para a guerra popular, para a revolução democrática em marcha ininterrupta ao socialismo e ao comunismo, para a classe, para o povo peruano e os povos do mundo, para o Movimento Comunista Internacional. O 11 de setembro será recordado por todos os comunistas da Terra por este grande significado histórico de alcance universal.

Com grandiosas ações o proletariado e os povos do mundo assumem, em teoria e prática a defesa da Chefatura do Presidente Gonzalo e seu todo-poderoso pensamento gonzalo. Com cada vez mais crescente ira e com o mais profundo ódio de classe estão demonstrando aplastamento, condenação e rechaço a este horrendo e ignominioso crime contra o Presidente Gonzalo cometido por mandato do cabeça do imperialismo ianque, o genocida Biden, e consumado pelo presidente do velho Estado peruano Pedro Castillo Terrones, com o serviço das ratazanas da Linha Oportunista de Direita revisionista e capitulacionista (LOD). O governo reacionário encabeçado pelo oportunismo com a participação das ratazanas da LOD (Modavef) se encobriram todos de infâmia genocida e contrarrevolucionária, mostrando suas verdadeiras entranhas fascistas, como nova cabeça do regime inaugurado por Fujimori com o “autogolpe de 1992”. No dia 24 de setembro, em ato oficial pelo dia do Exército reacionário, o genocida Castillo justificou o genocídio cometido pelas Forças Armadas do velho Estado latifundiário-burocrático, serviçal do imperialismo, principalmente ianque, contra o povo peruano em guerra contrarrevolucionária desde 1980 até hoje.

Reiteramos, que o povo e somente o povo, com guerra popular, aplicará a devida sanção pelo imenso e ignominioso crime a todos estes miseráveis imperialistas, reacionários e ratazanas traidoras da LOD.

A heroica morte do Presidente Gonzalo deve servir pra dar um impulso mais poderoso à tarefa ainda pendente de superar a complexa e difícil situação em que entrou a guerra popular logo de sua detenção e principalmente pela traição das ratazanas da LOD revisionista e capitulacionista, que se estruturou nas prisões com a ajuda da CIA ianque e da reação peruana, encabeçada pela ratazana Miriam. A LOD, que chamou pelo fim da guerra popular, isto é, à traição da guerra popular, a renegar o Presidente Gonzalo, o maoismo e o pensamento gonzalo, a BUP aprovada no Primeiro Congresso do PCP, tudo em troca de melhores condições de prisão; servindo aos planos do imperialismo e da reação de destruir a Chefatura do Partido e o pensamento gonzalo; servindo ao isolamento absoluto e perpétuo do presidente. A ratazana Miriam, a cabeça da LOD, desde o começo se prestou para conferir “credibilidade” à patranha do “acordo de paz” da CIA/reação peruana/LOD; foi ela quem, com suas “chamadas telefônicas”, com as montagens de vídeos, os “poemas” e os calhamaços, possibilitou o dano que causaram os operativos da reação ao PCP e à guerra popular; essa ratazana ficará na história como a mais sinistra arqui-traidora, ao estilo Lin Piao, a mais imunda revisionista, que em vão tentou liquidar o Partido e a guerra popular, e terminou com suas mãos manchadas do sangue sagrado do Presidente Gonzalo.

O Presidente Gonzalo pagou a cota exigida para servir ao desenvolvimento da guerra popular, que demanda concretizar a tarefa atrasada da Reorganização Geral do Partido, aplastando a guerra contrarrevolucionária de baixa intensidade que o imperialismo ianque e as ratazanas da LOD revisionista e capitulacionista dirigem.

Como espelho revelador do revisionismo e para servir à tarefa da Reorganização Geral do Partido, nesta celebração do aniversário de 93 anos da fundação do PCP, o heroico combatente que dirige a revolução, transcrevemos a seguir o esquema sobre os Problemas da História do Partido, segundo o que foi posto no I Congresso do Partido, sobre termos três momentos em nosso processo: o da Constituição, Reconstituição e Direção da guerra popular. Dentro dessas três partes do processo partidário, desde que foi fundado por Mariátegui e seus antecedentes, temos alguns problemas em mãos:

I. CONSTITUIÇÃO

Levantamos os seguintes problemas:

– luta pela constituição do Partido

Consideramos que este ponto é muito importante. Primeiro, deve ficar clara a nossa posição de que Mariátegui fundou o Partido Comunista do Peru; nós rechaçamos a posição de que tenha sido fundado por Ravinez porque historicamente não foi assim, foi o próprio Mariátegui quem estabeleceu a mudança de nome do Partido e que se chamasse Partido Comunista do Peru, essa foi sua proposta, só que ele faleceu e a proposta de Mariátegui foi sancionada numa reunião partidária posterior à sua morte, esse é o problema, porém o Partido não foi fundado por Ravinez, isso não está correto.

Deixar bem clara a luta, particularmente a contra Haya de la Torre e suas ideias de aprismo nascentes. Só nos interessa a luta de Mariátegui contra os critérios e posições de Haya de la Torre; mais ainda agora, porque estão dizendo não somente que exista um haya-mariateguismo, inclusive pondo Haya à frente, inclusive chegando ao cúmulo de dizer haya-leninismo, isso não podemos permitir. Ou seja, é um problema atual, candente; o que queremos tomar são problemas que nos sirvam, não queremos uma história da qual nos informemos, queremos uma arma de combate, por isso é que tomamos os problemas, essa é a razão.

– Bem, um segundo problema dentro desta primeira questão seria: o papel de Mariátegui.

Essa é outra questão. Deve ficar bem claro que Mariátegui é o fundador do Partido, o que é que Mariátegui fez, qual o papel de Mariátegui, especialmente porque se trafica com Mariátegui. Ou não é? Não podemos consentir, não podemos permitir, pois que haja um PUM [N.T.: Partido Unificado Mariateguista] que com ele trafique. Então, é um problema da história do marxismo no Peru, claro; mais ainda, é um problema das ideias novas no Peru. Ou não é? É um problema da classe no Peru, não é uma coisa sem importância, isto deve ficar bem claro.

– Outro problema: abandono da linha e oportunismo.

Que queremos ver nisso? Não somente que a linha que Mariátegui estabeleceu, foi estabelecida em luta, mas também que sua linha foi abandonada, foi negada e, aonde isso tudo levou? Ao oportunismo. Exemplos escandalosos: o eleitoralismo bastardo do ano de 39, o frentismo do ano de 45, quando diziam “caducou-se a tese de que as eleições devem ser usadas somente como propaganda, o programa hoje é o de ganhar assentos”; estas são palavras textuais do próprio secretário do Partido, Jorge Acosta. Porque usamos isto, porque necessitamos expor este problema, o que implica pois abandonar uma linha, aonde isso leva? Historicamente nosso Partido demonstra que isso leva ao oportunismo, ou não é? É isso. Abandonar o marxismo-leninismo e sua aplicação aqui no Peru – porque isso foi o que fez Mariátegui e de forma criadora, ninguém o pode negar –, abandonar isso levou ao oportunismo, levou ao browderismo [N.T.: Referência a Earl Browder, do PCUSA], um antecedente do revisionismo contemporâneo. Então, é uma boa lição, ou não? Claro, pois nossa própria história nos dá grandes lições.

Esses três problemas consideramos que podemos tratar no ponto referente à Constituição, a primeira parte.

II. RECONSTITUIÇÃO

Aqui devemos tratar de dois problemas:

– a luta contra o revisionismo contemporâneo.

– o outro problema: a reconstituição do Partido. O Partido Comunista do Peru.

Porque levantamos esses dois problemas? Estão ligados ao anterior. Abandonar a posição justa e correta, marxista-leninista de Mariátegui e sua aplicação criadora no Peru, abandonar essa linha levou ao oportunismo e nos afundamos na lama, para sair dela tivemos que conduzir uma luta contra o revisionismo contemporâneo. Está ligado com o anterior ou não? O oportunismo nos afunda, para nos salvarmos temos que lutar contra o revisionismo; é uma lição bem fácil de entender, ou não é? Assim como a história do Partido demonstra que abandonar o marxismo nos leva à derrocada, também nos diz que tomando em mãos o marxismo e combatendo o revisionismo nos desenvolvemos, não paramos novamente, saímos da lama. Essa é a razão deste problema.

A Reconstituição, e porque sublinhamos Partido Comunista do Peru? Porque deve ficar bem claro que o Partido existe: está comprovado porque abriu de fato, com armas em mão, com uma pujante guerra popular, o verdadeiro e real caminho da revolução democrática para conquistar o Poder. Aqui se demonstra isso, o que o Presidente [Mao] diz quando analisa a experiência da Rússia, da velha Rússia, do Partido bolchevique e da experiência da China, do PCCh, confrontando-a com a Índia, ele disse: “porque é que na velha Rússia czarista houve revolução? Porque houve Partido. Porque houve na China? Porque houve Partido. Porque não há na Índia, onde há condições similares à da China? Porque não há Partido”. Então, este é outro problema chave, não somente para nós, comunistas, senão para lutar, pois, neste país.

III. DIREÇÃO DA GUERRA POPULAR

Aqui, tratar de três problemas:

– Início e desenvolvimento da guerra popular. Exército guerrilheiro popular e Novo Poder.

– Segundo problema: o Partido e a dinâmica ideológica atual. Combater o revisionismo como perigo principal.

– Terceiro problema: tarefa do partido na atualidade – dirigir a conquista do Poder em todo o país.

São três problemas. Bem, estão encadeados com o anterior: temos Partido. Tendo Partido, que fizemos? Iniciamos e desenvolvemos a guerra popular, sem Partido não há início nem há guerra popular; e essa guerra popular, o que nos deu? Um exército guerrilheiro popular, senão não se poderia desenvolver tal guerra; e nos deu algo além, o novo Poder, estamos resolvendo o problema central da revolução, estamos demolindo a velha ordem e gerando as bases do que há de ser o novo, numa brilhante perspectiva em direção ao porvir, esse é outro problema. Isto deve ficar bem claro.

O segundo, porque tratamos dele? Porque a luta de classes se agudiza, no mundo se intensifica a luta de classes, há polarização, há grande contenda a nível ideológico, vai se desenvolver, estamos vendo como se desenvolve uma ofensiva do revisionismo novamente; que o faça, pois, a Albânia, que o faça, pois, a China, como uma potência de corte imperialista, que o faça, pois, a União Soviética como uma potência ou uma superpotência imperialista que contenda pela hegemonia mundial; não somente elas, também as potências imperialistas, todo o imperialismo, toda a reação mundial aponta contra o marxismo, aponta contra o marxismo-leninismo-maoismo, se trata como se tivesse caducado. Tudo isso golpeia, é o que chamamos de dinâmica ideológica atual e temos que confrontá-la, e daí o que é chave: combater o revisionismo como perigo principal, no Partido, no país, no mundo, contra quem seja, pois, potência de décima ordem, dá no mesmo, que seja o social-imperialismo, dá no mesmo, seja quem for que aponte contra o marxismo. Porque os sócios, ainda que em pugna e conluio pela hegemonia mundial, se auxiliam para aplastar a revolução, sonhando. Então, este problema é muito importante. Recordem o que temos dito da diferenciação, é necessária. Tem a ver com a campanha de retificação? Claro que tem. Isto nos prepara, nos arma. Para quê? Para cumprir com a tarefa que nos toca ao Partido. Qual é essa tarefa? Nosso problema, pois, é dirigir a conquista do Poder em todo o país, arrematar a revolução democrática e ininterruptamente passar à revolução socialista e logo assim que se derem as condições, se expressará pois e se dará a grande revolução ou a revolução cultural proletária e assim seguirá seu rumo.

Então apontamos problemas, que são armas para combater. Isso é o que necessitamos, não de um simples documento do qual alguém possa ler, informar-se, isso não nos interessa; o que nos interessa é nos armarmos de nossa própria experiência, com nossos próprios problemas, extrair nossas próprias lições, positivas ou negativas, o que seja. Então, assim é como entendemos este problema da história. Sobre essas questões temos discutido muitas vezes; porém queremos um documento breve, claro, compreensível, que a massa possa manejar, o proletariado, o povo, obviamente os comunistas, estes antes de mais nada. Pensamos no tipo de militância que temos. O que necessitamos hoje? Que a história do Partido com seus problemas seja, pois, mais uma arma de luta, essa é a ideia que nos guia para plantear esse tipo de problema, podem ser estes ou outros.

Estes são os Problemas da História do Partido, de forma esquemática.

Firmemente sujeitos à Chefatura do Presidente Gonzalo e a seu todo-poderoso pensamento gonzalo e armados com os ensinamentos da história do Partido e com seus problemas, seguindo o luminoso exemplo de nosso Chefe lutemos para culminar a Reorganização Geral do Partido para dar um poderoso impulso à guerra popular no Peru servindo à Revolução Proletária Mundial.

Honra e glória eterna ao Presidente Gonzalo!

Guerra Popular até o comunismo!

O Presidente Gonzalo vive em seu todo-poderoso pensamento gonzalo!

Viva o 93º aniversário da fundação do Partido Comunista do Peru!

Movimento Popular Peru

Outubro de 2021

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s